Loading
 
 
 
Loading
 
As “Cinzas” e o “pó” nas Sagradas Escrituras
Loading
 
5 de Março de 2014 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Redação (Quarta-feira, 05-03-2014, Gaudium Press) A Quaresma, tempo de penitência e de preparação para a Páscoa da Ressurreição, é iniciada pela quarta-feira de cinzas. Nesse período litúrgico muito se ouve falar sobre "cinzas" e "pó".

cerimonia_de_cinzas.jpg

O uso destes dois termos, para expressar a dor e a penitência, já era feito mesmo antes do cristianismo. O costume de se usar vestes penitenciais e de cobrir a cabeça com cinzas, exprimindo dor, luto e em sinal de penitência, foi algo comum na antiguidade.

Nas Sagradas Escrituras encontramos diversas passagens que apresentam as "cinzas" e o "pó". Logo no primeiro livro da Bíblia está escrito que "Deus formou o homem com o pó da terra" (Gn 2, 7), e logo depois vem o alerta "tu es pó e em pó te hás de tornar" (Gn 3, 19).

Ainda no livro do Gênesis, nos deparamos com o Patriarca Abraão, que, confessando a Deus a consciência de seu ser limitado e frágil, diz: "Apesar de eu ser apenas pó e cinza, atrevo-me, Senhor, a convosco falar" (Gn 18, 27). E isso se prolonga por toda a história de Israel.

O livro dos Salmos recorda que "pó e cinza são todos os homens" (Sl 17, 32), e que "todos morrem e voltam ao pó" (Sl 104, 29).

E o Eclesiastes reforça: "...todos caminham na mesma direção e meta: todos saíram do pó e todos voltarão ao pó" (Ecl 3, 20).

Na História Sagrada essas expressões também são utilizadas. Assim, os israelitas, que imploravam o auxílio Divino contra Holofernes, colocaram "cinza sobre a cabeça" (Jdt 4, 16).

E Jó manifestou sua contrição a Deus arrependendo-se "no pó e na cinza" (Jó 42, 6).

Já no Novo Testamento, Nosso Senhor Jesus Cristo, referindo-se às cidades de Corazin e Betsaida, fez alusão a esse costume do mundo oriental: "Se em Tiro e Sidônia tivessem sido realizados os milagres que em vós se realizaram, há muito tempo se teriam convertido, vestindo-se de cilícios e cobrindo-se de pó" (Mt 11, 21).

Que esses trechos das Sagradas Escrituras nos sirvam de reflexão para esse longo período de recolhimento e penitência que foram iniciados nesta quarta-feira de cinzas.

Por Emílio Portugal Coutinho

Loading
As “Cinzas” e o “pó” nas Sagradas Escrituras

Redação (Quarta-feira, 05-03-2014, Gaudium Press) A Quaresma, tempo de penitência e de preparação para a Páscoa da Ressurreição, é iniciada pela quarta-feira de cinzas. Nesse período litúrgico muito se ouve falar sobre "cinzas" e "pó".

cerimonia_de_cinzas.jpg

O uso destes dois termos, para expressar a dor e a penitência, já era feito mesmo antes do cristianismo. O costume de se usar vestes penitenciais e de cobrir a cabeça com cinzas, exprimindo dor, luto e em sinal de penitência, foi algo comum na antiguidade.

Nas Sagradas Escrituras encontramos diversas passagens que apresentam as "cinzas" e o "pó". Logo no primeiro livro da Bíblia está escrito que "Deus formou o homem com o pó da terra" (Gn 2, 7), e logo depois vem o alerta "tu es pó e em pó te hás de tornar" (Gn 3, 19).

Ainda no livro do Gênesis, nos deparamos com o Patriarca Abraão, que, confessando a Deus a consciência de seu ser limitado e frágil, diz: "Apesar de eu ser apenas pó e cinza, atrevo-me, Senhor, a convosco falar" (Gn 18, 27). E isso se prolonga por toda a história de Israel.

O livro dos Salmos recorda que "pó e cinza são todos os homens" (Sl 17, 32), e que "todos morrem e voltam ao pó" (Sl 104, 29).

E o Eclesiastes reforça: "...todos caminham na mesma direção e meta: todos saíram do pó e todos voltarão ao pó" (Ecl 3, 20).

Na História Sagrada essas expressões também são utilizadas. Assim, os israelitas, que imploravam o auxílio Divino contra Holofernes, colocaram "cinza sobre a cabeça" (Jdt 4, 16).

E Jó manifestou sua contrição a Deus arrependendo-se "no pó e na cinza" (Jó 42, 6).

Já no Novo Testamento, Nosso Senhor Jesus Cristo, referindo-se às cidades de Corazin e Betsaida, fez alusão a esse costume do mundo oriental: "Se em Tiro e Sidônia tivessem sido realizados os milagres que em vós se realizaram, há muito tempo se teriam convertido, vestindo-se de cilícios e cobrindo-se de pó" (Mt 11, 21).

Que esses trechos das Sagradas Escrituras nos sirvam de reflexão para esse longo período de recolhimento e penitência que foram iniciados nesta quarta-feira de cinzas.

Por Emílio Portugal Coutinho

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/56471-As--ldquo-Cinzas-rdquo--e-o--ldquo-po-rdquo--nas-Sagradas-Escrituras. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.




 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

A Jornada Mundial da Juventude – 2019 será realizada entre os dias 22 e 27 de janeiro, no Panamá ...
 
A cerimônia de beatificação de Takayama Ukon será presidida pelo Prefeito da Congregação Vatic ...
 
Aproveitar a “oportunidade de ouro” que marca a celebração do Ano Jubilar: 250 anos do povo pe ...
 
O Temor de Deus é um dos Dons do Espírito Santo e ele é o princípio da sabedoria. ...
 
O Parlamento convencido da importância da devoção mariana para o país estabeleceu 2017 como o An ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading