Loading
 
 
 
Loading
 
“Sabemos quem é Jesus, mas talvez não o tenhamos encontrado pessoalmente”, diz Francisco no Angelus
Loading
 
20 de Março de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 20-03-2017, Gaudium Press) Na manhã de domingo o Papa Francisco dirigiu-se aos fiéis reunidos na Praça São Pedro para a recitação do Angelus do meio dia.

 Sabemos quem é Jesus, mas talvez não o tenhamos encontrado pessoalmente, diz Francisco no Angelus.jpg
Foto: Gustavo Kralj - Gaudium Press

Ainda antes da oração mariana, os cerca de 40 mil peregrinos ouviram os comentários do Pontífice baseados na narração do Evangelho de São Mateus.

O Papa teve ocasião de afirmar: "Sabemos quem é Jesus, mas talvez não o tenhamos encontrado pessoalmente, falando com Ele, e não o tenhamos ainda reconhecido como o nosso Salvador"

Jesus e a Samaritana

Era o III Domingo da Quaresma, e Francisco quis destacar que o Evangelho do dia narra o diálogo de Jesus com a Samaritana, contextualizando aquele encontro descrito numa das páginas mais bonitas do Evangelho.

O encontro de Jesus com esta mulher deu-se quando Nosso Senhor atravessava os caminhos da Samaria. A região localiza-se entre a Judeia e a Galileia e seus habitantes eram desprezados pelos Judeus e foi a população que lá vivia que se tornou uma das primeiras a dar sua adesão `a boa nova do cristianismo que os apóstolos espalharam.

Os discípulos tinham ido à cidade a procura de alimento. Jesus fica só próximo ao poço de Jacó e pede água a uma mulher que lá apareceu para buscar água. Jesus tem sede e lhe pede água para beber. Na ocasião surgiu um diálogo.

"Como, sendo judeu, tu me pedes de beber, a mim que sou samaritana?" Jesus lhe respondeu: "Se conhecesses o dom de Deus e quem é que te diz ‘dá-me de beber', tu é que lhe pedirias e ele te daria água viva!", uma água que sacia toda sede e se torna fonte inesgotável no coração de quem a bebe (Jo 4,10-14)."

Água diferente, Fonte de Água Viva

Jesus fala com a mulher sobre o poço, sobre o cansativo e monótono de buscar água, do bom que seria se houvesse uma fonte de água, sempre jorrando...

Mas Jesus fala de uma água diferente, sublinhou, o Papa.

No diálogo, a Samaritana deu-se conta de que quem estava diante dela era um profeta e ela confiando nela, lhe fez perguntas religiosas.

"A mulher fica impressionada com o grande respeito que Jesus tem por ela e quando Ele lhe fala da verdadeira fé, como relação com Deus Pai ‘em espírito e verdade', então intui que aquele homem poderia ser o Messias, e Jesus - coisa raríssima - o confirma: ‘Sou eu, que falo contigo'. Ele diz ser o Messias a uma mulher que tinha uma vida tão desordenada", observou o Pontífice.

Água que dá a vida eterna

 Sabemos quem é Jesus, mas talvez não o tenhamos encontrado pessoalmente, diz Francisco no Angelus (2).jpg
Foto: Gustavo Kralj - Gaudium Press
Dando continuidade a seus comentários, o Pontífice recordou aos que o ouviam que "a água que dá a vida eterna foi infundida em nossos corações no dia do nosso Batismo". Por esta água ele nos transformou e encheu-nos de sua graça.
"Mas pode acontecer que este grande dom o tenhamos esquecido, ou reduzido a um mero acontecimento da nossa vida", e talvez vamos em busca de "poços" cujas águas não nos saciam, disse Francisco:

Conhecemos, mas não temos contato pessoal

"Quando esquecemos a verdadeira água, vamos à procura de poços que não têm águas límpidas. Então esse Evangelho é propriamente para nós! Não somente para a Samaritana, mas para nós. Jesus nos fala como à Samaritana. É claro, já o conhecemos, mas talvez não o tenhamos encontrado pessoalmente. "

Foi aí que o Papa salientou que o tempo da Quaresma é ocasião propícia para aproximar-nos d'Ele, encontrá-lo na oração num diálogo de coração para coração, falar com Ele, escutá-lo; é a ocasião para ver o seu rosto também no rosto de um irmão ou de uma irmã que sofre.

"Desse modo podemos renovar em nós a graça do Batismo, saciar-nos na fonte da Palavra de Deus e de seu Espírito Santo; e assim descobrir também a alegria de nos tornar artífices de reconciliação e instrumentos de paz na vida cotidiana. "

E foi então que o Santo Padre concluiu sua catequese pedindo que "Que a Virgem Maria nos ajude a haurir constantemente a graça, aquela graça que brota da rocha que é Cristo Salvador, a fim de que possamos professar com convicção a nossa fé e anunciar com alegria as maravilhas do amor de Deus, misericordioso e fonte de todo bem". (JSG)

Loading
“Sabemos quem é Jesus, mas talvez não o tenhamos encontrado pessoalmente”, diz Francisco no Angelus

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 20-03-2017, Gaudium Press) Na manhã de domingo o Papa Francisco dirigiu-se aos fiéis reunidos na Praça São Pedro para a recitação do Angelus do meio dia.

 Sabemos quem é Jesus, mas talvez não o tenhamos encontrado pessoalmente, diz Francisco no Angelus.jpg
Foto: Gustavo Kralj - Gaudium Press

Ainda antes da oração mariana, os cerca de 40 mil peregrinos ouviram os comentários do Pontífice baseados na narração do Evangelho de São Mateus.

O Papa teve ocasião de afirmar: "Sabemos quem é Jesus, mas talvez não o tenhamos encontrado pessoalmente, falando com Ele, e não o tenhamos ainda reconhecido como o nosso Salvador"

Jesus e a Samaritana

Era o III Domingo da Quaresma, e Francisco quis destacar que o Evangelho do dia narra o diálogo de Jesus com a Samaritana, contextualizando aquele encontro descrito numa das páginas mais bonitas do Evangelho.

O encontro de Jesus com esta mulher deu-se quando Nosso Senhor atravessava os caminhos da Samaria. A região localiza-se entre a Judeia e a Galileia e seus habitantes eram desprezados pelos Judeus e foi a população que lá vivia que se tornou uma das primeiras a dar sua adesão `a boa nova do cristianismo que os apóstolos espalharam.

Os discípulos tinham ido à cidade a procura de alimento. Jesus fica só próximo ao poço de Jacó e pede água a uma mulher que lá apareceu para buscar água. Jesus tem sede e lhe pede água para beber. Na ocasião surgiu um diálogo.

"Como, sendo judeu, tu me pedes de beber, a mim que sou samaritana?" Jesus lhe respondeu: "Se conhecesses o dom de Deus e quem é que te diz ‘dá-me de beber', tu é que lhe pedirias e ele te daria água viva!", uma água que sacia toda sede e se torna fonte inesgotável no coração de quem a bebe (Jo 4,10-14)."

Água diferente, Fonte de Água Viva

Jesus fala com a mulher sobre o poço, sobre o cansativo e monótono de buscar água, do bom que seria se houvesse uma fonte de água, sempre jorrando...

Mas Jesus fala de uma água diferente, sublinhou, o Papa.

No diálogo, a Samaritana deu-se conta de que quem estava diante dela era um profeta e ela confiando nela, lhe fez perguntas religiosas.

"A mulher fica impressionada com o grande respeito que Jesus tem por ela e quando Ele lhe fala da verdadeira fé, como relação com Deus Pai ‘em espírito e verdade', então intui que aquele homem poderia ser o Messias, e Jesus - coisa raríssima - o confirma: ‘Sou eu, que falo contigo'. Ele diz ser o Messias a uma mulher que tinha uma vida tão desordenada", observou o Pontífice.

Água que dá a vida eterna

 Sabemos quem é Jesus, mas talvez não o tenhamos encontrado pessoalmente, diz Francisco no Angelus (2).jpg
Foto: Gustavo Kralj - Gaudium Press
Dando continuidade a seus comentários, o Pontífice recordou aos que o ouviam que "a água que dá a vida eterna foi infundida em nossos corações no dia do nosso Batismo". Por esta água ele nos transformou e encheu-nos de sua graça.
"Mas pode acontecer que este grande dom o tenhamos esquecido, ou reduzido a um mero acontecimento da nossa vida", e talvez vamos em busca de "poços" cujas águas não nos saciam, disse Francisco:

Conhecemos, mas não temos contato pessoal

"Quando esquecemos a verdadeira água, vamos à procura de poços que não têm águas límpidas. Então esse Evangelho é propriamente para nós! Não somente para a Samaritana, mas para nós. Jesus nos fala como à Samaritana. É claro, já o conhecemos, mas talvez não o tenhamos encontrado pessoalmente. "

Foi aí que o Papa salientou que o tempo da Quaresma é ocasião propícia para aproximar-nos d'Ele, encontrá-lo na oração num diálogo de coração para coração, falar com Ele, escutá-lo; é a ocasião para ver o seu rosto também no rosto de um irmão ou de uma irmã que sofre.

"Desse modo podemos renovar em nós a graça do Batismo, saciar-nos na fonte da Palavra de Deus e de seu Espírito Santo; e assim descobrir também a alegria de nos tornar artífices de reconciliação e instrumentos de paz na vida cotidiana. "

E foi então que o Santo Padre concluiu sua catequese pedindo que "Que a Virgem Maria nos ajude a haurir constantemente a graça, aquela graça que brota da rocha que é Cristo Salvador, a fim de que possamos professar com convicção a nossa fé e anunciar com alegria as maravilhas do amor de Deus, misericordioso e fonte de todo bem". (JSG)


 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.




 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Essa é a primeira vez em 900 anos que as relíquias de São Nicolau deixam a capital da Puglia para ...
 
Em pouco tempo, por toda a Urbe, comentava-se a santidade desse peregrino de vida edificante que dif ...
 
Um numeroso grupo de mulheres procedentes de 58 países, especialmente da Itália, se reuniram em Va ...
 
Essas palavras foram ditas em audiência às Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade, de Dom Orion ...
 
A celebração eucarística foi presidida pelo Arcebispo Dom Sergio Castriani. ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading