Loading
 
 
 
Loading
 
Em homilia, Papa critica quem vive na tristeza, esquecendo-se da alegria
Loading
 
28 de Março de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Terça-feira, 28-03-2017, Gaudium Press) Voltando a celebrar sua Missa matutina na Capela da Casa Santa Marta, o Papa Francisco baseou sua homilia no Evangelho proposto pela liturgia do dia.

O Evangelho narra que um homem que já estava doente por trinta e oito anos estava deitado junto a uma piscina chamada Betesda, em hebraico.

Cegos, coxos, paralíticos e também portadores de outras doenças costumavam ficar deitados próximo à orla da piscina esperando que as águas dela se movessem.

Em homilia, Papa critica quem vive na tristeza, esquecendo-se da alegria.jpg
Foto: Gustavo Kralj-Gaudium Press

Era uma crença generalizada que quando um anjo descia do céu e movimentasse as águas da piscina, o primeiro doente que nela entrasse, assim que suas águas se movessem, ficaria curado de qualquer doença.

Jesus passava por Betesda e viu esse homem ali deitado. Sabendo da situação em que ele se encontrava há tanto tempo, perguntou-lhe: 'Quer ficar curado?'

Quer ficar curado?

Francisco comentou esse episódio: "É belo, Jesus sempre nos diz ‘Quer ficar curado? Quer ser feliz? Quer melhorar a sua vida? Quer estar cheio do Espírito Santo?'... a palavra de Jesus... Todos os outros que estavam ali - doentes, cegos, paralíticos - disseram: ‘Sim, Senhor, sim!'.

Mas aquele homem de trinta e oito anos de doença, respondeu a Jesus:

‘Senhor, não tenho ninguém que me leve à piscina quando a água é agitada. Quando estou chegando, outro entra na minha frente'.

Era uma resposta-lamentação:

‘Veja, Senhor, como é ruim e injusta a vida comigo. Todos os outros podem entrar e se curar e eu estou doente há 38 anos, mas...'

Árvore de raízes secas: sempre lamentando

O Papa comentou que "Este homem era como a árvore plantada nos braços de um rio - como diz o primeiro Salmo - ‘mas tinha as raízes secas' e ‘as raízes não tocavam a água, não podiam extrair saúde das águas'":

"Isto se entende pelo comportamento, pelas lamentações... sempre tentando colocar a culpa no outro: ‘Mas são os outros que vão antes de mim, eu sou um coitadinho que está aqui há 38 anos...".

Este é um pecado feio, o pecado da preguiça, que é pior do que ter o coração morno, bem pior. É viver, mas ‘viver sem vontade de ir avante, de fazer alguma coisa na vida; é perder a memória da alegria'.

"Este homem não conhecia nem de nome a alegria, a havia perdido. Isto é pecado, é uma doença muito ruim". ‘Mas eu estou bem assim, me acostumei... A vida foi injusta comigo...'. "Sente-se o ressentimento, a amargura do seu coração", ainda comentou o Pontífice.

Era sábado...

Mas Jesus não o repreende, mas lhe diz: ‘Levanta-te, pega a tua cama e anda', lembrou Francisco. O paralítico se cura; mas era sábado, os Doutores da Lei lhe dizem que não lhe é permitido carregar a cama e lhe perguntam quem o havia curado naquele dia. ‘É contra a lei, este homem não é de Deus'. O Paralítico não tinha ainda agradecido Jesus, não lhe havia nem perguntado seu nome. "Levantou-se com a preguiça de quem vive porque o oxigênio é grátis", disse o Papa.

"Daqueles que vivem sempre vendo que os outros são mais felizes e vivem na tristeza, esquecendo-se da alegria. A preguiça, explicou o Santo Padre, é um pecado que paralisa, que nos deixa paralíticos, que não deixa caminhar. Hoje também o Senhor olha por todos nós; todos temos pecados, mas vendo este pecado, nos diz: ‘Levanta'":

Conhecer a alegria da Salvação

"Hoje o Senhor diz a cada um de nós: ‘Levanta, pega a tua vida como ela é: boa, ruim, como for, pegue-a e vá adiante. Não tenha medo, vai adiante, com a tua cama'.

‘Mas Senhor, não é o último modelo...'. ‘Vai avante! Com a cama ruim, mas avante!

É a sua vida e a sua alegria!'

"Quer ser curado? - é a primeira pergunta que o Senhor nos faz hoje. ‘Sim, Senhor'. ‘Levanta'.

Francisco recordou a antífona do início da missa, que ele considerou "tão bonito": ‘Vós, que tendes sede, vinde às águas -são grátis, não há pagamento- vinde e bebei com alegria'. E se dissermos ao Senhor ‘Sim, quero ser curado; sim, Senhor, ajuda-me porque quero me levantar', saberemos como é a alegria da salvação". (JSG)

Loading
Em homilia, Papa critica quem vive na tristeza, esquecendo-se da alegria

Cidade do Vaticano (Terça-feira, 28-03-2017, Gaudium Press) Voltando a celebrar sua Missa matutina na Capela da Casa Santa Marta, o Papa Francisco baseou sua homilia no Evangelho proposto pela liturgia do dia.

O Evangelho narra que um homem que já estava doente por trinta e oito anos estava deitado junto a uma piscina chamada Betesda, em hebraico.

Cegos, coxos, paralíticos e também portadores de outras doenças costumavam ficar deitados próximo à orla da piscina esperando que as águas dela se movessem.

Em homilia, Papa critica quem vive na tristeza, esquecendo-se da alegria.jpg
Foto: Gustavo Kralj-Gaudium Press

Era uma crença generalizada que quando um anjo descia do céu e movimentasse as águas da piscina, o primeiro doente que nela entrasse, assim que suas águas se movessem, ficaria curado de qualquer doença.

Jesus passava por Betesda e viu esse homem ali deitado. Sabendo da situação em que ele se encontrava há tanto tempo, perguntou-lhe: 'Quer ficar curado?'

Quer ficar curado?

Francisco comentou esse episódio: "É belo, Jesus sempre nos diz ‘Quer ficar curado? Quer ser feliz? Quer melhorar a sua vida? Quer estar cheio do Espírito Santo?'... a palavra de Jesus... Todos os outros que estavam ali - doentes, cegos, paralíticos - disseram: ‘Sim, Senhor, sim!'.

Mas aquele homem de trinta e oito anos de doença, respondeu a Jesus:

‘Senhor, não tenho ninguém que me leve à piscina quando a água é agitada. Quando estou chegando, outro entra na minha frente'.

Era uma resposta-lamentação:

‘Veja, Senhor, como é ruim e injusta a vida comigo. Todos os outros podem entrar e se curar e eu estou doente há 38 anos, mas...'

Árvore de raízes secas: sempre lamentando

O Papa comentou que "Este homem era como a árvore plantada nos braços de um rio - como diz o primeiro Salmo - ‘mas tinha as raízes secas' e ‘as raízes não tocavam a água, não podiam extrair saúde das águas'":

"Isto se entende pelo comportamento, pelas lamentações... sempre tentando colocar a culpa no outro: ‘Mas são os outros que vão antes de mim, eu sou um coitadinho que está aqui há 38 anos...".

Este é um pecado feio, o pecado da preguiça, que é pior do que ter o coração morno, bem pior. É viver, mas ‘viver sem vontade de ir avante, de fazer alguma coisa na vida; é perder a memória da alegria'.

"Este homem não conhecia nem de nome a alegria, a havia perdido. Isto é pecado, é uma doença muito ruim". ‘Mas eu estou bem assim, me acostumei... A vida foi injusta comigo...'. "Sente-se o ressentimento, a amargura do seu coração", ainda comentou o Pontífice.

Era sábado...

Mas Jesus não o repreende, mas lhe diz: ‘Levanta-te, pega a tua cama e anda', lembrou Francisco. O paralítico se cura; mas era sábado, os Doutores da Lei lhe dizem que não lhe é permitido carregar a cama e lhe perguntam quem o havia curado naquele dia. ‘É contra a lei, este homem não é de Deus'. O Paralítico não tinha ainda agradecido Jesus, não lhe havia nem perguntado seu nome. "Levantou-se com a preguiça de quem vive porque o oxigênio é grátis", disse o Papa.

"Daqueles que vivem sempre vendo que os outros são mais felizes e vivem na tristeza, esquecendo-se da alegria. A preguiça, explicou o Santo Padre, é um pecado que paralisa, que nos deixa paralíticos, que não deixa caminhar. Hoje também o Senhor olha por todos nós; todos temos pecados, mas vendo este pecado, nos diz: ‘Levanta'":

Conhecer a alegria da Salvação

"Hoje o Senhor diz a cada um de nós: ‘Levanta, pega a tua vida como ela é: boa, ruim, como for, pegue-a e vá adiante. Não tenha medo, vai adiante, com a tua cama'.

‘Mas Senhor, não é o último modelo...'. ‘Vai avante! Com a cama ruim, mas avante!

É a sua vida e a sua alegria!'

"Quer ser curado? - é a primeira pergunta que o Senhor nos faz hoje. ‘Sim, Senhor'. ‘Levanta'.

Francisco recordou a antífona do início da missa, que ele considerou "tão bonito": ‘Vós, que tendes sede, vinde às águas -são grátis, não há pagamento- vinde e bebei com alegria'. E se dissermos ao Senhor ‘Sim, quero ser curado; sim, Senhor, ajuda-me porque quero me levantar', saberemos como é a alegria da salvação". (JSG)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/86264-Em-homilia--Papa-critica-quem-vive-na-tristeza--esquecendo-se-da-alegria. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.




 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Essa é a primeira vez em 900 anos que as relíquias de São Nicolau deixam a capital da Puglia para ...
 
Em pouco tempo, por toda a Urbe, comentava-se a santidade desse peregrino de vida edificante que dif ...
 
Um numeroso grupo de mulheres procedentes de 58 países, especialmente da Itália, se reuniram em Va ...
 
Essas palavras foram ditas em audiência às Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade, de Dom Orion ...
 
A celebração eucarística foi presidida pelo Arcebispo Dom Sergio Castriani. ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading