Loading
 
 
 
Loading
 
É preciso despertar, discernir e cultivar a vocação, afirma o Arcebispo de Palmas
Loading
 
15 de Agosto de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Palmas - Tocantins (Terça-feira, 15-08-2017, Gaudium Press) A vocação existe, existiu e continuará existindo, é o que afirma o Arcebispo de Palmas (TO), Dom Pedro Brito Guimarães, em seu mais recente artigo publicado no portal da CNBB.

É preciso despertar, discernir e cultivar a vocação, afirma o Arcebispo de Palmas.jpg

A vocação, segundo Dom Brito, "como tudo na vida, precisa ser descoberta, despertada, promovida e cultivada".

O prelado explica que a crise vocacional é proporcional à credibilidade eclesial e a vitalidade da vida cristã, pois "quanto mais fraca e frágil forem a eficiência e a eficácia eclesiais, menos vocações teremos".

Na visão do arcebispo, é preciso assumir o protagonismo na promoção das vocações, que são dons de Deus, mas que compreendem uma missão humana de cuidá-la e cultivá-la. "Se no final dos esforços vocacionais não tivermos vocações que a comunidade precisa, ainda assim, devemos nos render e afirmar: vocação existe. Basta descobri-la, cultivá-la e promovê-la".

Dom Pedro recorda ainda que há "um código de barra em cada vocação, que precisa ser decodificado" e que o itinerário se consiste em despertar, discernir, cultivar e acompanhar as vocações e os vocacionados. "Os livros, os meios, os métodos, as técnicas, as dinâmicas e as linguagens ajudam muito. Mas, uma Pastoral Vocacional orante e celebrativa, propositiva e criativa, existencial e testemunhal também ajudam muito. No entanto, nada substitui o testemunho de vida. A maior, a melhor e a mais eficaz propaganda vocacional são o testemunho de vida, pessoal e comunitário", declara.

O "vinde e vede", prossegue, "é a melhor propaganda vocacional", uma vez que "o testemunho é a mediação privilegiada e insubstituível de toda a Pastoral Vocacional. Nada e nem ninguém poderá substituí-lo. Por que Jesus atraia tantos discípulos missionários para estarem com Ele e para serem enviados em missão? Porque trabalhou com mãos humanas, pensou com inteligência humana, agiu com vontade humana e amou com coração humano (GS 22). E chamou a quem Ele quis para estarem com Ele (Mc 3,15)". (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações Arquidiocese de Palmas

Loading
É preciso despertar, discernir e cultivar a vocação, afirma o Arcebispo de Palmas

Palmas - Tocantins (Terça-feira, 15-08-2017, Gaudium Press) A vocação existe, existiu e continuará existindo, é o que afirma o Arcebispo de Palmas (TO), Dom Pedro Brito Guimarães, em seu mais recente artigo publicado no portal da CNBB.

É preciso despertar, discernir e cultivar a vocação, afirma o Arcebispo de Palmas.jpg

A vocação, segundo Dom Brito, "como tudo na vida, precisa ser descoberta, despertada, promovida e cultivada".

O prelado explica que a crise vocacional é proporcional à credibilidade eclesial e a vitalidade da vida cristã, pois "quanto mais fraca e frágil forem a eficiência e a eficácia eclesiais, menos vocações teremos".

Na visão do arcebispo, é preciso assumir o protagonismo na promoção das vocações, que são dons de Deus, mas que compreendem uma missão humana de cuidá-la e cultivá-la. "Se no final dos esforços vocacionais não tivermos vocações que a comunidade precisa, ainda assim, devemos nos render e afirmar: vocação existe. Basta descobri-la, cultivá-la e promovê-la".

Dom Pedro recorda ainda que há "um código de barra em cada vocação, que precisa ser decodificado" e que o itinerário se consiste em despertar, discernir, cultivar e acompanhar as vocações e os vocacionados. "Os livros, os meios, os métodos, as técnicas, as dinâmicas e as linguagens ajudam muito. Mas, uma Pastoral Vocacional orante e celebrativa, propositiva e criativa, existencial e testemunhal também ajudam muito. No entanto, nada substitui o testemunho de vida. A maior, a melhor e a mais eficaz propaganda vocacional são o testemunho de vida, pessoal e comunitário", declara.

O "vinde e vede", prossegue, "é a melhor propaganda vocacional", uma vez que "o testemunho é a mediação privilegiada e insubstituível de toda a Pastoral Vocacional. Nada e nem ninguém poderá substituí-lo. Por que Jesus atraia tantos discípulos missionários para estarem com Ele e para serem enviados em missão? Porque trabalhou com mãos humanas, pensou com inteligência humana, agiu com vontade humana e amou com coração humano (GS 22). E chamou a quem Ele quis para estarem com Ele (Mc 3,15)". (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações Arquidiocese de Palmas

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/89244-E-preciso-despertar--discernir-e-cultivar-a-vocacao--afirma-o-Arcebispo-de-Palmas. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.




 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Ela parece ser a única sobrevivente das que foram plantadas por São Martinho de Porres há 400 ano ...
 
O prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, está realizando uma visita pastoral a ...
 
A finalidade do encontro é o de “viver um novo Pentecostes” como resposta ao desafio de ser uma ...
 
O Arcebispo Dom Fernando Saburido presidiu a missa em ação de graças pelos 60 anos do Movimento n ...
 
Inspirado no tema “Somos Missionários”, o evento contará ainda com a presença dos bispos auxi ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading