Loading
 
 
 
Loading
 
A lição dos tico-ticos
Loading
 
24 de Agosto de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Redação (Quinta-feira, 24-08-2017, Gaudium Press) Quantas vezes, nesta vida, nossa atitude não é muito diferente da de dois passarinhos que brigam por uma migalha de pão, sem perceber o que está ao seu redor...

 * * * * *

A lição dos tico-ticos.pngSábio, pela definição filosófica clássica, é quem conhece e julga as coisas, pela razão natural, por suas últimas e mais altas causas. Entretanto, quando alguém as julga por instinto divino, possui o dom sobrenatural de sabedoria. É próprio deste dom do Espírito Santo conceder à alma uma visão profunda de todas as realidades, segundo o prisma divino.

Por isso, pode acontecer que uma alma simples e ignorante, sem estudos teológicos, possua "pelo dom de sabedoria um conhecimento profundíssimo das coisas divinas que pasma e maravilha aos mais eminentes teólogos". Tal foi o que sucedeu, por exemplo, a Santa Joana d'Arc, ante seus pérfidos juízes, ou a Santa Bernadete e aos Pastorinhos de Fátima, ao serem inquiridos sobre a veracidade das aparições de Nossa Senhora, em Lourdes e em Fátima.

E como tudo no universo criado tem uma estreita relação com seu Criador, até mesmo as mínimas coisas, se são contempladas à luz da sabedoria, nos manifestam sua ligação com Deus. Sendo este dom infundido no Batismo, é possível a qualquer cristão encontrar nos pequenos acontecimentos do dia a dia as lições que o Altíssimo deseja transmitir-lhe.

Foi o que se passou em uma de nossas casas quando, numa manhã, entraram no refeitório dois tico-ticos procurando o seu "desjejum"... Uma das religiosas que servia à mesa, vendo que a busca lhes resultava difícil, decidiu auxiliá-los, atirando-lhes umas migalhes de pão. Um dos passarinhos as encontrou e comeu, satisfeito. Novamente os dois tico-ticos receberam mais algumas migalhas das mãos amigas. Desta vez, porém, as avezinhas começaram a brigar pelo mesmo bocado, enquanto a religiosa que tinha o pão na mão lhes jogava mais alimento, para parar aquele duelo. Eles, contudo, nada viram e continuaram a peleja, despertando o sorriso das outras irmãs que observavam a cena.

Ora, quantas vezes nossa reação não é muito diferente da atitude destes dois passarinhos... Ficamos presos às nossas necessidades mais imediatas e não percebemos os aspectos mais altos de nossa existência!

Deus, que tem todo o universo nas mãos, nos derrama com abundância suas graças. Nós, todavia, como temos as nossas vistas postas nas coisas deste mundo, não vemos a imensidade destas graças em torno de nós e fixamos nossa atenção apenas nas coisinhas corriqueiras da vida concreta.

Em nosso tempo hodierno, onde prevalecem a correria e o poder do dinheiro, a mentalidade do homem se prende ao palpável e ao programado, fruto de uma concepção ateu-prática da existência, em que tudo funciona sem Deus. Quando acontece algo inesperado, uma desgraça qualquer, todos procuram uma explicação natural e um modo humano para resolver. Não há lugar para a sabedoria em seus domínios...

Devemos levantar voo com as asas espirituais que Deus nos concede para nos beneficiarmos de suas graças: é só parar, olhar para Ele, aproximarmo-nos e pedir. Uma destas asas que nos ajudam a voar é o sofrimento! Sim, sobretudo aquele que parece não ter uma solução terrena, que nos faz sentir quanto nossa vida é frágil e dependemos do auxílio divino.

É quando a pessoa para e percebe que não adianta negociar, brigar, dar um jeitinho... Ela deve abraçar o sofrimento e voar para Deus! Voar para ver como as coisas têm sentido se contempladas à luz dos olhos divinos, pois o que vale mesmo são as realidades sobrenaturais.

Devemos viver como o sábio, com as vistas postas na vida eterna e não como os tico-ticos, brigando por uma migalha de pão... Porque ter tudo sem Deus é não ter nada; mas perder tudo por Deus, até a própria vida, se preciso for, é ter tudo!

Por: Ir. Lúcia Nga Thi Vu, EP
(in "Revista Arautos do Evangelho", Agosto/2016, n. 176, pp. 50-51)

Loading
A lição dos tico-ticos

Redação (Quinta-feira, 24-08-2017, Gaudium Press) Quantas vezes, nesta vida, nossa atitude não é muito diferente da de dois passarinhos que brigam por uma migalha de pão, sem perceber o que está ao seu redor...

 * * * * *

A lição dos tico-ticos.pngSábio, pela definição filosófica clássica, é quem conhece e julga as coisas, pela razão natural, por suas últimas e mais altas causas. Entretanto, quando alguém as julga por instinto divino, possui o dom sobrenatural de sabedoria. É próprio deste dom do Espírito Santo conceder à alma uma visão profunda de todas as realidades, segundo o prisma divino.

Por isso, pode acontecer que uma alma simples e ignorante, sem estudos teológicos, possua "pelo dom de sabedoria um conhecimento profundíssimo das coisas divinas que pasma e maravilha aos mais eminentes teólogos". Tal foi o que sucedeu, por exemplo, a Santa Joana d'Arc, ante seus pérfidos juízes, ou a Santa Bernadete e aos Pastorinhos de Fátima, ao serem inquiridos sobre a veracidade das aparições de Nossa Senhora, em Lourdes e em Fátima.

E como tudo no universo criado tem uma estreita relação com seu Criador, até mesmo as mínimas coisas, se são contempladas à luz da sabedoria, nos manifestam sua ligação com Deus. Sendo este dom infundido no Batismo, é possível a qualquer cristão encontrar nos pequenos acontecimentos do dia a dia as lições que o Altíssimo deseja transmitir-lhe.

Foi o que se passou em uma de nossas casas quando, numa manhã, entraram no refeitório dois tico-ticos procurando o seu "desjejum"... Uma das religiosas que servia à mesa, vendo que a busca lhes resultava difícil, decidiu auxiliá-los, atirando-lhes umas migalhes de pão. Um dos passarinhos as encontrou e comeu, satisfeito. Novamente os dois tico-ticos receberam mais algumas migalhas das mãos amigas. Desta vez, porém, as avezinhas começaram a brigar pelo mesmo bocado, enquanto a religiosa que tinha o pão na mão lhes jogava mais alimento, para parar aquele duelo. Eles, contudo, nada viram e continuaram a peleja, despertando o sorriso das outras irmãs que observavam a cena.

Ora, quantas vezes nossa reação não é muito diferente da atitude destes dois passarinhos... Ficamos presos às nossas necessidades mais imediatas e não percebemos os aspectos mais altos de nossa existência!

Deus, que tem todo o universo nas mãos, nos derrama com abundância suas graças. Nós, todavia, como temos as nossas vistas postas nas coisas deste mundo, não vemos a imensidade destas graças em torno de nós e fixamos nossa atenção apenas nas coisinhas corriqueiras da vida concreta.

Em nosso tempo hodierno, onde prevalecem a correria e o poder do dinheiro, a mentalidade do homem se prende ao palpável e ao programado, fruto de uma concepção ateu-prática da existência, em que tudo funciona sem Deus. Quando acontece algo inesperado, uma desgraça qualquer, todos procuram uma explicação natural e um modo humano para resolver. Não há lugar para a sabedoria em seus domínios...

Devemos levantar voo com as asas espirituais que Deus nos concede para nos beneficiarmos de suas graças: é só parar, olhar para Ele, aproximarmo-nos e pedir. Uma destas asas que nos ajudam a voar é o sofrimento! Sim, sobretudo aquele que parece não ter uma solução terrena, que nos faz sentir quanto nossa vida é frágil e dependemos do auxílio divino.

É quando a pessoa para e percebe que não adianta negociar, brigar, dar um jeitinho... Ela deve abraçar o sofrimento e voar para Deus! Voar para ver como as coisas têm sentido se contempladas à luz dos olhos divinos, pois o que vale mesmo são as realidades sobrenaturais.

Devemos viver como o sábio, com as vistas postas na vida eterna e não como os tico-ticos, brigando por uma migalha de pão... Porque ter tudo sem Deus é não ter nada; mas perder tudo por Deus, até a própria vida, se preciso for, é ter tudo!

Por: Ir. Lúcia Nga Thi Vu, EP
(in "Revista Arautos do Evangelho", Agosto/2016, n. 176, pp. 50-51)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/89451-A-licao-dos-tico-ticos. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.




 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Hoje as Filhas espirituais de Dom Bosco e Madre Mazzarello estão presentes em 94 países com partic ...
 
Um grupo formado por bispos e peritos concluiu o texto que será enviado aos prelados de todo o paí ...
 
A visita faz parte das comemorações do I Dia dos Pobres, em 19 de novembro. ...
 
O purpurado recorda que a água é um dom de Deus, já que faz parte da obra da Criação, e que Jes ...
 
A imagem original é considerada milagrosa pelos habitantes locais e tradicionalmente tem sido lugar ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading