Loading
 
 
 
Loading
 
Beatificados 60 mártires da Guerra Civil Espanhola de 36
Loading
 
13 de Novembro de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 13-11-2017, Gaudium Press) Durante a reflexão que o Papa costuma fazer antes da recitação do Angelus nos domingos, Francisco tratou do evangelho do dia que falava das 'Virgens imprevidentes'.

13-11Beatificados 60 mártires da Guerra Civil espanhola de 36.jpg

O Papa fez algumas admoestações e deu conselhos reportando-se sempre à parábola do Evangelho do dia e do encontro com o Senhor:

"Seria bom pensar um pouco: um dia será o último. E se fosse hoje, como estaria preparado?", aconselhou Francisco.

"A condição para estar prontos ao encontro com o Senhor não é somente a fé, mas uma vida cristã plena de amor e de caridade pelo próximo", disse o Papa, continuando a recomendar aos fiéis: 

"Jesus exorta a vigiar: ‘Vigiai, pois não sabeis o dia, nem a hora'. Vigiar não significa apenas não dormir, mas estar preparados: não esperar até o último instante de nossa vida para colaborar com a graça de Deus, mas fazê-lo desde já".

Mártires de 36

Após rezar o Angelus e ainda dentro do espírito da reflexão recém feita, o Papa concedeu a todos a sua bênção.
Nas saudações finais, Francisco recordou que no sábado, 11/11, em Madri, foram proclamados beatos Vicente Queralt LLoret e seus 20 companheiros mártires, e José Maria Fernández Sánchez e também seus 38 companheiros mortos pelo fato de serem católicos e defenderem sua Fé.

Os 60 novos Beatos foram todos mortos por milicianos comunistas durante a guerra civil espanhola, entre os anos de 1936 e 1937.
Eles eram em sua maioria sacerdotes, religiosos, noviços, havendo entre eles também alguns leigos que foram "mortos por ódio à fé durante a perseguição religiosa" movida minuciosa e sistematicamente pelas comunistas, através de suas milícias.

"Damos graças a Deus pelo grande dom destas exemplares testemunhas de Cristo e do Evangelho", disse Francisco.

Sem dúvida, quando chegou para eles a hora, estavam todos eles preparados...

O Senhor poderia chegar para eles a qualquer momento: o sono da morte não os assustou: eles tinham reserva espiritual de sabedoria e prudência acumulada com as boas obras de todos os dias.


Irmãos da Congregação da Missão

Os primeiros martirizados que foram beatificados no sábado eram Irmãos da Congregação da Missão.
Entre os 20 companheiros mártires de Vicente Queralt Loret e os 38 companheiros de José Maria Fernández Sánchez havia muitos jovens:
Vicente Cecília Gallardo era um deles. Natural de Cabra, Córdoba, ele tinha apenas 22 anos.

Manuel Trachiner Montañana tinha 21 anos. Ele era de Puzol, Valencia. Foi educado pelas Filhas da Caridade, na Beneficência de Valencia.

O Senhor poderá chegar a qualquer momento...

Estes dois jovens foram mortos na estrada de Canillas, na madrugada de 20 de julho, quando se dirigiam a Madri para receber ordens de seus superiores religiosos.
Eles tinham colocado em suas malas a batina e o crucifixo: este foi o crime de que foram acusados e que lhes trouxe a morte vinda sem aviso prévio: Eles estavam preparados.

Também os outros companheiros estavam preparados para o encontro com o Senhor. Por isso hoje são Beatos, postos como exemplo de vida para os fiéis católicos. (JSG)

Loading
Beatificados 60 mártires da Guerra Civil Espanhola de 36

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 13-11-2017, Gaudium Press) Durante a reflexão que o Papa costuma fazer antes da recitação do Angelus nos domingos, Francisco tratou do evangelho do dia que falava das 'Virgens imprevidentes'.

13-11Beatificados 60 mártires da Guerra Civil espanhola de 36.jpg

O Papa fez algumas admoestações e deu conselhos reportando-se sempre à parábola do Evangelho do dia e do encontro com o Senhor:

"Seria bom pensar um pouco: um dia será o último. E se fosse hoje, como estaria preparado?", aconselhou Francisco.

"A condição para estar prontos ao encontro com o Senhor não é somente a fé, mas uma vida cristã plena de amor e de caridade pelo próximo", disse o Papa, continuando a recomendar aos fiéis: 

"Jesus exorta a vigiar: ‘Vigiai, pois não sabeis o dia, nem a hora'. Vigiar não significa apenas não dormir, mas estar preparados: não esperar até o último instante de nossa vida para colaborar com a graça de Deus, mas fazê-lo desde já".

Mártires de 36

Após rezar o Angelus e ainda dentro do espírito da reflexão recém feita, o Papa concedeu a todos a sua bênção.
Nas saudações finais, Francisco recordou que no sábado, 11/11, em Madri, foram proclamados beatos Vicente Queralt LLoret e seus 20 companheiros mártires, e José Maria Fernández Sánchez e também seus 38 companheiros mortos pelo fato de serem católicos e defenderem sua Fé.

Os 60 novos Beatos foram todos mortos por milicianos comunistas durante a guerra civil espanhola, entre os anos de 1936 e 1937.
Eles eram em sua maioria sacerdotes, religiosos, noviços, havendo entre eles também alguns leigos que foram "mortos por ódio à fé durante a perseguição religiosa" movida minuciosa e sistematicamente pelas comunistas, através de suas milícias.

"Damos graças a Deus pelo grande dom destas exemplares testemunhas de Cristo e do Evangelho", disse Francisco.

Sem dúvida, quando chegou para eles a hora, estavam todos eles preparados...

O Senhor poderia chegar para eles a qualquer momento: o sono da morte não os assustou: eles tinham reserva espiritual de sabedoria e prudência acumulada com as boas obras de todos os dias.


Irmãos da Congregação da Missão

Os primeiros martirizados que foram beatificados no sábado eram Irmãos da Congregação da Missão.
Entre os 20 companheiros mártires de Vicente Queralt Loret e os 38 companheiros de José Maria Fernández Sánchez havia muitos jovens:
Vicente Cecília Gallardo era um deles. Natural de Cabra, Córdoba, ele tinha apenas 22 anos.

Manuel Trachiner Montañana tinha 21 anos. Ele era de Puzol, Valencia. Foi educado pelas Filhas da Caridade, na Beneficência de Valencia.

O Senhor poderá chegar a qualquer momento...

Estes dois jovens foram mortos na estrada de Canillas, na madrugada de 20 de julho, quando se dirigiam a Madri para receber ordens de seus superiores religiosos.
Eles tinham colocado em suas malas a batina e o crucifixo: este foi o crime de que foram acusados e que lhes trouxe a morte vinda sem aviso prévio: Eles estavam preparados.

Também os outros companheiros estavam preparados para o encontro com o Senhor. Por isso hoje são Beatos, postos como exemplo de vida para os fiéis católicos. (JSG)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/91179-Beatificados-60-martires-da-Guerra-Civil-Espanhola-de-36. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.




 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Os monges relatam a história de seu encontro com Deus e os desafios de iniciar uma nova vida confia ...
 
Myanmar tem 50 milhões de habitantes. Destes, por volta de 1 por cento são cristãos. ...
 
“Esta data é a festa das (religiosas) contemplativas”, explicou a Madre Priora, Sor Marie Gemma ...
 
A comemoração mariana é uma das mais importantes da cidade espanhola com a participação de devo ...
 
A comunidade religiosa não conta com recursos suficientes para assumir a onerosa obrigação. ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading