Loading
 
 
 
Loading
 
Audiência Geral: Papa recorda viagem à Ásia
Loading
 
6 de Dezembro de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 06-12-2017, Gaudium Press) A Audiência Geral desta quarta-feira foi realizada na Sala Paulo VI, no Vaticano. Devido ao forte frio os cerca de 8 mil fiéis e peregrinos foram acomodados nessa ampla sala e o Papa saudou os presentes desde o seu longo corredor central.

06-12Audiência Geral-Papa recorda viagem à Ásia.jpg

As palavras de Francisco foram dedicadas a sua última viagem apostólica a Mianmar e Bangladesh. Ao agradecer as autoridades e bispos dos dois países visitados o Papa classificou sua visita com tendo sido um "grande dom de Deus".

Primeira etapa da Viagem

Mianmar foi a primeira etapa daquela que foi a 21° viagem apostólica de Francisco e foi também a primeira vez que um Papa esteve naquele país de maioria budista e onde os cristãos formam um pequeno, bem pequeno contingente de fiéis.

O Papa afirmou que com sua viagem "quis expressar a proximidade de Cristo e da Igreja a um povo que sofreu por causa de conflitos e repressões, e que agora está lentamente caminhando rumo a uma nova condição de paz e liberdade".

Francisco recordou o encontro que teve com os Bispos e as celebrações eucarísticas que presidiu. Ele lembrou a Missa no campo esportivo no centro de Yangun e o Evangelho daquele dia. Ele descreveu também o estado de ânimo que percebeu durante a sua segunda Missa que foi dedicada aos jovens. Segundo Francisco, "Nos rostos daqueles jovens vi o futuro da Ásia: um futuro que não será de quem constrói armas, mas de quem semeia fraternidade".

O Papa não deixou de comentar o encontro com as autoridades de Mianmar e com membros de outras religiões.

Bangladesh

Em seguida, o Pontífice falou de sua visitou a Bangladesh, país que é de população com maioria muçulmana e que a vista de Francisco marcou a terceira ida de um Papa a esse país, depois de Paulo VI e João Paulo II.

Francisco quis expressar particularmente sua solidariedade diante das autoridades do país no seu empenho em socorrer os refugiados Rohingya, que confluíram em massa ao território bengalês. O Papa recordou seu pedido "feito à comunidade internacional para que ajude esses refugiados, bem como os grupos oprimidos e perseguidos no mundo".

O Papa Francisco destacou, em sua recordação dos contatos com a comunidade católica, a Missa quando realizou a ordenação de 16 novos sacerdotes: ali é um lugar "onde graças a Deus não faltam vocações".

O Pontífice ressaltou a lembrança do encontro com os bispos, sacerdotes, consagradas e consagrados, e também com os seminaristas, as noviças e os noviços. Ele referiu-se também a visita à "Casa Madre Teresa", onde a santa residia quando se encontrava em Daca e que acolhe inúmeros órfãos e pessoas com deficiência. Foi nesta ocasião de seu pronunciamento que o Santo Padre prestou uma homenagem especial àquelas irmãs "que estão sempre com o sorriso no rosto. Sempre: um belo testemunho".

Francisco recordou ainda seu último evento em Bangladesh quando esteve com os jovens bengaleses. Para o Papa, um encontro rico de testemunhos, cantos e danças, "e como dançam bem os bengaleses", comentou, para logo encerar seus comentários. (JSG)


(Da Redação Gaudium Press, com Informações RV)

 

 

Loading
Audiência Geral: Papa recorda viagem à Ásia

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 06-12-2017, Gaudium Press) A Audiência Geral desta quarta-feira foi realizada na Sala Paulo VI, no Vaticano. Devido ao forte frio os cerca de 8 mil fiéis e peregrinos foram acomodados nessa ampla sala e o Papa saudou os presentes desde o seu longo corredor central.

06-12Audiência Geral-Papa recorda viagem à Ásia.jpg

As palavras de Francisco foram dedicadas a sua última viagem apostólica a Mianmar e Bangladesh. Ao agradecer as autoridades e bispos dos dois países visitados o Papa classificou sua visita com tendo sido um "grande dom de Deus".

Primeira etapa da Viagem

Mianmar foi a primeira etapa daquela que foi a 21° viagem apostólica de Francisco e foi também a primeira vez que um Papa esteve naquele país de maioria budista e onde os cristãos formam um pequeno, bem pequeno contingente de fiéis.

O Papa afirmou que com sua viagem "quis expressar a proximidade de Cristo e da Igreja a um povo que sofreu por causa de conflitos e repressões, e que agora está lentamente caminhando rumo a uma nova condição de paz e liberdade".

Francisco recordou o encontro que teve com os Bispos e as celebrações eucarísticas que presidiu. Ele lembrou a Missa no campo esportivo no centro de Yangun e o Evangelho daquele dia. Ele descreveu também o estado de ânimo que percebeu durante a sua segunda Missa que foi dedicada aos jovens. Segundo Francisco, "Nos rostos daqueles jovens vi o futuro da Ásia: um futuro que não será de quem constrói armas, mas de quem semeia fraternidade".

O Papa não deixou de comentar o encontro com as autoridades de Mianmar e com membros de outras religiões.

Bangladesh

Em seguida, o Pontífice falou de sua visitou a Bangladesh, país que é de população com maioria muçulmana e que a vista de Francisco marcou a terceira ida de um Papa a esse país, depois de Paulo VI e João Paulo II.

Francisco quis expressar particularmente sua solidariedade diante das autoridades do país no seu empenho em socorrer os refugiados Rohingya, que confluíram em massa ao território bengalês. O Papa recordou seu pedido "feito à comunidade internacional para que ajude esses refugiados, bem como os grupos oprimidos e perseguidos no mundo".

O Papa Francisco destacou, em sua recordação dos contatos com a comunidade católica, a Missa quando realizou a ordenação de 16 novos sacerdotes: ali é um lugar "onde graças a Deus não faltam vocações".

O Pontífice ressaltou a lembrança do encontro com os bispos, sacerdotes, consagradas e consagrados, e também com os seminaristas, as noviças e os noviços. Ele referiu-se também a visita à "Casa Madre Teresa", onde a santa residia quando se encontrava em Daca e que acolhe inúmeros órfãos e pessoas com deficiência. Foi nesta ocasião de seu pronunciamento que o Santo Padre prestou uma homenagem especial àquelas irmãs "que estão sempre com o sorriso no rosto. Sempre: um belo testemunho".

Francisco recordou ainda seu último evento em Bangladesh quando esteve com os jovens bengaleses. Para o Papa, um encontro rico de testemunhos, cantos e danças, "e como dançam bem os bengaleses", comentou, para logo encerar seus comentários. (JSG)


(Da Redação Gaudium Press, com Informações RV)

 

 

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/91653-Audiencia-Geral--Papa-recorda-viagem-a-Asia-. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.




 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

“É um momento de alegria profunda para a Arquidiocese, para a Igreja toda, porque mais uma vez ma ...
 
A festa em honra à Guadalupana contou com a presença de um considerável número de mexicanos, al ...
 
O bispo Dom João Wilk refletiu com os ordenados o trecho bíblico do Evangelista São João, “Já ...
 
José Cruz, cobrou dos jovens maior participação no inquérito preparatório do próximo Sínodo d ...
 
Atualmente, a capela abriga 23 afrescos do artista plástico romeno Emeric Marcier, refugiado no Bra ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading