Loading
 
 
 
Loading
 
Guarda Suíça apresenta novo capacete que empregará em seu serviço militar no Vaticano
Loading
 
8 de Maio de 2018 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Terça-feira, 08-05-2018, Gaudium Press) No dia 04 de maio, a Guarda Suíça, o menor exército do mundo, que serve ao Papa no Vaticano, apresentou o novo desenho de seu capacete, o qual estará em uso em 2019. O desenho foi apresentado na proximidade do aniversário do saque de Roma em 1527, comemorado no dia 06 de maio em honra do heroico sacrifício de 147 soldados que morreram protegendo ao Papa Clemente VII.

Guarda Suíça apresenta novo capacete que empregará em seu serviço militar no Vaticano.jpg

O novo desenho dos capacetes é o resultado de uma combinação de tradição e tecnologia. O novo modelo conserva a mesma forma dos capacetes tradicionais mas é produzido em PVC com a ajuda de tecnologia de impressão 3D para conseguir uma versão mais leve e poder introduzir o decorado do escudo de armas do Papa Júlio II em baixo-relevo.

O capacete mostrado nas apresentações é de cor negra com uma chamativa crista vermelha projetada para combinar com os coloridos uniformes da Guarda Suíça. A celebração em honra da Guarda Suíça por ocasião do Saque de Roma contou com a presença de toda a força, cerca de 110 homens, que sustentaram um encontro com autoridades religiosas, políticas e militares da Suíça, país que será visitado pelo Papa Francisco este ano.

A Guarda Suíça surge dos acordos de aliança entre os Estados Pontifícios e a Confederação Suíça e a instabilidade produzida pelas guerras italianas. Ante os rumores de guerra por parte do Rei Carlos VIII da França, o Papa Júlio II solicitou aos nobres suíços uma companhia para sua proteção pessoal em 1506. Vinte e um anos depois de sua criação, o pequeno exército do Papa teve a oportunidade de provar heroicamente sua valentia ao enfrentar cerca de mil mercenários luteranos pertencentes às forças armadas da Alemanha durante o saque de Roma registrado no dia 06 de maio de 1527. Os membros da guarda Suíça se colocaram diante da Basílica de São Pedro e continuaram combatendo enquanto perdiam terreno até o Altar Maior.

Dos 189 membros da Guarda Suíça somente 42 sobreviveram. Eles fecharam um círculo em torno do Papa Clemente VII e conseguiram que pudesse escapar por uma passagem até o Castelo de Sant'angelo. Em honra a esta notável batalha, no dia 06 de maio os novos membros da Guarda Suíça juram seu serviço ante o Papa e outros tomam posse caso tenham ascendidos. (EPC)

Loading
Guarda Suíça apresenta novo capacete que empregará em seu serviço militar no Vaticano

Cidade do Vaticano (Terça-feira, 08-05-2018, Gaudium Press) No dia 04 de maio, a Guarda Suíça, o menor exército do mundo, que serve ao Papa no Vaticano, apresentou o novo desenho de seu capacete, o qual estará em uso em 2019. O desenho foi apresentado na proximidade do aniversário do saque de Roma em 1527, comemorado no dia 06 de maio em honra do heroico sacrifício de 147 soldados que morreram protegendo ao Papa Clemente VII.

Guarda Suíça apresenta novo capacete que empregará em seu serviço militar no Vaticano.jpg

O novo desenho dos capacetes é o resultado de uma combinação de tradição e tecnologia. O novo modelo conserva a mesma forma dos capacetes tradicionais mas é produzido em PVC com a ajuda de tecnologia de impressão 3D para conseguir uma versão mais leve e poder introduzir o decorado do escudo de armas do Papa Júlio II em baixo-relevo.

O capacete mostrado nas apresentações é de cor negra com uma chamativa crista vermelha projetada para combinar com os coloridos uniformes da Guarda Suíça. A celebração em honra da Guarda Suíça por ocasião do Saque de Roma contou com a presença de toda a força, cerca de 110 homens, que sustentaram um encontro com autoridades religiosas, políticas e militares da Suíça, país que será visitado pelo Papa Francisco este ano.

A Guarda Suíça surge dos acordos de aliança entre os Estados Pontifícios e a Confederação Suíça e a instabilidade produzida pelas guerras italianas. Ante os rumores de guerra por parte do Rei Carlos VIII da França, o Papa Júlio II solicitou aos nobres suíços uma companhia para sua proteção pessoal em 1506. Vinte e um anos depois de sua criação, o pequeno exército do Papa teve a oportunidade de provar heroicamente sua valentia ao enfrentar cerca de mil mercenários luteranos pertencentes às forças armadas da Alemanha durante o saque de Roma registrado no dia 06 de maio de 1527. Os membros da guarda Suíça se colocaram diante da Basílica de São Pedro e continuaram combatendo enquanto perdiam terreno até o Altar Maior.

Dos 189 membros da Guarda Suíça somente 42 sobreviveram. Eles fecharam um círculo em torno do Papa Clemente VII e conseguiram que pudesse escapar por uma passagem até o Castelo de Sant'angelo. Em honra a esta notável batalha, no dia 06 de maio os novos membros da Guarda Suíça juram seu serviço ante o Papa e outros tomam posse caso tenham ascendidos. (EPC)


 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Os preparativos para a Festa de Nossa Senhora Aparecida deste ano já estão acontecendo. ...
 
Nesta segunda-feira, 21 de maio, a Igreja celebra pela primeira vez a festa de Santa Maria Mãe de D ...
 
Durante a cerimônia, houve o testemunho de fé de Maria Helena Chartuni, responsável pela restaura ...
 
Uma Igreja que é mãe segue o caminho da ternura, conhece a linguagem da sabedoria do carinho, do s ...
 
Programação extensa animou o público presente nas celebrações em memória à descida do Espíri ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading