Loading
 
 
 
Loading
 
O primeiro olhar de Jesus
Loading
 
26 de Dezembro de 2018 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 


Redação (Quarta-feira, 26-12-2018, Gaudium Press) A quem o Menino Jesus dirigiu seu primeiro olhar?
Ai está uma pergunta que conduz a conjecturas amorosas, inocentes, cheias de enlevo, veneração e ternura.
Dentro da oitava do Natal, quando ainda ecoam em nossas almas o convite para recebermos em nossos corações o Menino Jesus que acaba de nascer, sigamos pensamentos surgidos da contemplação do presépio:

Virgem-e-o-Menino-2.jpg 

A quem, Senhor Deus menino,
Dirigir vosso primeiro olhar?
A quem, senão ao rosto quase divino
Da criatura vossa mais perfeita,
A primeira a Vos contemplar:
Vossa Mãe que nos braços Vos estreita
Junto a seu Imaculado Coração,
No ato mais sublime de adoração?

Natal é Deus excelso feito menino,
Deus imenso contido na manjedoura,
Acessível a nós, acolhedor, pequenino.
É a Inocência em missão redentora.
É Deus eterno vivendo no tempo,
Criador de tudo, nascido ao relento,
Olhos humanos, vendo o invisível!
Ó condescendência incompreensível!

Exultemos! O Rei da Glória é nosso irmão:
Sua Mãe é também nossa, na pessoa de João!
Mil coisas antes inexcitáveis
Tornaram-se agora indagáveis!
Senhora, não Vos surpreende a semelhança
Que Jesus quis ter convosco, por herança?
Senhor, não Vos surpreende a graciosidade
De vossa Mãe, que mais parece uma divindade?

Ao contemplar vosso próprio rosto
Nesse espelho criado a vosso gosto
Para refletir em seu imenso conjunto
Todas as vossas infinitas perfeições,
Dizei-nos quais sentimentos e afeições
Experimentam vossos corações tão juntos,
Olhando-se enlevados e querendo-se bem
Como jamais alguém quis alguém!
Amor materno jamais houve tão ardente!
Filho algum amou sua mãe tão plenamente!

Como se algo no Céu Vos faltasse,
Deus fez da Virgem vosso Paraíso
Para que Ela tanto Vos deleitasse
Que o exílio fosse vantagem, não prejuízo!
Para surpreender-Vos no primeiro olhar,
Deus só não fez vossa Mãe mais perfeita
Porque mais perfeição seria Vos igualar!
E isto, a unidade da Trindade rejeita.

Dissestes que vossas delícias consistem
No convívio com os filhos do homem!
Em vosso convívio inefável com Maria,
Que em vossa humanidade Vos delicia,
Já saboreais as doces e afáveis primícias
Do vosso indizível convívio com os Santos
Que os filhos dos homens Vos darão tantos!
Nas intimidades dessas primeiras carícias
Encontrais, deveras, o que faz vossas delícias!

Ele próprio A criou no Espírito Santo
E A representou maravilhosamente
Em todas as suas obras, certamente
Para, neste olhar, ser Ela vosso encanto!
Dizem que Deus Pai, ao criar Maria,
Esgotou sua inesgotável imaginação.
Ao excogitar a Mãe de vossa dileção,
Teria esgotado também sua fantasia!

É em vossa humanidade, unida à divindade
Na mais perfeita e sublime intimidade
De vossa natureza humana com a divina,
Que essa indizível convivência se sublima!
Sois homem, sem prejuízo da divindade,
Sois Deus, sem prejuízo da humanidade!
Este sois Vós, ó glorioso Cristo Jesus!
Verdadeiro homem, podeis morrer na Cruz,
Verdadeiro Deus, podeis retomar a vida
E proclamar a inocência redimida!

Um Deus assume a miséria humana
Em tão íntima e profunda união
Que, ao assumir, redime a miséria e sana!
Quisestes nascer de nossa descendência,
Para elevar-nos à inexprimível condição
De pertencermos à vossa divina ascendência!
Nosso gáudio é o do prisioneiro indultado;
Nossa alegria é a do doente incurável, curado!

Nossa gratidão é cantar vossos louvores,
Como outrora cantaram anjos e pastores!

Por Antônio Queiros
(in "Revista Arautos do Evangelho")

 

 

Loading
O primeiro olhar de Jesus


Redação (Quarta-feira, 26-12-2018, Gaudium Press) A quem o Menino Jesus dirigiu seu primeiro olhar?
Ai está uma pergunta que conduz a conjecturas amorosas, inocentes, cheias de enlevo, veneração e ternura.
Dentro da oitava do Natal, quando ainda ecoam em nossas almas o convite para recebermos em nossos corações o Menino Jesus que acaba de nascer, sigamos pensamentos surgidos da contemplação do presépio:

Virgem-e-o-Menino-2.jpg 

A quem, Senhor Deus menino,
Dirigir vosso primeiro olhar?
A quem, senão ao rosto quase divino
Da criatura vossa mais perfeita,
A primeira a Vos contemplar:
Vossa Mãe que nos braços Vos estreita
Junto a seu Imaculado Coração,
No ato mais sublime de adoração?

Natal é Deus excelso feito menino,
Deus imenso contido na manjedoura,
Acessível a nós, acolhedor, pequenino.
É a Inocência em missão redentora.
É Deus eterno vivendo no tempo,
Criador de tudo, nascido ao relento,
Olhos humanos, vendo o invisível!
Ó condescendência incompreensível!

Exultemos! O Rei da Glória é nosso irmão:
Sua Mãe é também nossa, na pessoa de João!
Mil coisas antes inexcitáveis
Tornaram-se agora indagáveis!
Senhora, não Vos surpreende a semelhança
Que Jesus quis ter convosco, por herança?
Senhor, não Vos surpreende a graciosidade
De vossa Mãe, que mais parece uma divindade?

Ao contemplar vosso próprio rosto
Nesse espelho criado a vosso gosto
Para refletir em seu imenso conjunto
Todas as vossas infinitas perfeições,
Dizei-nos quais sentimentos e afeições
Experimentam vossos corações tão juntos,
Olhando-se enlevados e querendo-se bem
Como jamais alguém quis alguém!
Amor materno jamais houve tão ardente!
Filho algum amou sua mãe tão plenamente!

Como se algo no Céu Vos faltasse,
Deus fez da Virgem vosso Paraíso
Para que Ela tanto Vos deleitasse
Que o exílio fosse vantagem, não prejuízo!
Para surpreender-Vos no primeiro olhar,
Deus só não fez vossa Mãe mais perfeita
Porque mais perfeição seria Vos igualar!
E isto, a unidade da Trindade rejeita.

Dissestes que vossas delícias consistem
No convívio com os filhos do homem!
Em vosso convívio inefável com Maria,
Que em vossa humanidade Vos delicia,
Já saboreais as doces e afáveis primícias
Do vosso indizível convívio com os Santos
Que os filhos dos homens Vos darão tantos!
Nas intimidades dessas primeiras carícias
Encontrais, deveras, o que faz vossas delícias!

Ele próprio A criou no Espírito Santo
E A representou maravilhosamente
Em todas as suas obras, certamente
Para, neste olhar, ser Ela vosso encanto!
Dizem que Deus Pai, ao criar Maria,
Esgotou sua inesgotável imaginação.
Ao excogitar a Mãe de vossa dileção,
Teria esgotado também sua fantasia!

É em vossa humanidade, unida à divindade
Na mais perfeita e sublime intimidade
De vossa natureza humana com a divina,
Que essa indizível convivência se sublima!
Sois homem, sem prejuízo da divindade,
Sois Deus, sem prejuízo da humanidade!
Este sois Vós, ó glorioso Cristo Jesus!
Verdadeiro homem, podeis morrer na Cruz,
Verdadeiro Deus, podeis retomar a vida
E proclamar a inocência redimida!

Um Deus assume a miséria humana
Em tão íntima e profunda união
Que, ao assumir, redime a miséria e sana!
Quisestes nascer de nossa descendência,
Para elevar-nos à inexprimível condição
De pertencermos à vossa divina ascendência!
Nosso gáudio é o do prisioneiro indultado;
Nossa alegria é a do doente incurável, curado!

Nossa gratidão é cantar vossos louvores,
Como outrora cantaram anjos e pastores!

Por Antônio Queiros
(in "Revista Arautos do Evangelho")

 

 

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/100111-O-primeiro-olhar-de-Jesus. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

O Papa Francisco nomeou, hoje festa de São José, Mons. Piergiorgio Bertoldi como Novo Núncio A ...
 
A passagem do ciclone Idai deixou cenário de destruição na cidade da Beira, em Moçambique. ...
 
Anualmente milhares de peregrinos realizam o Caminho de Santiago, a conhecida rota que parte de dife ...
 
Através de uma carta pastoral, Dom William Goh Seng Chye explica que os artistas, “através de su ...
 
Nas áreas flageladas pelo Idai vivem atualmente cerca de 1,6 milhões de pessoas. ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading