Loading
 
 
 
Loading
 
Venezuela e Missões – destinos preferidos para as “partilhas quaresmais” portuguesas
Loading
 
7 de Março de 2019 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Lisboa - Portugal (Quinta-feira, 07-03-2019, Gaudium Press) A Quaresma é um tempo de 40 dias que tem início com a celebração de Cinzas, marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa.

Venezuela e Missões ? destinos preferidos para as 'partilhas quaresmais' portuguesas.jpg

As dioceses portuguesas no que se refere ao destino das "partilhas quaresmais" recolhidas neste período visam a solidariedade interna de Portugal e convida as suas comunidades a não esquecerem as muitas outras populações que passam dificuldades um pouco por todo o mundo, sobretudo no continente africano.

A prioridade em 2019 está orientada mais para a ajuda a projetos missionários, sobretudo os realizados em países lusófonos, e o apoio a dioceses da Venezuela visando favorecer a resolução da crise naquele país.

Isto é o que se vê nas várias mensagens publicadas pelas dioceses portuguesas.

Chama a atenção

Chama a atenção aquelas mensagens que informam que as partilhas dedicadas a este tempo quaresmal, serão destinadas ao favorecimento de dioceses Venezuelanas.

O intuito, como se afirma, é de ajudar na solução da crise social oriunda da situação de instabilidade política e social que persiste na Venezuela, e que afeta numerosa comunidade de emigrantes de origem portuguesa que lá vivem.

Diocese de Funchal

Dom Nuno Brás, bispo de Funchal, no Arquipélago da Madeira, território do qual é originária uma boa parte da comunidade portuguesa radicada na Venezuela, é um dos principais promotores deste gesto de solidariedade fraterna.

O bispo salienta a urgência em "ajudar os madeirenses que lá estão e passam por um momento muito difícil na sua vida".

O convite à solidariedade em relação aos "irmãos venezuelanos" estende-se também a várias outras dioceses nacionais, como Porto, Évora e Viseu, que recordam os muitos homens e mulheres, crianças e jovens "sofredores" e com "necessidades testemunhadas" por toda a comunidade internacional.

Patriarcado de Lisboa

O cardeal-patriarca de Lisboa afirma em sua mensagem para a Quaresma que a "vastidão e peso dos problemas", como a proteção de menores na Igreja, gera "contradições" que não devem levar à paralisação e apela à solidariedade para com a Venezuela.

Dom Manuel Clemente disse que a renúncia quaresmal deste ano, no Patriarcado de Lisboa, será para corresponder ao "apelo da Cáritas da Venezuela" e ao pedido de "proximidade e comunhão com os mais pobres do seu país, nas dramáticas circunstâncias em que vivem".

Diocese de Setúbal

O bispo de Setúbal Dom José Ornelas explica que a Quaresma na diocese será marcada por "atitudes reais de encontro/partilha".

O Prelado explica também que a renúncia quaresmal se destina a "alimentar o Fundo Diocesano de Emergência" e para a Igreja na Venezuela.

"Criou-se o bom costume de ter um objetivo comum da nossa diocese, como abertura a quem mais precisa através da nossa privação e jejum.

Este ano, a nossa renúncia quaresmal terá, como é hábito, dois objetivos, sendo um de solidariedade interna de Setúbal e outro de abertura às necessidades do mundo", disse Dom José Ornelas.

Em sua mensagem o bispo diocesano explica que a "partilha mais próxima" é para "alimentar" o Fundo Diocesano de Emergência, que "assiste as situações especiais de carência", e a partilha universal destina-se a "ajudar" a Igreja na Venezuela na "crise extrema dos pobres que a ela recorrem".

Aveiro: esforço solidário em nome da Venezuela

Dom Antônio Moiteiro, bispo da Diocese de Aveiro, na mensagem distribuída à imprensa, realça que "a Quaresma um tempo de renovação e conversão interior, os católicos são chamados a cultivar um estilo de vida simples e austero, partilhando os seus bens com os mais necessitados".

A Diocese de Aveiro, informou o Bispo, vai dedicar a renúncia quaresmal deste ano para o apoio à Venezuela. Um país que conta com um grande contingente de emigrantes portugueses e que passa "por momentos muito difíceis quer na vivência como povo quer na satisfação de necessidades básicas", como "a alimentação e a saúde".

Dom Antônio recorda que a Venezuela é um país a quem a Diocese de Aveiro é especialmente "devedora", pelo "contributo partilhado anteriormente com tantas paróquias e centros sociais da região".

Vários grupos de migrantes que saíram da Venezuela, devido à crise, estão atualmente radicados na região de Aveiro, em Estarreja e em outras localidades da diocese, e têm conseguido integrar-se da melhor forma na sociedade, são mesmo já considerados uma importante alavanca da economia da região.

D. Antônio Moiteiro realça ainda que, sendo a Quaresma um tempo de renovação e conversão interior, os católicos são chamados a cultivar um estilo de vida simples e austero, partilhando os seus bens com os mais necessitados". (JSG)

 

Loading
Venezuela e Missões – destinos preferidos para as “partilhas quaresmais” portuguesas

Lisboa - Portugal (Quinta-feira, 07-03-2019, Gaudium Press) A Quaresma é um tempo de 40 dias que tem início com a celebração de Cinzas, marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa.

Venezuela e Missões ? destinos preferidos para as 'partilhas quaresmais' portuguesas.jpg

As dioceses portuguesas no que se refere ao destino das "partilhas quaresmais" recolhidas neste período visam a solidariedade interna de Portugal e convida as suas comunidades a não esquecerem as muitas outras populações que passam dificuldades um pouco por todo o mundo, sobretudo no continente africano.

A prioridade em 2019 está orientada mais para a ajuda a projetos missionários, sobretudo os realizados em países lusófonos, e o apoio a dioceses da Venezuela visando favorecer a resolução da crise naquele país.

Isto é o que se vê nas várias mensagens publicadas pelas dioceses portuguesas.

Chama a atenção

Chama a atenção aquelas mensagens que informam que as partilhas dedicadas a este tempo quaresmal, serão destinadas ao favorecimento de dioceses Venezuelanas.

O intuito, como se afirma, é de ajudar na solução da crise social oriunda da situação de instabilidade política e social que persiste na Venezuela, e que afeta numerosa comunidade de emigrantes de origem portuguesa que lá vivem.

Diocese de Funchal

Dom Nuno Brás, bispo de Funchal, no Arquipélago da Madeira, território do qual é originária uma boa parte da comunidade portuguesa radicada na Venezuela, é um dos principais promotores deste gesto de solidariedade fraterna.

O bispo salienta a urgência em "ajudar os madeirenses que lá estão e passam por um momento muito difícil na sua vida".

O convite à solidariedade em relação aos "irmãos venezuelanos" estende-se também a várias outras dioceses nacionais, como Porto, Évora e Viseu, que recordam os muitos homens e mulheres, crianças e jovens "sofredores" e com "necessidades testemunhadas" por toda a comunidade internacional.

Patriarcado de Lisboa

O cardeal-patriarca de Lisboa afirma em sua mensagem para a Quaresma que a "vastidão e peso dos problemas", como a proteção de menores na Igreja, gera "contradições" que não devem levar à paralisação e apela à solidariedade para com a Venezuela.

Dom Manuel Clemente disse que a renúncia quaresmal deste ano, no Patriarcado de Lisboa, será para corresponder ao "apelo da Cáritas da Venezuela" e ao pedido de "proximidade e comunhão com os mais pobres do seu país, nas dramáticas circunstâncias em que vivem".

Diocese de Setúbal

O bispo de Setúbal Dom José Ornelas explica que a Quaresma na diocese será marcada por "atitudes reais de encontro/partilha".

O Prelado explica também que a renúncia quaresmal se destina a "alimentar o Fundo Diocesano de Emergência" e para a Igreja na Venezuela.

"Criou-se o bom costume de ter um objetivo comum da nossa diocese, como abertura a quem mais precisa através da nossa privação e jejum.

Este ano, a nossa renúncia quaresmal terá, como é hábito, dois objetivos, sendo um de solidariedade interna de Setúbal e outro de abertura às necessidades do mundo", disse Dom José Ornelas.

Em sua mensagem o bispo diocesano explica que a "partilha mais próxima" é para "alimentar" o Fundo Diocesano de Emergência, que "assiste as situações especiais de carência", e a partilha universal destina-se a "ajudar" a Igreja na Venezuela na "crise extrema dos pobres que a ela recorrem".

Aveiro: esforço solidário em nome da Venezuela

Dom Antônio Moiteiro, bispo da Diocese de Aveiro, na mensagem distribuída à imprensa, realça que "a Quaresma um tempo de renovação e conversão interior, os católicos são chamados a cultivar um estilo de vida simples e austero, partilhando os seus bens com os mais necessitados".

A Diocese de Aveiro, informou o Bispo, vai dedicar a renúncia quaresmal deste ano para o apoio à Venezuela. Um país que conta com um grande contingente de emigrantes portugueses e que passa "por momentos muito difíceis quer na vivência como povo quer na satisfação de necessidades básicas", como "a alimentação e a saúde".

Dom Antônio recorda que a Venezuela é um país a quem a Diocese de Aveiro é especialmente "devedora", pelo "contributo partilhado anteriormente com tantas paróquias e centros sociais da região".

Vários grupos de migrantes que saíram da Venezuela, devido à crise, estão atualmente radicados na região de Aveiro, em Estarreja e em outras localidades da diocese, e têm conseguido integrar-se da melhor forma na sociedade, são mesmo já considerados uma importante alavanca da economia da região.

D. Antônio Moiteiro realça ainda que, sendo a Quaresma um tempo de renovação e conversão interior, os católicos são chamados a cultivar um estilo de vida simples e austero, partilhando os seus bens com os mais necessitados". (JSG)

 


 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Na província montanhosa de Yen Bai, nas Filipinas, após 100 anos foi celebrada a primeira Missa do ...
 
Não somos distribuidores de azeite em garrafa. Somos ungidos para ungir, distribuindo-nos a nós me ...
 
O suspeito estava com quatro galões de gasolina, duas latas de fluído de isqueiro e dois isqueiros ...
 
Esbofeteamos Jesus, como o fizeram seus cruéis algozes: o pecado é, em certa medida, uma participa ...
 
Nosso Senhor Jesus Cristo, com sua Morte na Cruz, derrotou o poder das trevas e quebrou-lhe o vigor, ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading