Loading
 
 
 
Loading
 
No Angelus, Papa afirma: “dizer-se cristão não é o mesmo que ser cristão”
Loading
 
19 de Agosto de 2019 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 19-08-2019, Gaudium Press) Dizer-se cristão é bom, mas é preciso ser cristão, de fato.
Esta coerência foi pedida pelo Papa Francisco em suas palavras ditas antes da recitação da oração do Angelus, no domingo, 18/08, na Praça São Pedro.

No Angelus, Papa afirma- dizer-se cristão não é o mesmo que ser cristão-Foto Vatican News.png

A liturgia deste domingo propôs para leitura do Evangelho o capítulo 12 de São Lucas, versículos 49-53.

Não se pode adiar a opção pelo Evangelho

O Papa escolheu comentar em sua catequese o trecho de São Lucas, no qual Jesus adverte os discípulos de que chegou o momento da decisão:

"A sua vinda ao mundo, de fato, coincide com o tempo das escolhas decisivas: não se pode adiar a opção pelo Evangelho", explicou o Papa.

Lançar fogo na terra

Para Francisco, para exemplificar melhor esse chamado da Providência, Jesus utilizou a imagem do fogo que o próprio Nosso Senhor veio trazer à terra:

"Vim lançar fogo na terra; e que mais quero, se já está aceso ?"

O Papa comenta que essas palavras têm a finalidade de ajudar os discípulos a abandonar toda atitude de preguiça, de apatia, de indiferença e de fechamento para acolher o fogo do amor de Deus:

"Jesus revela aos seus amigos, e também a nós, o seu desejo mais ardente: levar sobre a terra o fogo do amor do Pai, que acende a vida e mediante o qual o homem é salvo."
E este fogo que Jesus acende no mundo por meio do Divino Espírito Santo, disse ainda, é sem limites.

"Incêndio benéfico"

Segundo as palavras de Francisco, isto foi o que aconteceu desde os primeiros tempos do Cristianismo:
o testemunho do Evangelho se propagou como um "incêndio benéfico, superando toda divisão entre indivíduos, categorias sociais, povos e nações".

Aderir a este fogo significa duas coisas: adorar a Deus e a disponibilidade a servir o próximo.

A primeira quer dizer "aprender a oração da adoração, que com frequência esquecemos", afirmou o Papa, convidando os fiéis a descobrirem a beleza desta oração.

A segunda coisa é estar disponível a servir o próximo.

"Para viver segundo o espírito do Evangelho, é preciso que, diante das sempre novas necessidades que aparecem no mundo, haja discípulos de Cristo que saibam responder com novas iniciativas de caridade.
Assim, o Evangelho se manifesta realmente como fogo que salva, que transforma o mundo a partir da mudança do coração de cada um."

Escolhas coerentes com o Evangelho

O Papa explicou outra passagem do Evangelho de Lucas:
‘Cuidais vós que vim trazer paz à terra? Não, vos digo, mas antes dissensão'.

Então, Jesus veio para "separar com o fogo" o bem do mal, o justo do injusto:
"Neste sentido, Jesus veio para "dividir", para colocar "em crise" - mas de modo saudável - a vida dos seus discípulos, desfazendo as fáceis ilusões daqueles que acreditam poder conjugar vida cristã e mundanidade, vida cristã e acordos de todo gênero, práticas religiosas e atitudes contra o próximo."

Deixar a hipocrisia de lado

A adesão a este fogo requer deixar a hipocrisia de lado e estar dispostos a pagar o preço por escolhas coerentes com o Evangelho: "Esta é a atitude que cada um deve buscar na vida: coerência", e pagar o preço por ela.

Antes de encerrar, Francisco pediu a Maria que "nos ajude a deixar-nos purificar o coração pelo fogo trazido por Jesus, para propagá-lo com a nossa vida, mediante escolhas firmes e corajosas".

E concluiu seu pensamento:

"É bom dizer-se cristãos, mas é preciso antes de tudo ser cristãos nas situações concretas, testemunhando o Evangelho, que é, essencialmente, amor por Deus e pelos irmãos."  (JSG)

(Da Redação Gaudium Press, com informações VaticanNews)

 

Loading
No Angelus, Papa afirma: “dizer-se cristão não é o mesmo que ser cristão”

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 19-08-2019, Gaudium Press) Dizer-se cristão é bom, mas é preciso ser cristão, de fato.
Esta coerência foi pedida pelo Papa Francisco em suas palavras ditas antes da recitação da oração do Angelus, no domingo, 18/08, na Praça São Pedro.

No Angelus, Papa afirma- dizer-se cristão não é o mesmo que ser cristão-Foto Vatican News.png

A liturgia deste domingo propôs para leitura do Evangelho o capítulo 12 de São Lucas, versículos 49-53.

Não se pode adiar a opção pelo Evangelho

O Papa escolheu comentar em sua catequese o trecho de São Lucas, no qual Jesus adverte os discípulos de que chegou o momento da decisão:

"A sua vinda ao mundo, de fato, coincide com o tempo das escolhas decisivas: não se pode adiar a opção pelo Evangelho", explicou o Papa.

Lançar fogo na terra

Para Francisco, para exemplificar melhor esse chamado da Providência, Jesus utilizou a imagem do fogo que o próprio Nosso Senhor veio trazer à terra:

"Vim lançar fogo na terra; e que mais quero, se já está aceso ?"

O Papa comenta que essas palavras têm a finalidade de ajudar os discípulos a abandonar toda atitude de preguiça, de apatia, de indiferença e de fechamento para acolher o fogo do amor de Deus:

"Jesus revela aos seus amigos, e também a nós, o seu desejo mais ardente: levar sobre a terra o fogo do amor do Pai, que acende a vida e mediante o qual o homem é salvo."
E este fogo que Jesus acende no mundo por meio do Divino Espírito Santo, disse ainda, é sem limites.

"Incêndio benéfico"

Segundo as palavras de Francisco, isto foi o que aconteceu desde os primeiros tempos do Cristianismo:
o testemunho do Evangelho se propagou como um "incêndio benéfico, superando toda divisão entre indivíduos, categorias sociais, povos e nações".

Aderir a este fogo significa duas coisas: adorar a Deus e a disponibilidade a servir o próximo.

A primeira quer dizer "aprender a oração da adoração, que com frequência esquecemos", afirmou o Papa, convidando os fiéis a descobrirem a beleza desta oração.

A segunda coisa é estar disponível a servir o próximo.

"Para viver segundo o espírito do Evangelho, é preciso que, diante das sempre novas necessidades que aparecem no mundo, haja discípulos de Cristo que saibam responder com novas iniciativas de caridade.
Assim, o Evangelho se manifesta realmente como fogo que salva, que transforma o mundo a partir da mudança do coração de cada um."

Escolhas coerentes com o Evangelho

O Papa explicou outra passagem do Evangelho de Lucas:
‘Cuidais vós que vim trazer paz à terra? Não, vos digo, mas antes dissensão'.

Então, Jesus veio para "separar com o fogo" o bem do mal, o justo do injusto:
"Neste sentido, Jesus veio para "dividir", para colocar "em crise" - mas de modo saudável - a vida dos seus discípulos, desfazendo as fáceis ilusões daqueles que acreditam poder conjugar vida cristã e mundanidade, vida cristã e acordos de todo gênero, práticas religiosas e atitudes contra o próximo."

Deixar a hipocrisia de lado

A adesão a este fogo requer deixar a hipocrisia de lado e estar dispostos a pagar o preço por escolhas coerentes com o Evangelho: "Esta é a atitude que cada um deve buscar na vida: coerência", e pagar o preço por ela.

Antes de encerrar, Francisco pediu a Maria que "nos ajude a deixar-nos purificar o coração pelo fogo trazido por Jesus, para propagá-lo com a nossa vida, mediante escolhas firmes e corajosas".

E concluiu seu pensamento:

"É bom dizer-se cristãos, mas é preciso antes de tudo ser cristãos nas situações concretas, testemunhando o Evangelho, que é, essencialmente, amor por Deus e pelos irmãos."  (JSG)

(Da Redação Gaudium Press, com informações VaticanNews)

 


 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

No último sábado, 14, a Catedral Basílica da Imaculada Conceição, ficou repleta de fiéis que a ...
 
A imagem ficou exposta durante toda a tarde à veneração dos fiéis, antes de ser levada à popula ...
 
Ele era carente de capacidade intelectual a ponto de chamar-se a si mesmo de "Frei Burro". Mas, chei ...
 
Mais de 60 mil pessoas se reuniram nos terrenos de um aeroporto em Wloclawek, Polônia, para celebra ...
 
Construído no Brasil em pleno século XX, o mosteiro de Claraval participa da mesma essência arqui ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading