Loading
 
 
 
Loading
 
"Somos todos chamados à santidade", diz Papa
Loading
 
1 de Novembro de 2019 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Sexta-feira, 01-11-2019, Gaudium Press) Em uma reflexão feita antes da oração do Angelus, neste dia 1º de novembro na Praça São Pedro, o Papa afirmou que "os Santos e as Santas de todos os tempos não são simplesmente símbolos, seres humanos distantes, inalcançáveis".

Somos todos chamados à santidade, diz Papa - Foto Arquivo Gaudium Press.jpg

Pelo contrário, "são pessoas que viveram com os pés no chão; eles experimentaram a fadiga diária da existência com os seus sucessos e fracassos, encontrando no Senhor a força para se levantar e continuar o caminho".

"Isso demonstra que a santidade é uma meta que não pode ser alcançada apenas pelas próprias forças, mas é o fruto da graça de Deus e da nossa livre resposta a ela. Portanto, a santidade é dom e chamado".

Francisco recordou nessa Solenidade de Todos os Santos, que a Igreja "somos todos chamados à santidade".

A Graça, Santidade, batismo

O Pontífice explicou que a graça de Deus "é algo que não podemos comprar ou trocar, mas acolher, participando assim da mesma vida divina através do Espírito Santo que habita em nós desde o dia do nosso Batismo".

"A semente da santidade é precisamente o Batismo", destacou.

Santidade é uma resposta ao chamado de Deus para a plena comunhão

"Trata-se de amadurecer sempre mais a consciência de que estamos enxertados em Cristo, como o ramo está unido à videira, e por isso podemos e devemos viver com Ele e Nele como filhos de Deus.

Então a santidade é viver em plena comunhão com Deus, já agora, durante a peregrinação terrena".

Do mesmo modo, afirmou que a santidade "além de ser um dom, é também um chamado, uma vocação comum a todos nós, aos discípulos de Cristo; é o caminho de plenitude que cada cristão é chamado a percorrer na fé, caminhando para a meta final: a comunhão definitiva com Deus na vida eterna".

"A santidade torna-se assim uma resposta ao dom de Deus, porque se manifesta como assunção de responsabilidade. Nesta perspectiva, é importante assumir um sério e cotidiano compromisso de santificação nas condições, deveres e circunstâncias da nossa vida, procurando viver tudo com amor, com caridade".

Quem são os Santos

"Os Santos que celebramos hoje na liturgia são irmãos e irmãs que admitiram em suas vidas a necessidade dessa luz divina, de abandonar-se a ela com confiança. E agora, diante do trono de Deus, cantando sua glória por toda a eternidade", afirmou Francisco.

Dificuldades na caminhada terrena rumo Cidade Santa e esperança

O Pontífice disse que os santos "constituem a 'Cidade Santa', a qual olhamos com esperança como nossa meta definitiva, enquanto somos peregrinos na 'cidade terrena'. Caminhamos para a Cidade Santa, onde esses santos irmãos e irmãs nos esperam".

"É certo, estamos cansados das dificuldades do caminho, mas a esperança nos dá a força para seguir em frente. Olhando para as vidas dos santos, somos encorajados a imitá-los. Entre eles, estão muitas testemunhas de uma santidade ‘da porta ao lado, daqueles que vivem perto de nós e são reflexo da presença de Deus'".

"A recordação dos Santos leva-nos a erguer os olhos para o Céu: não para esquecer as realidades da terra, mas para enfrentá-las com mais coragem e esperança", concluiU Francisco.

(JSG)

 

Loading
"Somos todos chamados à santidade", diz Papa

Cidade do Vaticano (Sexta-feira, 01-11-2019, Gaudium Press) Em uma reflexão feita antes da oração do Angelus, neste dia 1º de novembro na Praça São Pedro, o Papa afirmou que "os Santos e as Santas de todos os tempos não são simplesmente símbolos, seres humanos distantes, inalcançáveis".

Somos todos chamados à santidade, diz Papa - Foto Arquivo Gaudium Press.jpg

Pelo contrário, "são pessoas que viveram com os pés no chão; eles experimentaram a fadiga diária da existência com os seus sucessos e fracassos, encontrando no Senhor a força para se levantar e continuar o caminho".

"Isso demonstra que a santidade é uma meta que não pode ser alcançada apenas pelas próprias forças, mas é o fruto da graça de Deus e da nossa livre resposta a ela. Portanto, a santidade é dom e chamado".

Francisco recordou nessa Solenidade de Todos os Santos, que a Igreja "somos todos chamados à santidade".

A Graça, Santidade, batismo

O Pontífice explicou que a graça de Deus "é algo que não podemos comprar ou trocar, mas acolher, participando assim da mesma vida divina através do Espírito Santo que habita em nós desde o dia do nosso Batismo".

"A semente da santidade é precisamente o Batismo", destacou.

Santidade é uma resposta ao chamado de Deus para a plena comunhão

"Trata-se de amadurecer sempre mais a consciência de que estamos enxertados em Cristo, como o ramo está unido à videira, e por isso podemos e devemos viver com Ele e Nele como filhos de Deus.

Então a santidade é viver em plena comunhão com Deus, já agora, durante a peregrinação terrena".

Do mesmo modo, afirmou que a santidade "além de ser um dom, é também um chamado, uma vocação comum a todos nós, aos discípulos de Cristo; é o caminho de plenitude que cada cristão é chamado a percorrer na fé, caminhando para a meta final: a comunhão definitiva com Deus na vida eterna".

"A santidade torna-se assim uma resposta ao dom de Deus, porque se manifesta como assunção de responsabilidade. Nesta perspectiva, é importante assumir um sério e cotidiano compromisso de santificação nas condições, deveres e circunstâncias da nossa vida, procurando viver tudo com amor, com caridade".

Quem são os Santos

"Os Santos que celebramos hoje na liturgia são irmãos e irmãs que admitiram em suas vidas a necessidade dessa luz divina, de abandonar-se a ela com confiança. E agora, diante do trono de Deus, cantando sua glória por toda a eternidade", afirmou Francisco.

Dificuldades na caminhada terrena rumo Cidade Santa e esperança

O Pontífice disse que os santos "constituem a 'Cidade Santa', a qual olhamos com esperança como nossa meta definitiva, enquanto somos peregrinos na 'cidade terrena'. Caminhamos para a Cidade Santa, onde esses santos irmãos e irmãs nos esperam".

"É certo, estamos cansados das dificuldades do caminho, mas a esperança nos dá a força para seguir em frente. Olhando para as vidas dos santos, somos encorajados a imitá-los. Entre eles, estão muitas testemunhas de uma santidade ‘da porta ao lado, daqueles que vivem perto de nós e são reflexo da presença de Deus'".

"A recordação dos Santos leva-nos a erguer os olhos para o Céu: não para esquecer as realidades da terra, mas para enfrentá-las com mais coragem e esperança", concluiU Francisco.

(JSG)

 

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/105936--Somos-todos-chamados-a-santidade---diz-Papa-. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

O homem é feito para viver em comunhão com Deus, no qual encontra sua felicidade. ...
 
Inspirado na ‘Ratio Fundamentalis Institutionis Sacerdotalis - O dom da vocação presbiteral', o ...
 
A visita será de 23 a 26 de novembro, quando Francisco visitará Tóquio, Nagasaki e Hiroshima. ...
 
Bento XVI (2009): “esta festa nos proporciona a ocasião de ressaltar o significado e o valor da I ...
 
Uma turba de manifestantes, forçou um dos acessos do templo para levar os bancos para a rua e incen ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading