Loading
 
 
 
Loading
 
Urgência em dissipar as trevas
Loading
 
7 de Fevereiro de 2020 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Redação (Sexta-feira, 07-02-2020, Gaudium Press) Transcrevemos aqui as considerações de Dom Antônio Carlos Rossi Keller a propósito das leituras do próximo domingo.
Elas foram publicadas no site da Diocese de Frederico Westphalen, mas têm tem as características da Igreja: é universal. Por isso podem ser aproveitadas em todos os quadrantes:

Urgência em dissipar as trevas-Foto Google.jpg
As trevas são símbolo do pecado no mundo,
fruto do egoísmo e do orgulho dos homens.
Foto Google

- As trevas são símbolo do pecado no mundo, fruto do egoísmo e do orgulho dos homens.
E as trevas acontecem porque o orgulho cega, oprime, rejeita, é causa de abandono, de fomes, de guerras.

Para este mundo, onde, infelizmente estes problemas são tão comuns, torna-se urgente que surja a luz das boas obras, que por sua vez serão fruto de verdadeiro amor, que se concretiza com o repartir do pão com o faminto, do dar pousada aos pobres sem abrigo.

E na hora que passa são tantos os que necessitam destes gestos de amor.
Como é urgente apontar verdadeiros caminhos de salvação para todos os nossos irmãos!

A Luz do Mundo

Mas quem deverá ser essa tão desejada "luz do mundo"?

A resposta é dada por Jesus no Evangelho deste Domingo, 09 de fevereiro, (Mateus 5,13-16): "Vós sois a luz do mundo". Jesus fala a seus discípulos, ou seja, a todos aqueles que estão enxertados em Cristo e por isso devem andar na Escola do mesmo Jesus.

Nessa Escola entramos pelo Batismo. É verdade, por sermos batizados temos obrigação, por uma obrigação de coerência de fé, ser luz do mundo.

E a grande lição que Jesus nos deu e continua a dar é a lição do Amor:
lava os pés aos Apóstolos, aproxima-se dos pecadores a quem perdoa, dá-nos a Sua Mãe e dá-se Ele mesmo, derramando todo o Seu Sangue na Cruz por nós e ainda ficando conosco no Santíssimo Sacramento.

Sendo infinitamente rico, não teve nada mais para nos dar. A Ele devemos a própria vida que usufruímos.

E Jesus tudo isto fez e faz porque sendo Senhor de tudo quanto existe, se fez pobre e nos pediu que o imitássemos.
É Ele o Mestre por excelência: ensina, fazendo Ele primeiro. Eis a grande lição que devemos aprender e viver para sermos aquilo de que o mundo precisa: ser humildes para sermos úteis ao próximo, servindo-o.

É essa a linguagem que todos compreendem e verdadeiramente apreciam.
É a linguagem reveladora do verdadeiro Amor que é Deus.
Foi esta a linguagem usada por São Paulo na Carta aos Coríntios, de onde é tirada a 2ª Leitura de hoje (1 Coríntios 2,1-5).

O sabor do sal

O sal dá sabor aos alimentos e conserva-os. A vida tem sabor se nela esse sal existir.
Esta vida é o caminho "estreito" do cumprimento dos deveres de um filho de Deus.

Tais deveres podem por vezes exigir aquilo que contraria as tendências das paixões terrenas impondo algumas dificuldades, mas vale a pena vivê-la, pois tais sacrifícios dão verdadeiro "sabor" à vida.

São precisamente os caminhos contrários que conduzem ao desespero, ao suicídio, à amargura de viver.
Que o digam os que se tornaram escravos da droga, das paixões, do pecado, de todos os caminhos de engano e de mentira.

Aceitar os mandamentos de Deus: o jugo é suave

Aceitemos de bom grado as exigências dos mandamentos. Aí encontraremos o "sal" da vida que dá sabor e verdadeira alegria ao viver. Jesus que nos ama e não nos engana.
Ele afirma "o meu jugo é suave e a minha carga é leve". Esses pequenos esforços, além de darem sabor à vida, são caminho da felicidade eterna, para a qual, o mesmo Senhor, a todos criou.

 

Loading
Urgência em dissipar as trevas

Redação (Sexta-feira, 07-02-2020, Gaudium Press) Transcrevemos aqui as considerações de Dom Antônio Carlos Rossi Keller a propósito das leituras do próximo domingo.
Elas foram publicadas no site da Diocese de Frederico Westphalen, mas têm tem as características da Igreja: é universal. Por isso podem ser aproveitadas em todos os quadrantes:

Urgência em dissipar as trevas-Foto Google.jpg
As trevas são símbolo do pecado no mundo,
fruto do egoísmo e do orgulho dos homens.
Foto Google

- As trevas são símbolo do pecado no mundo, fruto do egoísmo e do orgulho dos homens.
E as trevas acontecem porque o orgulho cega, oprime, rejeita, é causa de abandono, de fomes, de guerras.

Para este mundo, onde, infelizmente estes problemas são tão comuns, torna-se urgente que surja a luz das boas obras, que por sua vez serão fruto de verdadeiro amor, que se concretiza com o repartir do pão com o faminto, do dar pousada aos pobres sem abrigo.

E na hora que passa são tantos os que necessitam destes gestos de amor.
Como é urgente apontar verdadeiros caminhos de salvação para todos os nossos irmãos!

A Luz do Mundo

Mas quem deverá ser essa tão desejada "luz do mundo"?

A resposta é dada por Jesus no Evangelho deste Domingo, 09 de fevereiro, (Mateus 5,13-16): "Vós sois a luz do mundo". Jesus fala a seus discípulos, ou seja, a todos aqueles que estão enxertados em Cristo e por isso devem andar na Escola do mesmo Jesus.

Nessa Escola entramos pelo Batismo. É verdade, por sermos batizados temos obrigação, por uma obrigação de coerência de fé, ser luz do mundo.

E a grande lição que Jesus nos deu e continua a dar é a lição do Amor:
lava os pés aos Apóstolos, aproxima-se dos pecadores a quem perdoa, dá-nos a Sua Mãe e dá-se Ele mesmo, derramando todo o Seu Sangue na Cruz por nós e ainda ficando conosco no Santíssimo Sacramento.

Sendo infinitamente rico, não teve nada mais para nos dar. A Ele devemos a própria vida que usufruímos.

E Jesus tudo isto fez e faz porque sendo Senhor de tudo quanto existe, se fez pobre e nos pediu que o imitássemos.
É Ele o Mestre por excelência: ensina, fazendo Ele primeiro. Eis a grande lição que devemos aprender e viver para sermos aquilo de que o mundo precisa: ser humildes para sermos úteis ao próximo, servindo-o.

É essa a linguagem que todos compreendem e verdadeiramente apreciam.
É a linguagem reveladora do verdadeiro Amor que é Deus.
Foi esta a linguagem usada por São Paulo na Carta aos Coríntios, de onde é tirada a 2ª Leitura de hoje (1 Coríntios 2,1-5).

O sabor do sal

O sal dá sabor aos alimentos e conserva-os. A vida tem sabor se nela esse sal existir.
Esta vida é o caminho "estreito" do cumprimento dos deveres de um filho de Deus.

Tais deveres podem por vezes exigir aquilo que contraria as tendências das paixões terrenas impondo algumas dificuldades, mas vale a pena vivê-la, pois tais sacrifícios dão verdadeiro "sabor" à vida.

São precisamente os caminhos contrários que conduzem ao desespero, ao suicídio, à amargura de viver.
Que o digam os que se tornaram escravos da droga, das paixões, do pecado, de todos os caminhos de engano e de mentira.

Aceitar os mandamentos de Deus: o jugo é suave

Aceitemos de bom grado as exigências dos mandamentos. Aí encontraremos o "sal" da vida que dá sabor e verdadeira alegria ao viver. Jesus que nos ama e não nos engana.
Ele afirma "o meu jugo é suave e a minha carga é leve". Esses pequenos esforços, além de darem sabor à vida, são caminho da felicidade eterna, para a qual, o mesmo Senhor, a todos criou.

 

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/107472-Urgencia-em-dissipar-as-trevas. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

“Recordemos aqueles que foram infectados com o vírus e suas famílias, para que não desanimem, e ...
 
Os cristãos tentaram evitar a demolição, mas o grupo muçulmano abriu fogo contra eles. ...
 
Será canonizada Madre Francisca Rubatto, fundadora das Irmãs Terciárias Capuchinhas de Loano. ...
 
"Necessitamos nos confiar ao seu cuidado espiritual neste momento tão difícil no mundo e na Igreja ...
 
"No ventre materno o bebê já tem sua identidade genética e a lei deve refletir sobre essa realida ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading