Loading
 
 
 
Loading
 
Dia do Enfermo: A vida é sagrada, não ceder às formas de eutanásia, exorta o Papa
Loading
 
11 de Fevereiro de 2020 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Terça-feira, 11-02-2020, Gaudium Press) "Lembremo-nos de que a vida é sacra e pertence a Deus, sendo por conseguinte inviolável e indisponível. A vida há de ser acolhida, tutelada, respeitada e servida desde o seu início até à morte".

Dia do Enfermo, A vida é sagrada, não ceder às formas de eutanásia, exorta o Papa-Foto Divulgação.jpg

"Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimidos, 
que Eu hei de aliviar-vos". 
Foto:Divulgação

Estas são palavras do Papa Francisco em sua Mensagem escrita a propósito do 28º Dia Mundial do Enfermo, celebrado todos os anos no dia 11 de fevereiro, dia de Nossa Senhora de Lourdes, e que neste ano de 2020 tem o seu tema inspirado no Evangelho de São Mateus 11, 28:
"Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimidos, que Eu hei de aliviar-vos".

Dia Mundial do Enfermo 2020

"No XXVIII Dia Mundial do Enfermo, Jesus dirige este convite aos doentes e oprimidos, aos pobres cientes de dependerem inteiramente de Deus para a cura de que necessitam sob o peso da provação que os atingiu.

A quem vive na angústia devido à sua situação de fragilidade, sofrimento e fraqueza, Jesus Cristo não impõe leis, mas, na sua misericórdia oferece-Se a Si mesmo, isto é, a sua pessoa que dá alívio", escreveu Francisco em sua Mensagem.

No trato com o doente: amor ao próximo, por amor a Deus

Assim agindo estaremos seguindo Jesus, diz o Papa, porque Jesus mesmo viveu em primeira pessoa o sofrimento humano e só quem passa por esta experiência poderá tornar-se conforto para os demais.

Afirma o Pontífice que, muitas vezes, existe falta de humanidade na relação com os doentes. Sendo que é cristão, ao tratamento, somar a solicitude, o amor ao próximo por amor a Deus.
Além do enfermo existe sua família que também ela pede conforto, assistência e proximidade.

Francisco relembra que é de Nosso Senhor Jesus Cristo que vem a luz para superar os momentos de provação que a enfermidade traz.

Em Cristo, os doentes encontrarão força para ultrapassar as inquietações e interrogativos que surgem na ‘noite' pela qual passam o corpo e o espírito.

O exemplo de Nosso Senhor, enfrentando sua paixão, morte e ressurreição, nos liberta da opressão do mal.

É por essa razão que a Igreja quer sempre foi, deseja ser, cada vez mais e melhor, a ‘estalagem' do Bom Samaritano que é Cristo. A Igreja quer ser a casa onde os enfermos podem encontrar as graças de Nosso Senhor que se mostram na familiaridade, no acolhimento, no alívio.

Profissionais da saúde: a vida é sagrada e pertence a Deus

Em sua Mensagem o Pontífice cita os profissionais da saúde e sua missão de colocar toda suas capacidades em prol do enfermo, recordando que, antes do adjetivo "enfermo" existe o substantivo "pessoa".

Em outras palavras, Francisco recorda que a ação de médicos e enfermeiros têm que ter em vista "constantemente a dignidade e a vida da pessoa, sem qualquer cedência a atos de natureza eutanásica, de suicídio assistido ou supressão da vida, nem mesmo se for irreversível o estado da doença".

O Papa afirma e exorta: quando os profissionais da saúde se deparam com os limites e o possível fracasso da medicina, são chamados a se abrir à dimensão transcendente, "que pode oferecer o sentido pleno da profissão":

"Lembremo-nos de que a vida é sacra e pertence a Deus, sendo por conseguinte inviolável e indisponível. A vida há de ser acolhida, tutelada, respeitada e servida desde o seu início até à morte".

Para Francisco, essa é uma exigência que vem da fé em Deus e também da própria razão.

Objeção de Consciência: opção necessária

É por isso que ele reitera que a objeção de consciência se torne uma opção necessária para que os profissionais da saúde permaneçam coerentes com esta abertura à vida.

Quando não se pode curar, pode-se sempre cuidar com gestos e procedimentos que proporcionem amparo e alívio ao doente", reitera o Papa.

(JSG)

 

Loading
Dia do Enfermo: A vida é sagrada, não ceder às formas de eutanásia, exorta o Papa

Cidade do Vaticano (Terça-feira, 11-02-2020, Gaudium Press) "Lembremo-nos de que a vida é sacra e pertence a Deus, sendo por conseguinte inviolável e indisponível. A vida há de ser acolhida, tutelada, respeitada e servida desde o seu início até à morte".

Dia do Enfermo, A vida é sagrada, não ceder às formas de eutanásia, exorta o Papa-Foto Divulgação.jpg

"Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimidos, 
que Eu hei de aliviar-vos". 
Foto:Divulgação

Estas são palavras do Papa Francisco em sua Mensagem escrita a propósito do 28º Dia Mundial do Enfermo, celebrado todos os anos no dia 11 de fevereiro, dia de Nossa Senhora de Lourdes, e que neste ano de 2020 tem o seu tema inspirado no Evangelho de São Mateus 11, 28:
"Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimidos, que Eu hei de aliviar-vos".

Dia Mundial do Enfermo 2020

"No XXVIII Dia Mundial do Enfermo, Jesus dirige este convite aos doentes e oprimidos, aos pobres cientes de dependerem inteiramente de Deus para a cura de que necessitam sob o peso da provação que os atingiu.

A quem vive na angústia devido à sua situação de fragilidade, sofrimento e fraqueza, Jesus Cristo não impõe leis, mas, na sua misericórdia oferece-Se a Si mesmo, isto é, a sua pessoa que dá alívio", escreveu Francisco em sua Mensagem.

No trato com o doente: amor ao próximo, por amor a Deus

Assim agindo estaremos seguindo Jesus, diz o Papa, porque Jesus mesmo viveu em primeira pessoa o sofrimento humano e só quem passa por esta experiência poderá tornar-se conforto para os demais.

Afirma o Pontífice que, muitas vezes, existe falta de humanidade na relação com os doentes. Sendo que é cristão, ao tratamento, somar a solicitude, o amor ao próximo por amor a Deus.
Além do enfermo existe sua família que também ela pede conforto, assistência e proximidade.

Francisco relembra que é de Nosso Senhor Jesus Cristo que vem a luz para superar os momentos de provação que a enfermidade traz.

Em Cristo, os doentes encontrarão força para ultrapassar as inquietações e interrogativos que surgem na ‘noite' pela qual passam o corpo e o espírito.

O exemplo de Nosso Senhor, enfrentando sua paixão, morte e ressurreição, nos liberta da opressão do mal.

É por essa razão que a Igreja quer sempre foi, deseja ser, cada vez mais e melhor, a ‘estalagem' do Bom Samaritano que é Cristo. A Igreja quer ser a casa onde os enfermos podem encontrar as graças de Nosso Senhor que se mostram na familiaridade, no acolhimento, no alívio.

Profissionais da saúde: a vida é sagrada e pertence a Deus

Em sua Mensagem o Pontífice cita os profissionais da saúde e sua missão de colocar toda suas capacidades em prol do enfermo, recordando que, antes do adjetivo "enfermo" existe o substantivo "pessoa".

Em outras palavras, Francisco recorda que a ação de médicos e enfermeiros têm que ter em vista "constantemente a dignidade e a vida da pessoa, sem qualquer cedência a atos de natureza eutanásica, de suicídio assistido ou supressão da vida, nem mesmo se for irreversível o estado da doença".

O Papa afirma e exorta: quando os profissionais da saúde se deparam com os limites e o possível fracasso da medicina, são chamados a se abrir à dimensão transcendente, "que pode oferecer o sentido pleno da profissão":

"Lembremo-nos de que a vida é sacra e pertence a Deus, sendo por conseguinte inviolável e indisponível. A vida há de ser acolhida, tutelada, respeitada e servida desde o seu início até à morte".

Para Francisco, essa é uma exigência que vem da fé em Deus e também da própria razão.

Objeção de Consciência: opção necessária

É por isso que ele reitera que a objeção de consciência se torne uma opção necessária para que os profissionais da saúde permaneçam coerentes com esta abertura à vida.

Quando não se pode curar, pode-se sempre cuidar com gestos e procedimentos que proporcionem amparo e alívio ao doente", reitera o Papa.

(JSG)

 

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/107513-Dia-do-Enfermo--A-vida-e-sagrada--nao-ceder-as-formas-de-eutanasia--exorta-o-Papa-. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Será canonizada Madre Francisca Rubatto, fundadora das Irmãs Terciárias Capuchinhas de Loano. ...
 
"Necessitamos nos confiar ao seu cuidado espiritual neste momento tão difícil no mundo e na Igreja ...
 
"No ventre materno o bebê já tem sua identidade genética e a lei deve refletir sobre essa realida ...
 
O prelado recordou que o centro da Eucaristia deve ser Deus e não as realizações humanas e que o ...
 
Em um vitral da Catedral da cidade alemã de Lubeck, pode-se ler um inspirado poema, muito próprio ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading