Loading
 
 
 
Loading
 
Igreja é a segunda maior geradora de empregos, afirma o cardeal Carlos Amigo
Loading
 
13 de Fevereiro de 2009 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Espanha (Quarta, 11-02-2009, Gaudium Press) Depois de falar há alguns meses no fórum de Doñana (ES), o cardeal Carlos Amigo voltou a dizer, durante o treinamento para funcionários e voluntários das Obras Missionárias Pontifícias, que °a Igreja é a ‘empresa' que mais gera empregos depois da administração pública".

Apenas a Cáritas gerou mais de 14 mil postos de trabalho no ano de 2007. Dos participantes de seus cursos de formação, 73% são mulheres, quase o triplo da quantidade de homens; a maioria é composta por jovens e imigrantes. De acordo com os assistentes sociais da entidade, a Cáritas oferece, em muitas ocasiões, serviços que o próprio poder público não é capaz de fornecer por falta de infra-estrutura.

De acordo com as estatísticas da CEE (Conferência Episcopal Espanhola), a Igreja conta com cerca de 4.300 centros educativos (pré-escolas, ensinos primário, secundário, e universidades) que produzem milhares de contratos anuais, entre temporários e efetivos. Entre os serviços assistenciais, a Igreja conta com 858 residências, responsáveis pelo atendimento a cerca de 70 mil idosos pelo trabalho de 10 mil profissionais. Há 191 orfanatos que empregam cerca de dois mil trabalhadores e cerca de 150 centros de saúde (hospitais e ambulatórios) que geram milhares de empregos por ano.

°A maior empresa privada não chega a reunir três mil empregados°, afirma o cardeal. "No entanto, na Igreja, somamos mais de 5 mil trabalhadores, só entre jesuítas e salesianos", completa. Cifra similar é gerada pelos religiosos camilos na Espanha, com suas residências, centros de dia e serviço de assistência a domicílio para idosos e doentes.

Madri reúne mais de 50 instituições religiosas e paróquias com postos de trabalho, que recebem diariamente dezenas de imigrantes em busca de emprego. As ONGs associadas à Igreja também criam centros de empregos todo ano, sem levar em conta o expressivo número de trabalhadores empregados em catedrais, museus, arquivos e prédios históricos.

 

 

Loading
Igreja é a segunda maior geradora de empregos, afirma o cardeal Carlos Amigo

Espanha (Quarta, 11-02-2009, Gaudium Press) Depois de falar há alguns meses no fórum de Doñana (ES), o cardeal Carlos Amigo voltou a dizer, durante o treinamento para funcionários e voluntários das Obras Missionárias Pontifícias, que °a Igreja é a ‘empresa' que mais gera empregos depois da administração pública".

Apenas a Cáritas gerou mais de 14 mil postos de trabalho no ano de 2007. Dos participantes de seus cursos de formação, 73% são mulheres, quase o triplo da quantidade de homens; a maioria é composta por jovens e imigrantes. De acordo com os assistentes sociais da entidade, a Cáritas oferece, em muitas ocasiões, serviços que o próprio poder público não é capaz de fornecer por falta de infra-estrutura.

De acordo com as estatísticas da CEE (Conferência Episcopal Espanhola), a Igreja conta com cerca de 4.300 centros educativos (pré-escolas, ensinos primário, secundário, e universidades) que produzem milhares de contratos anuais, entre temporários e efetivos. Entre os serviços assistenciais, a Igreja conta com 858 residências, responsáveis pelo atendimento a cerca de 70 mil idosos pelo trabalho de 10 mil profissionais. Há 191 orfanatos que empregam cerca de dois mil trabalhadores e cerca de 150 centros de saúde (hospitais e ambulatórios) que geram milhares de empregos por ano.

°A maior empresa privada não chega a reunir três mil empregados°, afirma o cardeal. "No entanto, na Igreja, somamos mais de 5 mil trabalhadores, só entre jesuítas e salesianos", completa. Cifra similar é gerada pelos religiosos camilos na Espanha, com suas residências, centros de dia e serviço de assistência a domicílio para idosos e doentes.

Madri reúne mais de 50 instituições religiosas e paróquias com postos de trabalho, que recebem diariamente dezenas de imigrantes em busca de emprego. As ONGs associadas à Igreja também criam centros de empregos todo ano, sem levar em conta o expressivo número de trabalhadores empregados em catedrais, museus, arquivos e prédios históricos.

 

 

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/1684-Igreja-e-a-segunda-maior-geradora-de-empregos--afirma-o-cardeal-Carlos-Amigo. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

O Cardeal Orani tem exortado os fiéis a seguirem o exemplo de São Sebastião e viverem a missionar ...
 
Celibato: carisma dado a alguns membros da Igreja, chamado para consagrar completamente a vida a Deu ...
 
O Caminho de Santiago de Compostela, cuja meta é a Catedral de Santiago, é conhecido também como ...
 
“A Assembleia da República manifesta o seu pesar pelos mais de 1.000 cristãos mortos em 2019 na ...
 
Seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Príncipe da Paz, Rei dos Reis, Senhor dos Senhores (Isaías 9-6 ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading