Loading
 
 
 
Loading
 
“Muitos católicos perderam a consciência”, afirma o jornalista peruano Alejandro Bermúdez Rossell
Loading
 
5 de Março de 2009 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Bogotá (Quinta, 05-03-2009, Gaudium Press) Durante uma conferência no hotel La Fontana, em Bogotá, nesta quarta (4), o diretor da Acinprensa e do programa "Criterios", da EWTN, Alejandro Bermúdez Rossell, disse que os desafios dos católicos no mundo moderno podem ser resumidos fundamentalmente em "um visível complexo de inferioridade por ser católico" e "pelo divórcio muitas vezes presente entre a Fé e a vida". As declarações foram feitas sob o tema "Os desafios da Fé no mundo atual" em evento organizado pelo Centro de Estudos Católicos (CEC) do Sodalitium Christianae Vitae (Sociedade de Vida Apostólica fundada em Lima, no Peru, em 1971) e assistido por diferentes grupos de movimentos apostólicos e comunidades religiosas da capital colombiana.

"São muitos os católicos que perderam a consciência, não tanto de possuir a verdade, quando a verdade nos possui pelo fato de sermos batizados e estarmos unidos a Cristo", disse o famoso jornalista peruano. "Os católicos, às vezes, sentem que precisam dar desculpas por terem que viver sua fé, quando o peso da prova deveria recair sobre aqueles que não conhecem a Verdade", apontou.

A respeito do desafio vivido pelas pessoas no "divórcio entre Fé e vida", o jornalista explicou que não se trata de um divórcio moral, mas que isto se torna aparente naqueles que, pela graça de Deus, levam uma vida "devota, piedosa, e até sacramental e, no entanto, creêm que isso é o suficiente". "A fé deve ser vivida na vida cotidiana e deve iluminar todas as nossas ações", afirmou.

Em alusão à São Paulo, Bermúdez lembrou que se deve "orar sem parar". "Mas, como fazê-lo, se é impossível viver rezando? Devemos converter nossa vida em um ato litúrgico", apontou. "Em todas as instâncias devemos ser pessoas de fé, que vivem sua fé em tudo que fazem, na oficina, no supermercado, no clube, rompendo, assim, a brecha, o divórcio entre a fé e a ação".

"A Santidade é a superação da brecha entre a fé e a vida. Isto é particularmente visível nos santos canonizados pelos últimos papas como, por exemplo, Gianna Beretta Molla e o beato Charlie Rodríguez, pessoas com vidas usualmente vividas de forma extraordinária, porque souberam aliar a vida cotidiana com a fé", afirmou.

 

Loading
“Muitos católicos perderam a consciência”, afirma o jornalista peruano Alejandro Bermúdez Rossell

Bogotá (Quinta, 05-03-2009, Gaudium Press) Durante uma conferência no hotel La Fontana, em Bogotá, nesta quarta (4), o diretor da Acinprensa e do programa "Criterios", da EWTN, Alejandro Bermúdez Rossell, disse que os desafios dos católicos no mundo moderno podem ser resumidos fundamentalmente em "um visível complexo de inferioridade por ser católico" e "pelo divórcio muitas vezes presente entre a Fé e a vida". As declarações foram feitas sob o tema "Os desafios da Fé no mundo atual" em evento organizado pelo Centro de Estudos Católicos (CEC) do Sodalitium Christianae Vitae (Sociedade de Vida Apostólica fundada em Lima, no Peru, em 1971) e assistido por diferentes grupos de movimentos apostólicos e comunidades religiosas da capital colombiana.

"São muitos os católicos que perderam a consciência, não tanto de possuir a verdade, quando a verdade nos possui pelo fato de sermos batizados e estarmos unidos a Cristo", disse o famoso jornalista peruano. "Os católicos, às vezes, sentem que precisam dar desculpas por terem que viver sua fé, quando o peso da prova deveria recair sobre aqueles que não conhecem a Verdade", apontou.

A respeito do desafio vivido pelas pessoas no "divórcio entre Fé e vida", o jornalista explicou que não se trata de um divórcio moral, mas que isto se torna aparente naqueles que, pela graça de Deus, levam uma vida "devota, piedosa, e até sacramental e, no entanto, creêm que isso é o suficiente". "A fé deve ser vivida na vida cotidiana e deve iluminar todas as nossas ações", afirmou.

Em alusão à São Paulo, Bermúdez lembrou que se deve "orar sem parar". "Mas, como fazê-lo, se é impossível viver rezando? Devemos converter nossa vida em um ato litúrgico", apontou. "Em todas as instâncias devemos ser pessoas de fé, que vivem sua fé em tudo que fazem, na oficina, no supermercado, no clube, rompendo, assim, a brecha, o divórcio entre a fé e a ação".

"A Santidade é a superação da brecha entre a fé e a vida. Isto é particularmente visível nos santos canonizados pelos últimos papas como, por exemplo, Gianna Beretta Molla e o beato Charlie Rodríguez, pessoas com vidas usualmente vividas de forma extraordinária, porque souberam aliar a vida cotidiana com a fé", afirmou.

 


 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

O Cardeal Orani tem exortado os fiéis a seguirem o exemplo de São Sebastião e viverem a missionar ...
 
Celibato: carisma dado a alguns membros da Igreja, chamado para consagrar completamente a vida a Deu ...
 
O Caminho de Santiago de Compostela, cuja meta é a Catedral de Santiago, é conhecido também como ...
 
“A Assembleia da República manifesta o seu pesar pelos mais de 1.000 cristãos mortos em 2019 na ...
 
Seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Príncipe da Paz, Rei dos Reis, Senhor dos Senhores (Isaías 9-6 ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading