Loading
 
 
 
Loading
 
“Fiéis devem ter o coração simples como aquele da criança”, afirma o Papa Bento XVI
Loading
 
7 de Dezembro de 2011 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 07-12-2011, Gaudium Press) Hoje de manhã, na Sala Paulo VI, o Papa dirigiu-se a mais de 3 mil fiéis, durante a audiência geral. Em sua nova série das catequeses sobre a oração, em uma atmosfera muito íntima, o Santo Padre comentou o "Hino de júbilo" denominado também "Hino de júbilo messiânico": uma oração de reconhecimento e de louvor que se encontra nos Evangelhos de Mateus e Lucas: Mt 11,25-30 e Lc 10, 21-22.

2011-12-07T121554Z_2075000426_GM1E7C71JXD01_RTRMADP_3_POPE.JPG
"É a pureza do coração que permite reconhecer o vulto de Deus em Jesus Cristo", disse Bento XVI

"O Hino de júbilo é o ápice de um caminho de oração no qual emerge claramente a profunda e íntima comunhão de Jesus com a vida do Pai no Espírito Santo e se manifesta a sua filiação divina", afirmou o Santo Padre inicialmente. De acordo com o pontífice, na maneira de dirigir-se ao "Pai" se exprime "a consciência e a certeza de Jesus de ser 'o Filho' que é o ponto central e a fonte de toda oração de Jesus".

Bento XVI explicou também que o segundo título do Hino, "Senhor do céu e da terra" reabre ao homem a possibilidade de ter acesso a Deus e recorda que a revelação divina não acontece conforme a lógica terrena, segundo o poder, mas ela é dirigida às pessoas mais simples. "Nós também hoje", afirmou o Papa, "somos chamados a esta simplicidade do coração, de dirigir-se com intimidade a Deus porque não somos autosuficientes, e não podemos construir nossa vida sozinhos, mas precisamos de Deus, precisamos encontrá-lo, escutá-lo, falar-lhe".

Conforme o Santo Padre os fiéis devem ter o coração simples como o das crianças. Segundo, o pontífice, ele deve está sempre aberto para Deus, porque o homem precisa de Deus. "É a pureza do coração que permite reconhecer o vulto de Deus em Jesus Cristo; é ter o coração simples como aquele das crianças, sem a presunção de quem se fecha em si mesmo, pensando que não precisa de ninguém, nem mesmo de Deus".

O Santo Padre concluiu a audiência com saudações em várias línguas. Em espanhol ele convidou a "orar buscando a comunhão com Cristo, que conhecemos e amamos como fruto do Espírito u recibido, sentindo que em sua intimidade está já nossa alegria". Em português recomendou invocar a Virgem Maria para "serdes os 'pequeninos' de Deus e, deste modo, serdes vencedores das ciladas da serpente infernal".

 

Loading
“Fiéis devem ter o coração simples como aquele da criança”, afirma o Papa Bento XVI

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 07-12-2011, Gaudium Press) Hoje de manhã, na Sala Paulo VI, o Papa dirigiu-se a mais de 3 mil fiéis, durante a audiência geral. Em sua nova série das catequeses sobre a oração, em uma atmosfera muito íntima, o Santo Padre comentou o "Hino de júbilo" denominado também "Hino de júbilo messiânico": uma oração de reconhecimento e de louvor que se encontra nos Evangelhos de Mateus e Lucas: Mt 11,25-30 e Lc 10, 21-22.

2011-12-07T121554Z_2075000426_GM1E7C71JXD01_RTRMADP_3_POPE.JPG
"É a pureza do coração que permite reconhecer o vulto de Deus em Jesus Cristo", disse Bento XVI

"O Hino de júbilo é o ápice de um caminho de oração no qual emerge claramente a profunda e íntima comunhão de Jesus com a vida do Pai no Espírito Santo e se manifesta a sua filiação divina", afirmou o Santo Padre inicialmente. De acordo com o pontífice, na maneira de dirigir-se ao "Pai" se exprime "a consciência e a certeza de Jesus de ser 'o Filho' que é o ponto central e a fonte de toda oração de Jesus".

Bento XVI explicou também que o segundo título do Hino, "Senhor do céu e da terra" reabre ao homem a possibilidade de ter acesso a Deus e recorda que a revelação divina não acontece conforme a lógica terrena, segundo o poder, mas ela é dirigida às pessoas mais simples. "Nós também hoje", afirmou o Papa, "somos chamados a esta simplicidade do coração, de dirigir-se com intimidade a Deus porque não somos autosuficientes, e não podemos construir nossa vida sozinhos, mas precisamos de Deus, precisamos encontrá-lo, escutá-lo, falar-lhe".

Conforme o Santo Padre os fiéis devem ter o coração simples como o das crianças. Segundo, o pontífice, ele deve está sempre aberto para Deus, porque o homem precisa de Deus. "É a pureza do coração que permite reconhecer o vulto de Deus em Jesus Cristo; é ter o coração simples como aquele das crianças, sem a presunção de quem se fecha em si mesmo, pensando que não precisa de ninguém, nem mesmo de Deus".

O Santo Padre concluiu a audiência com saudações em várias línguas. Em espanhol ele convidou a "orar buscando a comunhão com Cristo, que conhecemos e amamos como fruto do Espírito u recibido, sentindo que em sua intimidade está já nossa alegria". Em português recomendou invocar a Virgem Maria para "serdes os 'pequeninos' de Deus e, deste modo, serdes vencedores das ciladas da serpente infernal".

 


 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

O Cardeal Orani tem exortado os fiéis a seguirem o exemplo de São Sebastião e viverem a missionar ...
 
Celibato: carisma dado a alguns membros da Igreja, chamado para consagrar completamente a vida a Deu ...
 
O Caminho de Santiago de Compostela, cuja meta é a Catedral de Santiago, é conhecido também como ...
 
“A Assembleia da República manifesta o seu pesar pelos mais de 1.000 cristãos mortos em 2019 na ...
 
Seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Príncipe da Paz, Rei dos Reis, Senhor dos Senhores (Isaías 9-6 ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading