Loading
 
 
 
Loading
 
“A Igreja não tem apoio de governos na luta contra a lepra”, diz Dom Zygmunt Zimowsk
Loading
 
27 de Janeiro de 2012 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 
250px-JKRUK_20080614_BISKUP_ZYGMUNT_ZIMOWSKI_DSC05041A.jpg
Dom Zimowski falou sobre o empenho da Igreja Católica na cura da Hanseníase

Cidade do Vaticano (Sexta-feira, 27-01-2012, Gaudium Press) O empenho individual e das realidades eclesiais e de voluntariado "não eximem certamente os governos e os organismos internacionais de aumentar a atenção e o trabalho contra a difusão da lepra nem de suas responsabilidades no que diz respeito à prevenção, em termos educativos e higiênico-sanitários, e a "readmissão" da pessoa curada, além do apoio a todas as vítimas da infecção", foi a forte observação de Dom Zygmunt Zimowski, presidente do Conselho para a Pastoral no Campo da Saúde na Mensagem anual para o Dia Mundial dos Doentes de Lepra "Na luta ao Mal de Hansen serve o empenho de todos", cuja 59ª edição será celebrada no próximo domingo.

O tema do problema sobre a lepra foi submetido pelo próprio Papa em sua Mensagem para o próximo Dia Mundial do Doente, que acontecerá no dia 11 de fevereiro sobre o tema "Levanta-te e vai, a tua fé te salvou!", as palavras de Jesus na cura dos 10 leprosos contada no Evangelho de Lucas.

Na tradicional Mensagem o arcebispo presidente afirmou o empenho na cura e na prevenção da doença e a solidão da Igreja católica em exercê-lo. Dom Zimowski lembra as palavras do Santo Padre que pelo amor de Jesus pelos leprosos "não o abandona nunca, e que também o amor da Igreja, prolongamento no tempo de sua obra salvífica, não falha nunca", enquanto a atenção e o trabalho dos governos e dos organismos internacionais não demonstra interesse no desenvolvimento da situação.

Dom Zimowski convida e desafia as pessoas curadas a dar testemunho "material" de si mesmos da possibilidade de ser curado e da reinserção social e no trabalho. Ao fim da Mensagem o arcebispo faz votos de que haja "o empenho de todos e a todos os níveis para permitir que a lepra se transforme de ameaça e flagelo em memória, mesmo que assustadora, do passado". (BD)

 

Loading
“A Igreja não tem apoio de governos na luta contra a lepra”, diz Dom Zygmunt Zimowsk
250px-JKRUK_20080614_BISKUP_ZYGMUNT_ZIMOWSKI_DSC05041A.jpg
Dom Zimowski falou sobre o empenho da Igreja Católica na cura da Hanseníase

Cidade do Vaticano (Sexta-feira, 27-01-2012, Gaudium Press) O empenho individual e das realidades eclesiais e de voluntariado "não eximem certamente os governos e os organismos internacionais de aumentar a atenção e o trabalho contra a difusão da lepra nem de suas responsabilidades no que diz respeito à prevenção, em termos educativos e higiênico-sanitários, e a "readmissão" da pessoa curada, além do apoio a todas as vítimas da infecção", foi a forte observação de Dom Zygmunt Zimowski, presidente do Conselho para a Pastoral no Campo da Saúde na Mensagem anual para o Dia Mundial dos Doentes de Lepra "Na luta ao Mal de Hansen serve o empenho de todos", cuja 59ª edição será celebrada no próximo domingo.

O tema do problema sobre a lepra foi submetido pelo próprio Papa em sua Mensagem para o próximo Dia Mundial do Doente, que acontecerá no dia 11 de fevereiro sobre o tema "Levanta-te e vai, a tua fé te salvou!", as palavras de Jesus na cura dos 10 leprosos contada no Evangelho de Lucas.

Na tradicional Mensagem o arcebispo presidente afirmou o empenho na cura e na prevenção da doença e a solidão da Igreja católica em exercê-lo. Dom Zimowski lembra as palavras do Santo Padre que pelo amor de Jesus pelos leprosos "não o abandona nunca, e que também o amor da Igreja, prolongamento no tempo de sua obra salvífica, não falha nunca", enquanto a atenção e o trabalho dos governos e dos organismos internacionais não demonstra interesse no desenvolvimento da situação.

Dom Zimowski convida e desafia as pessoas curadas a dar testemunho "material" de si mesmos da possibilidade de ser curado e da reinserção social e no trabalho. Ao fim da Mensagem o arcebispo faz votos de que haja "o empenho de todos e a todos os níveis para permitir que a lepra se transforme de ameaça e flagelo em memória, mesmo que assustadora, do passado". (BD)

 


 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Na província montanhosa de Yen Bai, nas Filipinas, após 100 anos foi celebrada a primeira Missa do ...
 
Não somos distribuidores de azeite em garrafa. Somos ungidos para ungir, distribuindo-nos a nós me ...
 
O suspeito estava com quatro galões de gasolina, duas latas de fluído de isqueiro e dois isqueiros ...
 
Esbofeteamos Jesus, como o fizeram seus cruéis algozes: o pecado é, em certa medida, uma participa ...
 
Nosso Senhor Jesus Cristo, com sua Morte na Cruz, derrotou o poder das trevas e quebrou-lhe o vigor, ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading