Loading
 
 
 
Loading
 
São Turíbio de Mogrovejo: Há 400 anos na glória celeste
Loading
 
23 de Março de 2012 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Na capital do Peru, a Igreja está celebrando o quarto centenário da subida ao Céu de um de seus mais ilustres filhos: São Turíbio de Mogrovejo, "protetor dos indígenas" e grande evangelizador da América espanhola.

Turibius_de_Mongrovejo.jpg
São Turíbio de Mogrovejo
Iniciaram-se as comemorações com a solene Eucaristia celebrada na Catedral de Lima pelo Cardeal-Arcebispo Juan Luis Cipriani Thorne, em 22 de janeiro, tendo como concelebrantes o Núncio Apostólico, Dom Rino Passigato, e todos os bispos peruanos.

De simples leigo a bispo, em poucas semanas

Turíbio nasceu de nobre família em Mayorga (Espanha), em 1538. Estudou Direito nas universidades de Coimbra e Salamanca. Tinha 40 anos e era Presidente do Tribunal de Granada quando, por indicação do Rei Felipe II, o Papa Gregório XIII o nomeou Arcebispo de Lima.

Apressadamente, quase que de um dia para o outro, elevou-se um simples leigo à dignidade de bispo da Santa Igreja. São assim as vias da Providência quando Ela decide realizar uma obra. Fez-se com o jurista Turíbio o mesmo que, pouco mais de mil anos antes, fora feito com o estadista Santo Ambrósio: em quatro domingos consecutivos, Turíbio recebeu as ordens menores; poucas semanas depois foi ordenado presbítero e, por fim, sagrado bispo.

O insigne jurista se faz catequista

São Turíbio de Mogrovejo chegou à sua arquidiocese em maio de 1581. De início teve de enfrentar a decadência espiritual dos espanhóis colonizadores, cujos abusos os sacerdotes não ousavam corrigir. O novo arcebispo atacou o mal pela raiz. Muitos dos culpados de intoleráveis vícios e escândalos tentavam justificar-se:

- Fazemos o que é costume fazer aqui...

- Mas Cristo é verdade, e não costume! - replicava ele.

Com energia e, sobretudo, com seu exemplo pessoal, pôs freio aos abusos, moralizou os costumes e promoveu a reforma do clero.

Em pouco tempo, o ex-jurista transformou-se num exímio catequista que evangelizava os indígenas com palavras simples mas ardorosas. Percorreu três vezes em visita pastoral todo o imenso território de sua arquidiocese, viajando incansavelmente milhares de quilômetros. Entrava nas cabanas miseráveis, procurava os indígenas fugidios, sorria-lhes paternalmente, falava-lhes com bondade em seus idiomas e os conquistava para Cristo.

Grandes atividades, intensa vida de piedade

As três visitas pastorais tomaram-lhe mais de dez dos seus vinte e cinco anos de episcopado!

Convocou e presidiu treze sínodos regionais de bispos. Regulamentou e aperfeiçoou a catequese dos indígenas, e fez imprimir para eles os primeiros livros editados na América do Sul: o Catecismo em espanhol, em quéchua e em aymara. Fundou cem novas paróquias em sua arquidiocese.

Tudo isso sem prejudicar em nada o ponto fundamental de todo apóstolo autêntico: sua própria vida espiritual. Chamou a atenção de todos os que conviveram com ele sua intensa vida de piedade, à qual dedicava diariamente muitas horas de oração e meditação.

Imensa alegria: "Irei à Casa do Senhor!"

Teve a inapreciável satisfação de converter milhares de indígenas e de crismar três santos: São Martinho de Porres, São Francisco Solano e Santa Rosa de Lima.

A morte o colheu no curso de sua última visita pastoral, numa pobre capela a quase 500 quilômetros de Lima. Sentindo aproximar-se a hora extrema, recitou o Salmo 121: "Enchi-me de alegria quando me vieram dizer: vamos subir à Casa do Senhor!" Expirou suavemente às 15:30h de 23 de março de 1606, uma Quinta-Feira Santa.

Bento XIII o canonizou em 1726 e João Paulo II o proclamou Pa­droeiro do Episcopado Latino-Americano em 1983.

Por Irmã Mariana Morazzani Arráiz.

Loading
São Turíbio de Mogrovejo: Há 400 anos na glória celeste

Na capital do Peru, a Igreja está celebrando o quarto centenário da subida ao Céu de um de seus mais ilustres filhos: São Turíbio de Mogrovejo, "protetor dos indígenas" e grande evangelizador da América espanhola.

Turibius_de_Mongrovejo.jpg
São Turíbio de Mogrovejo
Iniciaram-se as comemorações com a solene Eucaristia celebrada na Catedral de Lima pelo Cardeal-Arcebispo Juan Luis Cipriani Thorne, em 22 de janeiro, tendo como concelebrantes o Núncio Apostólico, Dom Rino Passigato, e todos os bispos peruanos.

De simples leigo a bispo, em poucas semanas

Turíbio nasceu de nobre família em Mayorga (Espanha), em 1538. Estudou Direito nas universidades de Coimbra e Salamanca. Tinha 40 anos e era Presidente do Tribunal de Granada quando, por indicação do Rei Felipe II, o Papa Gregório XIII o nomeou Arcebispo de Lima.

Apressadamente, quase que de um dia para o outro, elevou-se um simples leigo à dignidade de bispo da Santa Igreja. São assim as vias da Providência quando Ela decide realizar uma obra. Fez-se com o jurista Turíbio o mesmo que, pouco mais de mil anos antes, fora feito com o estadista Santo Ambrósio: em quatro domingos consecutivos, Turíbio recebeu as ordens menores; poucas semanas depois foi ordenado presbítero e, por fim, sagrado bispo.

O insigne jurista se faz catequista

São Turíbio de Mogrovejo chegou à sua arquidiocese em maio de 1581. De início teve de enfrentar a decadência espiritual dos espanhóis colonizadores, cujos abusos os sacerdotes não ousavam corrigir. O novo arcebispo atacou o mal pela raiz. Muitos dos culpados de intoleráveis vícios e escândalos tentavam justificar-se:

- Fazemos o que é costume fazer aqui...

- Mas Cristo é verdade, e não costume! - replicava ele.

Com energia e, sobretudo, com seu exemplo pessoal, pôs freio aos abusos, moralizou os costumes e promoveu a reforma do clero.

Em pouco tempo, o ex-jurista transformou-se num exímio catequista que evangelizava os indígenas com palavras simples mas ardorosas. Percorreu três vezes em visita pastoral todo o imenso território de sua arquidiocese, viajando incansavelmente milhares de quilômetros. Entrava nas cabanas miseráveis, procurava os indígenas fugidios, sorria-lhes paternalmente, falava-lhes com bondade em seus idiomas e os conquistava para Cristo.

Grandes atividades, intensa vida de piedade

As três visitas pastorais tomaram-lhe mais de dez dos seus vinte e cinco anos de episcopado!

Convocou e presidiu treze sínodos regionais de bispos. Regulamentou e aperfeiçoou a catequese dos indígenas, e fez imprimir para eles os primeiros livros editados na América do Sul: o Catecismo em espanhol, em quéchua e em aymara. Fundou cem novas paróquias em sua arquidiocese.

Tudo isso sem prejudicar em nada o ponto fundamental de todo apóstolo autêntico: sua própria vida espiritual. Chamou a atenção de todos os que conviveram com ele sua intensa vida de piedade, à qual dedicava diariamente muitas horas de oração e meditação.

Imensa alegria: "Irei à Casa do Senhor!"

Teve a inapreciável satisfação de converter milhares de indígenas e de crismar três santos: São Martinho de Porres, São Francisco Solano e Santa Rosa de Lima.

A morte o colheu no curso de sua última visita pastoral, numa pobre capela a quase 500 quilômetros de Lima. Sentindo aproximar-se a hora extrema, recitou o Salmo 121: "Enchi-me de alegria quando me vieram dizer: vamos subir à Casa do Senhor!" Expirou suavemente às 15:30h de 23 de março de 1606, uma Quinta-Feira Santa.

Bento XIII o canonizou em 1726 e João Paulo II o proclamou Pa­droeiro do Episcopado Latino-Americano em 1983.

Por Irmã Mariana Morazzani Arráiz.

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/34947-Sao-Turibio-de-Mogrovejo--Ha-400-anos-na-gloria-celeste. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

O mistério da conservação do manto não é o único ao redor da imagem impressa de Nossa Senhora ...
 
A América Latina está reservada por Nossa Senhora para ser onde a glória do Reino d’Ela reluzir ...
 
Eu vos louvarei eternamente pelo que fizestes e cantarei vosso nome, na presença de vossos fiéis.. ...
 
Como São Paulo durante sua "peregrinação de encarcerado", interpretar o sofrimento com os olhos d ...
 
A obra foi traduzida pelo Arcebispo emérito da Arquidiocese do Huambo, Dom Francisco Viti, para a l ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading