Loading
 
 
 
Loading
 
Arcebispo de Santo Domingo elogia congressistas que “defenderam a vida” mantendo a criminalização do aborto
Loading
 
24 de Abril de 2009 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

SANTO DOMINGO (Sexta, 24-04-2009, Gaudium Press) Durante uma celebração provocada pelo 86º aniversario de Junta Central Eleitoral da República Dominicana, o arcebispo de Santo Domingo, nesta quinta-feira (23), o cardeal Nicolás de Jesús López Rodríguez elogiou os congressistas pela manutenção da criminalização do aborto no país.

Os legisladores aprovaram um artigo que estabelece o direito à vida desde a concepção até a morte natural. O artigo 30 da nova Constituição, aprovado pela impressionante diferença de 167 votos a favor e apenas 32 contra, declara que "O direito à vida é inviolável desde a concepção até a morte. Não poderá estabelecer-se, pronunciar-se nem aplicar-se, em nenhum caso, a pena de morte".

"Entendemos que isso (posição contra o aborto) é o que o povo dominicano sente e precisa harmonizar. O que a Igreja tem feito é interpretar o sentimento da maioria", disse o cardeal.

Monsenhor Rodríguez ainda criticou os que foram contra a proposta e criticou projetos pró-aborto que são analizados em outros países.

"O fato de existir países, começando pelos EUA e (alguns) da Europa, que estejam legislando a favor de que se mate gente é um retrocesso enorme. Não entendo que legislar para matar tenha sido algum progresso", finalizou.

 

Loading
Arcebispo de Santo Domingo elogia congressistas que “defenderam a vida” mantendo a criminalização do aborto

SANTO DOMINGO (Sexta, 24-04-2009, Gaudium Press) Durante uma celebração provocada pelo 86º aniversario de Junta Central Eleitoral da República Dominicana, o arcebispo de Santo Domingo, nesta quinta-feira (23), o cardeal Nicolás de Jesús López Rodríguez elogiou os congressistas pela manutenção da criminalização do aborto no país.

Os legisladores aprovaram um artigo que estabelece o direito à vida desde a concepção até a morte natural. O artigo 30 da nova Constituição, aprovado pela impressionante diferença de 167 votos a favor e apenas 32 contra, declara que "O direito à vida é inviolável desde a concepção até a morte. Não poderá estabelecer-se, pronunciar-se nem aplicar-se, em nenhum caso, a pena de morte".

"Entendemos que isso (posição contra o aborto) é o que o povo dominicano sente e precisa harmonizar. O que a Igreja tem feito é interpretar o sentimento da maioria", disse o cardeal.

Monsenhor Rodríguez ainda criticou os que foram contra a proposta e criticou projetos pró-aborto que são analizados em outros países.

"O fato de existir países, começando pelos EUA e (alguns) da Europa, que estejam legislando a favor de que se mate gente é um retrocesso enorme. Não entendo que legislar para matar tenha sido algum progresso", finalizou.

 


 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Cardeal Zen Ze-kiun, afirmou que o governo comunista chinês quer a rendição do Vaticano. ...
 
O caso acontece duas semanas após o assassinato de Michael Nnadi. Seminarista que havia sido seques ...
 
Papa: para os diplomatas vaticanos será necessária a realização de uma ação missionária de um ...
 
A ideia nasceu do desejo de tornar público o melhor das coleções e ter a maneira de dar a conhece ...
 
Os cardeais Conselheiros reúnem-se nesses três dias com o Papa para a 33ª Reunião do Conselho de ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading