Loading
 
 
 
Loading
 
Álvaro Uribe autoriza a Cruz Vermelha e a Igreja Católica a mediarem a libertação de sequestrados
Loading
 
27 de Abril de 2009 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Bogotá (Segunda, 27-04-2009, Gaudium Press) O presidente colombiano Álvaro Uribe anunciou neste sábado à tarde durante um conselho comunal em Facatativa departamento de Cundinamarca, que a Igreja Católica pode auxiliar a Cruz Vermelha Internacional na mediação de reféns sequestrados pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Ele se referiu a eventual liberação por parte do grupo do cabo do Exército Paulo Emilio Moncayo.

O mandatário colombiano afirmou que não permitirá que esse processo se converta num "festim politiqueiro", e que só aceitará que a logística seja comandada pela Cruz Vermelha Internacional e pela Igreja Católica. "A única instituição autorizada para avançar nesse processo é a Cruz Vermelha Internacional, que pode ser ajudada pela Igreja Católica", disse Uribe.

Neste momento, está pendente a liberação do cabo do Exército Paulo Emilio Moncayo, sequestrado há 11 anos e meio pela guerrilha das Farc. O grupo anunciou em uma carta divulgada na quinta-feira, dia 16, sua vontade unilateral de por fim ao cativeiro do militar.

Em seu anúncio, o presidente Uribe insistiu em ressaltar que por trás da libertação há interesses políticos, e que por nenhum motivo permitirá que o processo se dilate e se converta numa cortina de fumaça por parte das Farc.

Ainda não há informações de quando e como será feita a entrega do cabo Moncayo. O governo colombiano aguarda, agora, uma nova manifestação das Farc para prosseguir nas negociações.

 

Loading
Álvaro Uribe autoriza a Cruz Vermelha e a Igreja Católica a mediarem a libertação de sequestrados

Bogotá (Segunda, 27-04-2009, Gaudium Press) O presidente colombiano Álvaro Uribe anunciou neste sábado à tarde durante um conselho comunal em Facatativa departamento de Cundinamarca, que a Igreja Católica pode auxiliar a Cruz Vermelha Internacional na mediação de reféns sequestrados pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Ele se referiu a eventual liberação por parte do grupo do cabo do Exército Paulo Emilio Moncayo.

O mandatário colombiano afirmou que não permitirá que esse processo se converta num "festim politiqueiro", e que só aceitará que a logística seja comandada pela Cruz Vermelha Internacional e pela Igreja Católica. "A única instituição autorizada para avançar nesse processo é a Cruz Vermelha Internacional, que pode ser ajudada pela Igreja Católica", disse Uribe.

Neste momento, está pendente a liberação do cabo do Exército Paulo Emilio Moncayo, sequestrado há 11 anos e meio pela guerrilha das Farc. O grupo anunciou em uma carta divulgada na quinta-feira, dia 16, sua vontade unilateral de por fim ao cativeiro do militar.

Em seu anúncio, o presidente Uribe insistiu em ressaltar que por trás da libertação há interesses políticos, e que por nenhum motivo permitirá que o processo se dilate e se converta numa cortina de fumaça por parte das Farc.

Ainda não há informações de quando e como será feita a entrega do cabo Moncayo. O governo colombiano aguarda, agora, uma nova manifestação das Farc para prosseguir nas negociações.

 


 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

A alegria verdadeira brota de um coração puro que ama a Deus e ao próximo, tem a consciência tra ...
 
A iniciativa, que é aberta a toda comunidade, não apenas aos jovens, já reuniu mais de 700 pessoa ...
 
O Bispo de Braga, Dom Jorge Ortiga expressou em seu perfil no Twitter sentir uma "tristeza de morte" ...
 
Todos batizados “somos convidados a defender de maneira especial a vida por nascer”. ...
 
O decreto de concessão do título foi assinado pela Sagrada Congregação do Culto Divino e Discipl ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading