Loading
 
 
 
Loading
 
Angelus do Papa: “a Igreja não é um refúgio para pessoas tristes”
Loading
 
16 de Dezembro de 2013 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 16-12-2013, Gaudium Press) No Angelus deste domingo, 15, em vista da proximidade do Natal, o Papa Francisco afirmou que "a Igreja não é um refúgio para pessoas tristes", pois "a Igreja é a casa da alegria".

papa_francisco_angelus_msn.jpg

O Santo Padre saudou de forma particular as crianças, que seguravam nas mãos imagens de presépio do Menino Jesus, pedindo para que o Pontífice as abençoassem.

De acordo com o Papa, neste domingo "Gaudete", considerado um domingo de alegria, nos alegramos "porque o Senhor está próximo", pois a mensagem cristã é a boa notícia "para o povo inteiro".

Para o Santo Padre, "a alegria do Evangelho não é uma alegria qualquer. Encontra a sua razão no saber-se acolhidos e amados por Deus", que "vem nos salvar e presta socorro especialmente aos que têm o coração desanimado".

"A sua vinda ao nosso meio nos revigora, torna-nos firmes, dá-nos coragem e faz-nos exultar e florescer o deserto e o descampado, ou seja, a nossa vida quando se torna árida. E quando se torna árida? Quando se encontra sem a água da Palavra de Deus e do seu Espírito de amor", explicou.

O Papa alertou também os fiéis que "não nos é permitido ser fracos e vacilantes diante das dificuldades e de nossas próprias fraquezas", pois somos convidados a revigorar as mãos, a robustecer os joelhos, a ter coragem e não temer.

"Deus mostra sempre a grandeza da sua misericórdia".

Ainda segundo o Pontífice, Deus nos espera e está sempre conosco, pelo fato de Ele nos amar e ser misericordioso, perdoando e dando força para começarmos tudo de novo. "Somos capazes de reabrir os olhos, superar a tristeza e o pranto e entoar um canto novo".

A "alegria verdadeira", conforme o Papa, "permanece também na provação e também no sofrimento", "porque não é uma alegria superficial", que "cala no profundo da pessoa que se entrega a Deus e confia n'Ele".

"Por isso, quando um cristão se torna triste, significa que se distanciou de Jesus. Então não podemos deixá-lo sozinho. Devemos rezar por ele e fazer-lhe sentir o calor da comunidade", disse.

No final, o Papa Francisco evocou Nossa Senhora, a fim de que "obtenha para nós viver a alegria do Evangelho na família, no trabalho, na paróquia e em todo ambiente", "uma alegria íntima, feita de estupor e ternura". (LMI)

Loading
Angelus do Papa: “a Igreja não é um refúgio para pessoas tristes”

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 16-12-2013, Gaudium Press) No Angelus deste domingo, 15, em vista da proximidade do Natal, o Papa Francisco afirmou que "a Igreja não é um refúgio para pessoas tristes", pois "a Igreja é a casa da alegria".

papa_francisco_angelus_msn.jpg

O Santo Padre saudou de forma particular as crianças, que seguravam nas mãos imagens de presépio do Menino Jesus, pedindo para que o Pontífice as abençoassem.

De acordo com o Papa, neste domingo "Gaudete", considerado um domingo de alegria, nos alegramos "porque o Senhor está próximo", pois a mensagem cristã é a boa notícia "para o povo inteiro".

Para o Santo Padre, "a alegria do Evangelho não é uma alegria qualquer. Encontra a sua razão no saber-se acolhidos e amados por Deus", que "vem nos salvar e presta socorro especialmente aos que têm o coração desanimado".

"A sua vinda ao nosso meio nos revigora, torna-nos firmes, dá-nos coragem e faz-nos exultar e florescer o deserto e o descampado, ou seja, a nossa vida quando se torna árida. E quando se torna árida? Quando se encontra sem a água da Palavra de Deus e do seu Espírito de amor", explicou.

O Papa alertou também os fiéis que "não nos é permitido ser fracos e vacilantes diante das dificuldades e de nossas próprias fraquezas", pois somos convidados a revigorar as mãos, a robustecer os joelhos, a ter coragem e não temer.

"Deus mostra sempre a grandeza da sua misericórdia".

Ainda segundo o Pontífice, Deus nos espera e está sempre conosco, pelo fato de Ele nos amar e ser misericordioso, perdoando e dando força para começarmos tudo de novo. "Somos capazes de reabrir os olhos, superar a tristeza e o pranto e entoar um canto novo".

A "alegria verdadeira", conforme o Papa, "permanece também na provação e também no sofrimento", "porque não é uma alegria superficial", que "cala no profundo da pessoa que se entrega a Deus e confia n'Ele".

"Por isso, quando um cristão se torna triste, significa que se distanciou de Jesus. Então não podemos deixá-lo sozinho. Devemos rezar por ele e fazer-lhe sentir o calor da comunidade", disse.

No final, o Papa Francisco evocou Nossa Senhora, a fim de que "obtenha para nós viver a alegria do Evangelho na família, no trabalho, na paróquia e em todo ambiente", "uma alegria íntima, feita de estupor e ternura". (LMI)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/53944-Angelus-do-Papa---ldquo-a-Igreja-nao-e-um-refugio-para-pessoas-tristes-rdquo-. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

“Nossos filhos e netos não devem pagar o custo da irresponsabilidade de nossas gerações”. ...
 
Bispo de Viseu, Portugal, defende respeito ao ser humano “desde o momento da concepção até à m ...
 
A Associação "iMision" reúne instituições católicas e pessoas interessadas em evangelizar o co ...
 
Padre Patton fala da importância da presença de Cristãos e da formação dos jovens no Oriente M ...
 
Quantas coisas hediondas acontecem hoje em lugares sagrados! ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading