Loading
 
 
 
Loading
 
Concluída na Itália a restauração da chamada “Capela Sistina de Milão”
Loading
 
29 de Junho de 2015 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Milão - Itália (Segunda-feira, 29-06-2015, Gaudium Press) O antigo templo de São Maurício de Milão, propriedade das religiosas Beneditinas até a supressão do convento por parte de Napoleão, terminou as obras de restauração que permitem apreciar as notáveis obras de arte sacra que lhe mereceram o título de "Capela Sistina de Milão". Durante quase 30 anos se realizaram notáveis esforços graças a donativos anônimos para revelar os afrescos e pinturas ocultos pela passagem do tempo.

Concluída na Itália a restauração da chamada Capela Sistina de Milão.jpg

"Em 1985, quando começamos a trabalhar, o templo estava em um estado de absoluta degradação", explicou à imprensa Paola Zanolini, diretora do projeto de restauração. "A operação de limpeza foi de longe a mais difícil, devido a que uma crosta negra que cobriu as cores brilhantes características da pintura lombarda do século XVI descansava sobre uma pintura muito frágil". Além da perda das cores, a edificação apresentava infiltrações de água e sedimentos de sais por esta causa.

O mosteiro foi edificado na era carolíngia e o templo atual foi concluído em 1509, seguindo as normas da clausura, por quanto existem duas partes separadas: a pública e a destinada às religiosas. Durante a maior parte do século XVI se continuou a rica decoração do interior do templo, principalmente com o patrocínio da família Bentivoglio, a qual pertenciam quatro religiosas. O convento foi expropriado por Napoleão e os desenvolvimentos posteriores em torno do mesmo, como a construção de vias e edificações circundantes, comprometeram sua conservação, originando rachaduras e infiltrações que afetaram notavelmente as obras de arte.

As decorações internas do antigo templo incluem obras dos discípulos de Leonardo Da Vinci, entre os quais se destaca Bernardino Luini. A conclusão da obra em 1570 incluiu trabalhos na fachada, afrescos na contra fachada e a peça principal do altar, feitos pelo artista Antonio Campi. (GPE/EPC)

Loading
Concluída na Itália a restauração da chamada “Capela Sistina de Milão”

Milão - Itália (Segunda-feira, 29-06-2015, Gaudium Press) O antigo templo de São Maurício de Milão, propriedade das religiosas Beneditinas até a supressão do convento por parte de Napoleão, terminou as obras de restauração que permitem apreciar as notáveis obras de arte sacra que lhe mereceram o título de "Capela Sistina de Milão". Durante quase 30 anos se realizaram notáveis esforços graças a donativos anônimos para revelar os afrescos e pinturas ocultos pela passagem do tempo.

Concluída na Itália a restauração da chamada Capela Sistina de Milão.jpg

"Em 1985, quando começamos a trabalhar, o templo estava em um estado de absoluta degradação", explicou à imprensa Paola Zanolini, diretora do projeto de restauração. "A operação de limpeza foi de longe a mais difícil, devido a que uma crosta negra que cobriu as cores brilhantes características da pintura lombarda do século XVI descansava sobre uma pintura muito frágil". Além da perda das cores, a edificação apresentava infiltrações de água e sedimentos de sais por esta causa.

O mosteiro foi edificado na era carolíngia e o templo atual foi concluído em 1509, seguindo as normas da clausura, por quanto existem duas partes separadas: a pública e a destinada às religiosas. Durante a maior parte do século XVI se continuou a rica decoração do interior do templo, principalmente com o patrocínio da família Bentivoglio, a qual pertenciam quatro religiosas. O convento foi expropriado por Napoleão e os desenvolvimentos posteriores em torno do mesmo, como a construção de vias e edificações circundantes, comprometeram sua conservação, originando rachaduras e infiltrações que afetaram notavelmente as obras de arte.

As decorações internas do antigo templo incluem obras dos discípulos de Leonardo Da Vinci, entre os quais se destaca Bernardino Luini. A conclusão da obra em 1570 incluiu trabalhos na fachada, afrescos na contra fachada e a peça principal do altar, feitos pelo artista Antonio Campi. (GPE/EPC)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/71106-Concluida-na-Italia-a-restauracao-da-chamada--ldquo-Capela-Sistina-de-Milao-rdquo-. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Em entrevista, Bispo diz que quardará segredo de confissão e que está pronto para ser preso. ...
 
Bispo de Frederico Westphalen, comenta a liturgia do XXI Domingo do Tempo Comum e ressalta a uni ...
 
O 8.º encontro bilateral realçou “desenvolvimentos positivos” na relação entre a Santa Sé e ...
 
Seu nome de batismo era Isabel Mariana de Jesus Paredes Flores y Oliva. Bela como uma flor, todos a ...
 
Em outubro a Igreja vai promover em todo o mundo o Mês Missionário Extraordinário, com o tema: Ba ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading