Loading
 
 
 
Loading
 
Aquele com quem Deus Se faz um
Loading
 
20 de Julho de 2018 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Redação (Sexta-feira, 20-07-2018, Gaudium Press) O profeta é marcado pelo selo da dor, da ingratidão e da perseguição, mas, sobretudo, caminha sob o signo da luta, da fidelidade e do heroísmo.
Ele vive exclusivamente para Deus, em função de Deus...

No Céu e na Terra tudo é ordenado e sábio

 

Aquele com quem Deus Se faz um1.jpg

Tudo quanto foi criado por Deus, no céu e na terra, é ordenado e sábio. Como seria caótico nosso planeta se dele pudéssemos avistar muitos sóis e apenas algumas estrelas! As coisas muito importantes são poucas, e em torno destas se organizam as menores, para que cada uma cumpra sua finalidade.

Sob alguns aspectos, como o sol entre as estrelas, assim é o profeta entre os homens. E do mesmo modo que o astro rei rompe a hegemonia das trevas, o profeta rompe o unanimismo de seu tempo, iluminando o verdadeiro caminho e alertando a respeito dos falsos.

Com esse fim, é ele escolhido diretamente por Deus para ser o depositário de todos os seus planos, pois "Javé nada faz sem revelar seu segredo aos profetas, seus servos" (Am 3, 7). Portanto, o Senhor instrui o profeta, este guia o povo e dessa forma Deus governa a História. (*) Por isso, o profeta é temido pelo demônio, e é também odiado pelo mundo, porque condena os desregramentos dos homens ao recordar-lhes os preceitos divinos.

Assim, o profeta é marcado pelo selo da dor, da ingratidão e da perseguição, mas, sobretudo, caminha sob o signo da luta, da fidelidade e do heroísmo. Ele vive exclusivamente para Deus, em função de Deus e por esta razão só de Deus recebe a sua paga: o prêmio demasiadamente grande (cf. Gn 15, 1). Contudo, somente depois de sua passagem por este mundo, já na eternidade, receberá a glorificação, a qual também repercute na terra.

Embora a perseguição acompanhe o profeta, nem todo homem controvertido pode ser considerado como tal. Com efeito, o profeta é, antes de mais nada, um escolhido do Altíssimo; daí a recomendação de São João: "Não deis fé a qualquer espírito, mas examinai se os espíritos são de Deus, porque muitos falsos profetas se levantarão" (I Jo 4, 1).

Aquele com quem Deus Se faz um2.jpg

Os Evangelistas (cf. Mt 7, 15;24, 11; Lc 6, 26; Mc 13, 22) alertam que os "falsos profetas" eventualmente realizariam prodígios portentosos; o Senhor, entretanto, não deixa de confundir estes "sinais" (cf. Is 44, 25) e de denunciar seus autores, pois se atribuem uma missão divina que não têm: são eles mesmos as vítimas de suas próprias tramas (cf. Jr 14, 14-15; Ez 13, 1-3), tornando-se objeto de "ruína repentina"(II Pd 2, 1). Portanto, pelos seus frutos encontraremos os verdadeiros enviados de Deus (cf. Mt 7, 16), pois Ele sempre faz conhecer os seus!

 

Esta é a grandiosidade da vocação do profeta, aquele com quem Deus Se fez um. Mero homem, ele se une, na Cruz, a Nosso Senhor Jesus Cristo, o Profeta Absoluto, e em contrapartida Deus fala pela sua boca, irradiando a divina sabedoria como uma névoa a cobrir o orbe inteiro (cf. Eclo 24, 6). Rocha divisória no meio do rio, rumo e luz nas tempestades do mar escuro, firme torre erguida entre as ruínas da planície, o profeta é uma sagrada trombeta de ouro, na qual sopra - dos altos Céus - o Espírito Santo, e que faz ressoar por toda aterra a voz do próprio Deus!

(Fonte: Revista "Arautos do Evangelho".)

.........................................................................
Notas:
(1) Contrariamente à noção errônea de que a missão dos profetas deu-se apenas no Antigo Testamento, veja-se o Catecismo da Igreja Católica (no Brasil, edição conjunta Ave Maria, Loyola, Paulinas, Paulus, Salesiana, Vozes): o dom da profecia está especialmente presente na Igreja, como derivação do tríplice atributo de Cristo: Sacerdote, Profeta e Rei.
Para, entre os Santos, não citar senão São Luís Grignion de Montfort: "(...)a quem destes luzes proféticas, a um São Francisco de Paula, a um São Vicente Ferrer, a uma Santa Catarina de Sena, e a tantas outras grandes almas, no século passado e até neste, em que vivemos".(Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem, Ed. Vozes, Petrópolis, 2017, 46ª edição, p. 302-303)

 

 

Loading
Aquele com quem Deus Se faz um

Redação (Sexta-feira, 20-07-2018, Gaudium Press) O profeta é marcado pelo selo da dor, da ingratidão e da perseguição, mas, sobretudo, caminha sob o signo da luta, da fidelidade e do heroísmo.
Ele vive exclusivamente para Deus, em função de Deus...

No Céu e na Terra tudo é ordenado e sábio

 

Aquele com quem Deus Se faz um1.jpg

Tudo quanto foi criado por Deus, no céu e na terra, é ordenado e sábio. Como seria caótico nosso planeta se dele pudéssemos avistar muitos sóis e apenas algumas estrelas! As coisas muito importantes são poucas, e em torno destas se organizam as menores, para que cada uma cumpra sua finalidade.

Sob alguns aspectos, como o sol entre as estrelas, assim é o profeta entre os homens. E do mesmo modo que o astro rei rompe a hegemonia das trevas, o profeta rompe o unanimismo de seu tempo, iluminando o verdadeiro caminho e alertando a respeito dos falsos.

Com esse fim, é ele escolhido diretamente por Deus para ser o depositário de todos os seus planos, pois "Javé nada faz sem revelar seu segredo aos profetas, seus servos" (Am 3, 7). Portanto, o Senhor instrui o profeta, este guia o povo e dessa forma Deus governa a História. (*) Por isso, o profeta é temido pelo demônio, e é também odiado pelo mundo, porque condena os desregramentos dos homens ao recordar-lhes os preceitos divinos.

Assim, o profeta é marcado pelo selo da dor, da ingratidão e da perseguição, mas, sobretudo, caminha sob o signo da luta, da fidelidade e do heroísmo. Ele vive exclusivamente para Deus, em função de Deus e por esta razão só de Deus recebe a sua paga: o prêmio demasiadamente grande (cf. Gn 15, 1). Contudo, somente depois de sua passagem por este mundo, já na eternidade, receberá a glorificação, a qual também repercute na terra.

Embora a perseguição acompanhe o profeta, nem todo homem controvertido pode ser considerado como tal. Com efeito, o profeta é, antes de mais nada, um escolhido do Altíssimo; daí a recomendação de São João: "Não deis fé a qualquer espírito, mas examinai se os espíritos são de Deus, porque muitos falsos profetas se levantarão" (I Jo 4, 1).

Aquele com quem Deus Se faz um2.jpg

Os Evangelistas (cf. Mt 7, 15;24, 11; Lc 6, 26; Mc 13, 22) alertam que os "falsos profetas" eventualmente realizariam prodígios portentosos; o Senhor, entretanto, não deixa de confundir estes "sinais" (cf. Is 44, 25) e de denunciar seus autores, pois se atribuem uma missão divina que não têm: são eles mesmos as vítimas de suas próprias tramas (cf. Jr 14, 14-15; Ez 13, 1-3), tornando-se objeto de "ruína repentina"(II Pd 2, 1). Portanto, pelos seus frutos encontraremos os verdadeiros enviados de Deus (cf. Mt 7, 16), pois Ele sempre faz conhecer os seus!

 

Esta é a grandiosidade da vocação do profeta, aquele com quem Deus Se fez um. Mero homem, ele se une, na Cruz, a Nosso Senhor Jesus Cristo, o Profeta Absoluto, e em contrapartida Deus fala pela sua boca, irradiando a divina sabedoria como uma névoa a cobrir o orbe inteiro (cf. Eclo 24, 6). Rocha divisória no meio do rio, rumo e luz nas tempestades do mar escuro, firme torre erguida entre as ruínas da planície, o profeta é uma sagrada trombeta de ouro, na qual sopra - dos altos Céus - o Espírito Santo, e que faz ressoar por toda aterra a voz do próprio Deus!

(Fonte: Revista "Arautos do Evangelho".)

.........................................................................
Notas:
(1) Contrariamente à noção errônea de que a missão dos profetas deu-se apenas no Antigo Testamento, veja-se o Catecismo da Igreja Católica (no Brasil, edição conjunta Ave Maria, Loyola, Paulinas, Paulus, Salesiana, Vozes): o dom da profecia está especialmente presente na Igreja, como derivação do tríplice atributo de Cristo: Sacerdote, Profeta e Rei.
Para, entre os Santos, não citar senão São Luís Grignion de Montfort: "(...)a quem destes luzes proféticas, a um São Francisco de Paula, a um São Vicente Ferrer, a uma Santa Catarina de Sena, e a tantas outras grandes almas, no século passado e até neste, em que vivemos".(Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem, Ed. Vozes, Petrópolis, 2017, 46ª edição, p. 302-303)

 

 

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/96727-Aquele-com-quem-Deus-Se-faz-um. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

O evento, que seguiu o lema “Não temas Maria, pois encontras-te graça diante de Deus”, foi con ...
 
“A capela de adoração é uma iniciativa do Senhor para que tivéssemos um lugar adequado para or ...
 
Conforme o purpurado, Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos. ...
 
Criada em 27 de maio de 1998 pelo Papa João Paulo II, o bispado de Criciúma foi desmembrado da Dio ...
 
O sucesso vocacional do sacerdote depende das orações dos fiéis, afirma arcebispo de Malanje, no ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading