Loading
 
 
 
Loading
 
Duas perguntas de jovens franceses, duas respostas do Papa
Loading
 
19 de Setembro de 2018 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 19-09-2018, Gaudium Press) A Sala de Imprensa do Vaticano divulgou o texto da audiência concedida a jovens franceses da Diocese de Grenoble-Vienne, na última segunda-feira, 17 de setembro.

Duas perguntas de jovens franceses, duas respostas do Papa.jpg

O Papa respondeu perguntas a adolescente de 14 anos até jovens de 27. E aqui trazemos trechos de duas das respostas do Papa Francisco a duas perguntas dos jovens:

Emilie:
Em seus inícios, a Igreja era onipresente na sociedade, era um modelo a seguir.
Hoje, a sociedade evoluiu e a França é um país secular em que o número de cristãos diminuiu fortemente.
A igreja ainda tem seu lugar? E para que serve?
Santo Padre: por que se envolver em uma instituição que às vezes me parece sem sentido e sem colocação?

Papa Francisco:
Sua pergunta é muito realista.
Mas, pertencer à Igreja, antes de tudo, não é a pertença a uma instituição, é pertença à pessoa, a Jesus.
No Domingo de Ramos, Jesus estava em triunfo; quando ele fez a multiplicação dos pães queriam fazê-lo rei, mas na Sexta-feira Santa estava crucificado.

Trata-se de seguir Jesus, não seguir as consequências de Jesus.
Nem as consequências sociais: se a Igreja é grande ou pequena ... não, mas Jesus.
Segui-lo nos momentos tranquilos, quando a Igreja floresce; e segui-lo no momento em que a Igreja está em crise.

Tome a história da Igreja: com a Igreja foi assim.
A Igreja não foi levada adiante pelas grandes organizações, grandes partidos políticos, grandes instituições ...
Não. A Igreja foi levada em frente pelos santos.

E nos dias de hoje serão os santos a levá-la em frente, não nós, nem mesmo o Papa. Não, são os santos. Eles abrem caminho diante de nós.
E por que os santos? Porque eles seguem Jesus. A fé não é uma ideia: é um encontro com Jesus.
Eu faço votos que este encontro acompanhe você por toda a vida...

Pauline:

Bom dia, Santo Padre, meu nome é Pauline e tenho 27 anos. Ouvindo os testemunhos, como acompanhar a vocação de cada um neste contexto?

Papa Francisco:

A vocação é um dom de Deus e devemos custodiá-la. Você se referiu às vocações sacerdotais, à vida religiosa ou a todas as vocações?
[Resposta da jovem: às vocações religiosas e sacerdotais]

O Senhor chama. E a pessoa chamada diz:
"Eu quero ser freira, quero ser padre, quero ser religiosa ...".

E começa um caminho, para ser acompanhado com normalidade. Normalidade.

Eu tenho medo dos seminaristas que fazem isso [que assumem uma "pose"], eu tenho medo, porque eles não são normais. Você quer ser padre? Você deve ser um homem verdadeiro que segue em frente.

Você quer ser freira? Você deve ser uma mulher madura que segue em frente. Nunca renegar a humanidade. 

Que sejam normais, porque o mal que faz um padre neurótico é terrível! E o mal que pode fazer uma freira neurótica é terrível! Acompanhá-los na normalidade: primeiro.

Segundo: acompanhá-los na fé. Que cresçam na fé, em compreender a beleza de Deus, em compreender o caminho de Jesus, e que sua vida mude na relação com a oração."  (JSG)

 

Loading
Duas perguntas de jovens franceses, duas respostas do Papa

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 19-09-2018, Gaudium Press) A Sala de Imprensa do Vaticano divulgou o texto da audiência concedida a jovens franceses da Diocese de Grenoble-Vienne, na última segunda-feira, 17 de setembro.

Duas perguntas de jovens franceses, duas respostas do Papa.jpg

O Papa respondeu perguntas a adolescente de 14 anos até jovens de 27. E aqui trazemos trechos de duas das respostas do Papa Francisco a duas perguntas dos jovens:

Emilie:
Em seus inícios, a Igreja era onipresente na sociedade, era um modelo a seguir.
Hoje, a sociedade evoluiu e a França é um país secular em que o número de cristãos diminuiu fortemente.
A igreja ainda tem seu lugar? E para que serve?
Santo Padre: por que se envolver em uma instituição que às vezes me parece sem sentido e sem colocação?

Papa Francisco:
Sua pergunta é muito realista.
Mas, pertencer à Igreja, antes de tudo, não é a pertença a uma instituição, é pertença à pessoa, a Jesus.
No Domingo de Ramos, Jesus estava em triunfo; quando ele fez a multiplicação dos pães queriam fazê-lo rei, mas na Sexta-feira Santa estava crucificado.

Trata-se de seguir Jesus, não seguir as consequências de Jesus.
Nem as consequências sociais: se a Igreja é grande ou pequena ... não, mas Jesus.
Segui-lo nos momentos tranquilos, quando a Igreja floresce; e segui-lo no momento em que a Igreja está em crise.

Tome a história da Igreja: com a Igreja foi assim.
A Igreja não foi levada adiante pelas grandes organizações, grandes partidos políticos, grandes instituições ...
Não. A Igreja foi levada em frente pelos santos.

E nos dias de hoje serão os santos a levá-la em frente, não nós, nem mesmo o Papa. Não, são os santos. Eles abrem caminho diante de nós.
E por que os santos? Porque eles seguem Jesus. A fé não é uma ideia: é um encontro com Jesus.
Eu faço votos que este encontro acompanhe você por toda a vida...

Pauline:

Bom dia, Santo Padre, meu nome é Pauline e tenho 27 anos. Ouvindo os testemunhos, como acompanhar a vocação de cada um neste contexto?

Papa Francisco:

A vocação é um dom de Deus e devemos custodiá-la. Você se referiu às vocações sacerdotais, à vida religiosa ou a todas as vocações?
[Resposta da jovem: às vocações religiosas e sacerdotais]

O Senhor chama. E a pessoa chamada diz:
"Eu quero ser freira, quero ser padre, quero ser religiosa ...".

E começa um caminho, para ser acompanhado com normalidade. Normalidade.

Eu tenho medo dos seminaristas que fazem isso [que assumem uma "pose"], eu tenho medo, porque eles não são normais. Você quer ser padre? Você deve ser um homem verdadeiro que segue em frente.

Você quer ser freira? Você deve ser uma mulher madura que segue em frente. Nunca renegar a humanidade. 

Que sejam normais, porque o mal que faz um padre neurótico é terrível! E o mal que pode fazer uma freira neurótica é terrível! Acompanhá-los na normalidade: primeiro.

Segundo: acompanhá-los na fé. Que cresçam na fé, em compreender a beleza de Deus, em compreender o caminho de Jesus, e que sua vida mude na relação com a oração."  (JSG)

 

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/98106-Duas-perguntas-de-jovens-franceses--duas-respostas-do-Papa. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

“Temos que chamar os jovens a ser Santos e nós também devemos ser Santos”, ressaltou Dom José ...
 
Segundo o Padre Davide Carbonaro, a ideia da procissão “é iluminar esta noite especial para nós ...
 
Proveniente de Portugal, a imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima viajou para a Colômbia onde ...
 
Por causa 92ª Jornada Missionária Mundial a ser realizada no domingo, 21/10, foram publicadas vár ...
 
“Senso do maravilhoso”: tendência natural que leva a buscar Deus, glorificá-Lo nos seus reflex ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading