Loading
 
 
 
Loading
 
Dedicação do Altar-Mor da Igreja do Rosário, em Barbalha (CE), reúne fiéis cearenses
Loading
 
2 de Agosto de 2016 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Barbalha - Ceará (Terça-feira, 02-06-2016, Gaudium Press) A cerimônia de Dedicação e Benção do Altar-Mor da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, co-padroeira de Barbalha, foi presidida pelo bispo coadjutor, Dom Gilberto Pastana de Oliveira, neste domingo, dia 31 de julho.

Gaudium Press.jpg

O pároco da cidade, Padre Cicero Alencar, e os demais sacerdotes da Diocese de Crato também marcaram presença na solenidade.

Logo no início de sua homilia, Dom Gilberto ressaltou a importância da dedicação do Altar-Mor da Igreja. "Meus irmãos e irmãs, quis o Senhor que, neste 18º Domingo do Tempo Comum, celebrássemos essa dedicação. A Igreja é a Casa do Pai. Aqui, nós devemos nos sentir acolhidos pelo Senhor, que nos abraça longamente para, renovar em nós, o Seu Espírito. A Casa do Senhor é a casa do encontro com Deus e com os irmãos. Aqui, nós devemos vir buscar forças, renovar a esperança, receber o perdão e se sentir, sobretudo, amado pelo Senhor", declarou.

Após a reflexão do Evangelho, houve o momento do rito de Dedicação e Bênção do Altar. Na ocasião, foi derramado o óleo do Crisma, e em seguida, o bispo ungiu e depositou incenso sobre as brasas, colocadas no turíbulo - vaso metálico usado nas cerimônias litúrgicas para queimar o incenso.

Ainda no altar principal da Igreja, foram depositadas quatro relíquias que recordam o testemunho de vida dos Santos e Beatos: Pier Giorgio (beatificado em 20 de maio de 1990, Roma, pelo então Papa João Paulo II), Pierre-René Rogue (beatificado como "mártir da Eucaristia em 10 de maio de 1934) e Juan Francisco Regis Clet (beatificação em 27 de maio de 1900, pelo Papa Leão XIII e canonizado em 1° de outubro de 2000 pelo então Papa João Paulo II).

Da mesma forma, foram expostas as relíquias das Santas Luísa de Marillac (canonizada em 11 de março de 1934, Roma por Papa Pio XI) e Catarina Labourè (canonizada em 27 de julho de 1947 por Papa Pio XII) e São Vicente de Paulo, cuja canonização deu-se em 16 de junho de 1737, Roma, por Papa Clemente XII).

Encerrando a cerimônia, Dom Gilberto manifestou alegria por estar visitando, pela primeira vez, a cidade de Barbalha. O prelado aproveitou o momento para fazer menção a Dom Fernando Panico, pedindo orações aos fiéis pelo restabelecimento da saúde do pastor diocesano. (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações Diocese de Crato

Loading
Dedicação do Altar-Mor da Igreja do Rosário, em Barbalha (CE), reúne fiéis cearenses

Barbalha - Ceará (Terça-feira, 02-06-2016, Gaudium Press) A cerimônia de Dedicação e Benção do Altar-Mor da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, co-padroeira de Barbalha, foi presidida pelo bispo coadjutor, Dom Gilberto Pastana de Oliveira, neste domingo, dia 31 de julho.

Gaudium Press.jpg

O pároco da cidade, Padre Cicero Alencar, e os demais sacerdotes da Diocese de Crato também marcaram presença na solenidade.

Logo no início de sua homilia, Dom Gilberto ressaltou a importância da dedicação do Altar-Mor da Igreja. "Meus irmãos e irmãs, quis o Senhor que, neste 18º Domingo do Tempo Comum, celebrássemos essa dedicação. A Igreja é a Casa do Pai. Aqui, nós devemos nos sentir acolhidos pelo Senhor, que nos abraça longamente para, renovar em nós, o Seu Espírito. A Casa do Senhor é a casa do encontro com Deus e com os irmãos. Aqui, nós devemos vir buscar forças, renovar a esperança, receber o perdão e se sentir, sobretudo, amado pelo Senhor", declarou.

Após a reflexão do Evangelho, houve o momento do rito de Dedicação e Bênção do Altar. Na ocasião, foi derramado o óleo do Crisma, e em seguida, o bispo ungiu e depositou incenso sobre as brasas, colocadas no turíbulo - vaso metálico usado nas cerimônias litúrgicas para queimar o incenso.

Ainda no altar principal da Igreja, foram depositadas quatro relíquias que recordam o testemunho de vida dos Santos e Beatos: Pier Giorgio (beatificado em 20 de maio de 1990, Roma, pelo então Papa João Paulo II), Pierre-René Rogue (beatificado como "mártir da Eucaristia em 10 de maio de 1934) e Juan Francisco Regis Clet (beatificação em 27 de maio de 1900, pelo Papa Leão XIII e canonizado em 1° de outubro de 2000 pelo então Papa João Paulo II).

Da mesma forma, foram expostas as relíquias das Santas Luísa de Marillac (canonizada em 11 de março de 1934, Roma por Papa Pio XI) e Catarina Labourè (canonizada em 27 de julho de 1947 por Papa Pio XII) e São Vicente de Paulo, cuja canonização deu-se em 16 de junho de 1737, Roma, por Papa Clemente XII).

Encerrando a cerimônia, Dom Gilberto manifestou alegria por estar visitando, pela primeira vez, a cidade de Barbalha. O prelado aproveitou o momento para fazer menção a Dom Fernando Panico, pedindo orações aos fiéis pelo restabelecimento da saúde do pastor diocesano. (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações Diocese de Crato


 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Na mentalidade de muitas pessoas perpassa essa ideia de que o sacramento é alguma coisa que se comp ...
 
Há 18 anos João Paulo II reconhecia o carisma dos Arautos do Evangelho, e os erigia como Associaç ...
 
O tema do encontro, que reuniu mais de 1.200 homens na Diocese de Phoenix, foi 'Uma Nova Cavalaria'. ...
 
A comemoração da Cátedra de São Pedro põe em relevo a missão de mestre e de pastor conferida p ...
 
O telegrama foi endereçado a Dom Anthony Fallah Borwah, presidente da Conferência Episcopal da Lib ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading