Loading
 
 
 
Loading
 
Bélgica: estudantes optam por aulas de religião
Loading
 
14 de Novembro de 2016 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Bruxelas - Bélgica (Segunda-feira, 14-11-2016, Gaudium Press) De acordo com matéria do jornal L'Osservatore Romano, a nova disciplina "Educação à filosofia e à cidadania" não registrou na Bélgica um elevado número de participantes entre as crianças das escolas primárias.

A matéria foi incluída ao currículo escolar desde o último dia 1° de outubro e substitui, para quem o desejar, a segunda hora de ensinamento religioso, prevista por uma lei de 1958 que disciplina a matéria.

A partir deste ano escolar os pais poderiam escolher se os próprios filhos devem frequentar a clássica segunda hora chamada de "aula de religião", mas que, na verdade é uma aula de história das religiões, ou se a substituirão pelo novo ensino proposto pelo Ministério da Educação.

O novo curso de filosofia à cidadania recebeu uma forte campanha promocional por parte de associações laicas do país.
As comunidades religiosas alarmaram-se, protestaram e exortam os pais a não negligenciar o ensinamento religioso.

O apelo parece ter dado resultado: somente 8% dos estudantes belgas pediram para participar das novas lições a serem dadas nas aulas de "Educação à filosofia e à cidadania".

Segundo Dom Guy Harpigny, Bispo de Tournai e responsável pelos cursos de religião católica, a hora de religião ajuda "a desenvolver de maneira essencial perguntas de sentido, a partir das diversas tradições religiosas; contribui a desconstruir os discursos radicais; acompanha os estudantes a abrirem-se à dimensão espiritual da existência e a trabalharem ativamente para o encontro do outro", informa o "L'Osservatore Romano". (JSG)

Loading
Bélgica: estudantes optam por aulas de religião

Bruxelas - Bélgica (Segunda-feira, 14-11-2016, Gaudium Press) De acordo com matéria do jornal L'Osservatore Romano, a nova disciplina "Educação à filosofia e à cidadania" não registrou na Bélgica um elevado número de participantes entre as crianças das escolas primárias.

A matéria foi incluída ao currículo escolar desde o último dia 1° de outubro e substitui, para quem o desejar, a segunda hora de ensinamento religioso, prevista por uma lei de 1958 que disciplina a matéria.

A partir deste ano escolar os pais poderiam escolher se os próprios filhos devem frequentar a clássica segunda hora chamada de "aula de religião", mas que, na verdade é uma aula de história das religiões, ou se a substituirão pelo novo ensino proposto pelo Ministério da Educação.

O novo curso de filosofia à cidadania recebeu uma forte campanha promocional por parte de associações laicas do país.
As comunidades religiosas alarmaram-se, protestaram e exortam os pais a não negligenciar o ensinamento religioso.

O apelo parece ter dado resultado: somente 8% dos estudantes belgas pediram para participar das novas lições a serem dadas nas aulas de "Educação à filosofia e à cidadania".

Segundo Dom Guy Harpigny, Bispo de Tournai e responsável pelos cursos de religião católica, a hora de religião ajuda "a desenvolver de maneira essencial perguntas de sentido, a partir das diversas tradições religiosas; contribui a desconstruir os discursos radicais; acompanha os estudantes a abrirem-se à dimensão espiritual da existência e a trabalharem ativamente para o encontro do outro", informa o "L'Osservatore Romano". (JSG)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/83534-Belgica--estudantes-optam-por-aulas-de-religiao. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Junto com a peça os visitantes podem assistir a um vídeo com os testemunhos das pessoas que partic ...
 
“A mensagem de Fátima continua a desafiar a uma atitude de oferta da própria vida a Deus e aos ...
 
As celebrações seguiram o lema: “Com Lourenço servidor, do povo protetor, escutamos e anunciamo ...
 
Bispos da Igreja Caldeia Católica apelaram para o fim da guerra na Síria e em todo o Médio Orient ...
 
“A lei que penaliza o aborto provocado está a serviço de um valor altíssimo, que é a vida do n ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading