Loading
 
 
 
Loading
 
Audiência: a misericórdia é saber rezar uns pelos outros
Loading
 
30 de Novembro de 2016 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 30-11-2016, Gaudium Press) Por volta de sete mil fiéis e peregrinos estiveram na Sala Paulo VI para participar da Audiência Geral do Papa Francisco.

A catequese desta Audiência encerra o ciclo que Francisco dedicou em várias Audiências ao assunto da Misericórdia.

O pontífice tratou de duas obras: uma espiritual de "rezar pelos vivos e pelos mortos", e outra corporal, "enterrar os mortos".
"As catequeses terminam, mas a misericórdia deve continuar", disse o Papa.
À primeira vista, afirmou Francisco

Enterrar os mortos

O Papa afirmou que, à primeira vista, enterrar os mortos pode parecer estranho, mas se pensarmos em tantas regiões atribuladas pelo flagelo da guerra, enterrar os mortos se torna tristemente uma obra muito atual.
Às vezes, como foi o caso do velho Tobi, no Antigo Testamento, significa colocar em risco a própria vida. Mas pode exigir grande coragem, como no caso de José de Arimatéia, ao providenciar um sepulcro para Jesus, após a sua morte na Cruz.

"Para os cristãos, a sepultura é um ato de piedade, mas também de fé e esperança na ressurreição dos mortos", disse o Papa.
Por isso, lembrou Francisco, somos chamados também a rezar pelos defuntos, porque reconhecemos o bem que essas pessoas nos fizeram em vida e para encomendá-las à misericórdia de Deus:

"Todos ressuscitaremos e todos permaneceremos para sempre com Jesus", recordou o Papa, que ainda não esquecermos a oração pelos vivos.

Comunhão dos Santos

Rezar pelos vivos é uma manifestação de fé na Comunhão dos Santos, que nos ensina que os batizados, encontrando-se unidos em Cristo e sob a ação do Espírito Santo, podem interceder uns pelos outros.

O Santo Padre mostrou que são vários os modos de rezar pelo próximo. Um exemplo exemplo desse modo de rezar pelos outros é o "hábito ainda presente em algumas famílias": os pais e mães que abençoam os filhos antes de saíram de casa, e em outras ocasiões do dia. Há ainda a oração para as pessoas doentes, a intercessão silenciosa às vezes com as lágrimas.

Ao rezar uns pelos outros, devemos pedir sempre que se faça a vontade de Deus, porque a sua vontade é certamente o bem maior, o bem de um Pai que jamais nos abandona, mostrou Francisco que ainda ensinou:
"Abramos o nosso coração, disse o papa, rezar e deixar que o Espírito Santo reze em nós. E isso é o belo da vida, rezar, agradecer, louvar a Deus, pedir algo, mesmo chorando quando há alguma dificuldade, mas com coração aberto ao Espírito para que reze em nós, conosco e por nós."

Ao concluir sua catequese, o Papa Francisco pediu um esforço para que se reze uns pelos outros, afim de que as obras de misericórdia corporais e espirituais se tornem sempre mais o estilo da nossa vida:

"Como disse anteriormente, as catequeses se concluem. Fizemos o percurso das 14 obras de misericórdia, mas a misericórdia continua e devemos exercitá-la nesses 14 modos." (JSG)

Loading
Audiência: a misericórdia é saber rezar uns pelos outros

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 30-11-2016, Gaudium Press) Por volta de sete mil fiéis e peregrinos estiveram na Sala Paulo VI para participar da Audiência Geral do Papa Francisco.

A catequese desta Audiência encerra o ciclo que Francisco dedicou em várias Audiências ao assunto da Misericórdia.

O pontífice tratou de duas obras: uma espiritual de "rezar pelos vivos e pelos mortos", e outra corporal, "enterrar os mortos".
"As catequeses terminam, mas a misericórdia deve continuar", disse o Papa.
À primeira vista, afirmou Francisco

Enterrar os mortos

O Papa afirmou que, à primeira vista, enterrar os mortos pode parecer estranho, mas se pensarmos em tantas regiões atribuladas pelo flagelo da guerra, enterrar os mortos se torna tristemente uma obra muito atual.
Às vezes, como foi o caso do velho Tobi, no Antigo Testamento, significa colocar em risco a própria vida. Mas pode exigir grande coragem, como no caso de José de Arimatéia, ao providenciar um sepulcro para Jesus, após a sua morte na Cruz.

"Para os cristãos, a sepultura é um ato de piedade, mas também de fé e esperança na ressurreição dos mortos", disse o Papa.
Por isso, lembrou Francisco, somos chamados também a rezar pelos defuntos, porque reconhecemos o bem que essas pessoas nos fizeram em vida e para encomendá-las à misericórdia de Deus:

"Todos ressuscitaremos e todos permaneceremos para sempre com Jesus", recordou o Papa, que ainda não esquecermos a oração pelos vivos.

Comunhão dos Santos

Rezar pelos vivos é uma manifestação de fé na Comunhão dos Santos, que nos ensina que os batizados, encontrando-se unidos em Cristo e sob a ação do Espírito Santo, podem interceder uns pelos outros.

O Santo Padre mostrou que são vários os modos de rezar pelo próximo. Um exemplo exemplo desse modo de rezar pelos outros é o "hábito ainda presente em algumas famílias": os pais e mães que abençoam os filhos antes de saíram de casa, e em outras ocasiões do dia. Há ainda a oração para as pessoas doentes, a intercessão silenciosa às vezes com as lágrimas.

Ao rezar uns pelos outros, devemos pedir sempre que se faça a vontade de Deus, porque a sua vontade é certamente o bem maior, o bem de um Pai que jamais nos abandona, mostrou Francisco que ainda ensinou:
"Abramos o nosso coração, disse o papa, rezar e deixar que o Espírito Santo reze em nós. E isso é o belo da vida, rezar, agradecer, louvar a Deus, pedir algo, mesmo chorando quando há alguma dificuldade, mas com coração aberto ao Espírito para que reze em nós, conosco e por nós."

Ao concluir sua catequese, o Papa Francisco pediu um esforço para que se reze uns pelos outros, afim de que as obras de misericórdia corporais e espirituais se tornem sempre mais o estilo da nossa vida:

"Como disse anteriormente, as catequeses se concluem. Fizemos o percurso das 14 obras de misericórdia, mas a misericórdia continua e devemos exercitá-la nesses 14 modos." (JSG)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/83861-Audiencia--a-misericordia-e-saber-rezar-uns-pelos-outros. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Segundo o purpurado, “um cristão não pode deixar de ser alegre, otimista, e ter uma concepção ...
 
Igreja indiana na linha de frente nas horas dramáticas, quando o Estado de Kerala sofre violentas c ...
 
O Encontro Mundial das Famílias será realizado entre os dias 22 a 26 de agosto na Irlanda. ...
 
O Padre Pedro Pablo Garín, Vigário da Vida Consagrada, presidiu a Missa. ...
 
Um monge sonhou com uma imagem de Nossa Senhora que estava enterrada no alto de uma montanha de dif ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading