Loading
 
 
 
Loading
 
Papa na Audiência: “atender o convite do profeta, tornarmos homens e mulheres de esperança”
Loading
 
14 de Dezembro de 2016 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 14-12-2016, Gaudium Press) A Audiência Geral de quarta-feira foi realizada na Sala Paulo VI.

O Papa Francisco recebeu cerca de 6 mil fiéis e peregrinos e teve ocasião de fazer uma catequese para os presentes que foi inspirada numa leitura tirada do livro de Isaias.

Trata-se da leitura quando o profeta narra o convite feito a Jerusalém para que desperte e vista sua roupa de festa, porque o Senhor veio para libertar o seu povo:

"Meu povo ficará sabendo o meu nome: ‘Aqui a teu lado eu estou!'".

A expressão dita por Deus resume toda a vontade de salvação, pois, liberada do exílio, Israel pode reencontrar Deus e na fé, reencontrar-se a si mesma, explicou o Santo Padre.

Canto de exaltação

O Profeta faz um canto de exaltação:

"Que beleza, pelas montanhas, os passos de quem traz boas-novas, que vem anunciar a felicidade, noticiar a salvação, dizendo a Sião: "Teu Deus começou a reinar! "

"Vamos explodir de alegria, ruínas de Jerusalém, pois o Senhor consolou o seu povo, recuperou a liberdade para Jerusalém! "

"O Senhor arregaçou as mangas de seu braço santo, enfrentando todos os povos. E, assim, os confins da terra hão de ver a salvação que vem do nosso Deus".

Francisco mostrou que os versos de Isaías se referem ao milagre da paz, porém, dão destaque especial aos passos velozes do mensageiro, para anunciar a libertação e a salvação, e proclamar que "Deus reina":
são estas as palavras da fé em um Senhor cuja potência se inclina sobre a humanidade para oferecer misericórdia e libertar o homem. E a realização deste imenso amor será precisamente o Reino instaurado por Jesus, o Reino de perdão e de paz que celebramos com o Natal e se realiza definitivamente na Páscoa.

"Os motivos de nossa esperança"

"Quando tudo parece acabado, quando nos vem a tentação de crer que nada mais tem sentido, surge a bela notícia trazida por aqueles passos velozes. Deus está vindo para realizar algo de novo, arregaçou as mangas e nos traz liberdade e consolação; o mal não triunfará para sempre, há um fim para a dor. O desespero foi vencido" e "nós também somos solicitados a levantarmos, atendendo ao convite do profeta, e a nos tornarmos homens e mulheres de esperança".

"Como é feio o cristão que perde a esperança..."

"Como é feio o cristão que perde a esperança, que acha que tudo está terminado, que vê somente muros diante de si... Mas o Senhor abate os muros com o seu perdão", disse Francisco, já falando de improviso:

"A mensagem da Boa Nova é urgente, nós também devemos correr como o mensageiro, porque o mundo não pode esperar, a humanidade tem fome e sede de justiça, de verdade e de paz".

Abrir o coração àquela pequenez e maravilha

"Ao ver o Menino de Belém, as crianças do mundo podem saber que a promessa se cumpriu: naquele pequeno recém-nascido se encerra toda a potência de Deus que salva. Continuou improvisando o Papa.

"É preciso abrir o coração àquela pequenez e maravilha; é a maravilha do Natal, a que nos estamos preparando. É a surpresa de um Deus menino, de um Deus pobre, de um Deus frágil, de um Deus que abandona sua grandeza para se fazer próximo de cada um de nós", concluiu o Pontífice. " (JSG)

Loading
Papa na Audiência: “atender o convite do profeta, tornarmos homens e mulheres de esperança”

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 14-12-2016, Gaudium Press) A Audiência Geral de quarta-feira foi realizada na Sala Paulo VI.

O Papa Francisco recebeu cerca de 6 mil fiéis e peregrinos e teve ocasião de fazer uma catequese para os presentes que foi inspirada numa leitura tirada do livro de Isaias.

Trata-se da leitura quando o profeta narra o convite feito a Jerusalém para que desperte e vista sua roupa de festa, porque o Senhor veio para libertar o seu povo:

"Meu povo ficará sabendo o meu nome: ‘Aqui a teu lado eu estou!'".

A expressão dita por Deus resume toda a vontade de salvação, pois, liberada do exílio, Israel pode reencontrar Deus e na fé, reencontrar-se a si mesma, explicou o Santo Padre.

Canto de exaltação

O Profeta faz um canto de exaltação:

"Que beleza, pelas montanhas, os passos de quem traz boas-novas, que vem anunciar a felicidade, noticiar a salvação, dizendo a Sião: "Teu Deus começou a reinar! "

"Vamos explodir de alegria, ruínas de Jerusalém, pois o Senhor consolou o seu povo, recuperou a liberdade para Jerusalém! "

"O Senhor arregaçou as mangas de seu braço santo, enfrentando todos os povos. E, assim, os confins da terra hão de ver a salvação que vem do nosso Deus".

Francisco mostrou que os versos de Isaías se referem ao milagre da paz, porém, dão destaque especial aos passos velozes do mensageiro, para anunciar a libertação e a salvação, e proclamar que "Deus reina":
são estas as palavras da fé em um Senhor cuja potência se inclina sobre a humanidade para oferecer misericórdia e libertar o homem. E a realização deste imenso amor será precisamente o Reino instaurado por Jesus, o Reino de perdão e de paz que celebramos com o Natal e se realiza definitivamente na Páscoa.

"Os motivos de nossa esperança"

"Quando tudo parece acabado, quando nos vem a tentação de crer que nada mais tem sentido, surge a bela notícia trazida por aqueles passos velozes. Deus está vindo para realizar algo de novo, arregaçou as mangas e nos traz liberdade e consolação; o mal não triunfará para sempre, há um fim para a dor. O desespero foi vencido" e "nós também somos solicitados a levantarmos, atendendo ao convite do profeta, e a nos tornarmos homens e mulheres de esperança".

"Como é feio o cristão que perde a esperança..."

"Como é feio o cristão que perde a esperança, que acha que tudo está terminado, que vê somente muros diante de si... Mas o Senhor abate os muros com o seu perdão", disse Francisco, já falando de improviso:

"A mensagem da Boa Nova é urgente, nós também devemos correr como o mensageiro, porque o mundo não pode esperar, a humanidade tem fome e sede de justiça, de verdade e de paz".

Abrir o coração àquela pequenez e maravilha

"Ao ver o Menino de Belém, as crianças do mundo podem saber que a promessa se cumpriu: naquele pequeno recém-nascido se encerra toda a potência de Deus que salva. Continuou improvisando o Papa.

"É preciso abrir o coração àquela pequenez e maravilha; é a maravilha do Natal, a que nos estamos preparando. É a surpresa de um Deus menino, de um Deus pobre, de um Deus frágil, de um Deus que abandona sua grandeza para se fazer próximo de cada um de nós", concluiu o Pontífice. " (JSG)


 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

O evento, que seguiu o lema “Não temas Maria, pois encontras-te graça diante de Deus”, foi con ...
 
“A capela de adoração é uma iniciativa do Senhor para que tivéssemos um lugar adequado para or ...
 
Conforme o purpurado, Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos. ...
 
Criada em 27 de maio de 1998 pelo Papa João Paulo II, o bispado de Criciúma foi desmembrado da Dio ...
 
O sucesso vocacional do sacerdote depende das orações dos fiéis, afirma arcebispo de Malanje, no ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading