Loading
 
 
 
Loading
 
2017 traz mudanças no Serviço de Comunicação do Vaticano
Loading
 
2 de Janeiro de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 02-01-2017, Gaudium Press) Segundo informa a Rádio Vaticano, 2017 será um ano-chave para a comunicação no Vaticano.

Já desde o dia 1º de janeiro, a Rádio Vaticano e o Centro Televisivo Vaticano passaram a ser uma só coisa.

antenna-233349_960_720.jpg

Na Páscoa, começará a funcionar o único portal multimídia do Vaticano, com vídeos, fotos, tuítes, textos e áudios. Será um único site, convergindo todos os outros informativos existentes até agora.

Secretaria para a Comunicação e Reforma

A Secretaria para a Comunicação, assim é chamado o novo ‘ministério', que vai modernizar e adaptar aos tempos atuais o aparato midiático da Santa Sé, foi criada pelo Papa em junho de 2015, quando foi nomeado como ‘Prefeito' Mons. Dario Viganó, 54, até então diretor do Centro Televisivo Vaticano (CTV).

O Boletim da Radio Vaticano afirma que "Mais do que medo, existe ansiedade, o que é intrínseco a qualquer mudança. O Papa disse que ninguém perderá o emprego, mas deverá merecer seu salário. Deste ponto de vista, quando alguém é profissional e trabalha, não terá nada a temer.

Mas não nos esqueçamos também de outras palavras do Papa: quem recebe salário sem trabalhar, leva para casa um ‘pão sujo'. Fique claro que não daremos espaço para que estas situações se verifiquem", lembra a Rádio Vaticano.

O que vai mudar?

"Por um lado, vai mudar a gestão econômica para adaptá-la ao critério apostólico. Um exemplo concreto: é muito importante que o magistério do Papa chegue à região linguística árabe e à de língua chinesa. Ali, evidentemente não se aplica um critério econômico, mas apostólico.

No entanto, este critério tem que se conjugar com o que diz a doutrina social da Igreja, ou seja, que devemos ser absolutamente responsáveis por cada euro que gastamos, para que não sejam um custo, mas um investimento para o Evangelho. E isto é uma coisa que já está mudando, informou Mons. Dario Viganó.

Outro exemplo: eliminamos da Sala de Imprensa do Vaticano a maioria dos boletins impressos em papel, por motivos econômicos, mas também seguindo as indicações do Papa para sermos mais ecológicos. Agora enviamos os boletins por email. Só esta medida significa uma grande economia anual".

Quantos trabalham na comunicação do Vaticano?

"No fim, quando nos unificarmos, seremos 650 funcionários com contrato fixo, diz o Monsenhor.

"Agora estamos promovendo e já realizamos vários cursos de formação. A doutrina social da Igreja nos diz que o bem mais precioso de uma empresa são seus recursos humanos. Assim, alguns funcionários estão se especializando em jornalismo digital, em marketing...

Outra mudança é que o pessoal pode ser compartilhado, não se limita a uma única instituição. Além disso, com a ajuda de patrocinadores e de doações, estamos nos dotando de uma tecnologia mais moderna.

Na Sala de Imprensa, trocamos as duas TVs que tínhamos desde os anos 70 e consegui que a Sony nos desse dois telões de 75 polegadas. E ainda temos que implantar fibra óptica em muitos lugares, porque aqui está tudo velho".

Ainda falta alguma coisa?

"Quando Francisco foi eleito Papa, nos motores de busca não aparecia nenhum site do Vaticano na primeira página. Isto significa que devemos ensinar nossos funcionários a escrever para a Rede, o que começa com este investimento na formação que estamos fazendo.

Porque isto é outra coisa: o modelo de comunicação que temos aqui é unidirecional, dos anos 50, de cima para baixo; nós decidimos e imaginamos que os outros nos ouvem, encantados. Mas não é mais assim, devemos assumir outro paradigma, que situa os usuários em primeiro lugar".

O que está em jogo com esta reforma nas comunicações do Vaticano?

Na matéria da Rádio Vaticano informa-se que "Na reforma da comunicação estamos realmente muito atrasados. Creio que podemos oferecer um serviço melhor, antes de tudo às Conferências Episcopais locais, aos porta-vozes das Conferências Episcopais e à rede de jornalistas de todo o mundo". (JSG)

Loading
2017 traz mudanças no Serviço de Comunicação do Vaticano

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 02-01-2017, Gaudium Press) Segundo informa a Rádio Vaticano, 2017 será um ano-chave para a comunicação no Vaticano.

Já desde o dia 1º de janeiro, a Rádio Vaticano e o Centro Televisivo Vaticano passaram a ser uma só coisa.

antenna-233349_960_720.jpg

Na Páscoa, começará a funcionar o único portal multimídia do Vaticano, com vídeos, fotos, tuítes, textos e áudios. Será um único site, convergindo todos os outros informativos existentes até agora.

Secretaria para a Comunicação e Reforma

A Secretaria para a Comunicação, assim é chamado o novo ‘ministério', que vai modernizar e adaptar aos tempos atuais o aparato midiático da Santa Sé, foi criada pelo Papa em junho de 2015, quando foi nomeado como ‘Prefeito' Mons. Dario Viganó, 54, até então diretor do Centro Televisivo Vaticano (CTV).

O Boletim da Radio Vaticano afirma que "Mais do que medo, existe ansiedade, o que é intrínseco a qualquer mudança. O Papa disse que ninguém perderá o emprego, mas deverá merecer seu salário. Deste ponto de vista, quando alguém é profissional e trabalha, não terá nada a temer.

Mas não nos esqueçamos também de outras palavras do Papa: quem recebe salário sem trabalhar, leva para casa um ‘pão sujo'. Fique claro que não daremos espaço para que estas situações se verifiquem", lembra a Rádio Vaticano.

O que vai mudar?

"Por um lado, vai mudar a gestão econômica para adaptá-la ao critério apostólico. Um exemplo concreto: é muito importante que o magistério do Papa chegue à região linguística árabe e à de língua chinesa. Ali, evidentemente não se aplica um critério econômico, mas apostólico.

No entanto, este critério tem que se conjugar com o que diz a doutrina social da Igreja, ou seja, que devemos ser absolutamente responsáveis por cada euro que gastamos, para que não sejam um custo, mas um investimento para o Evangelho. E isto é uma coisa que já está mudando, informou Mons. Dario Viganó.

Outro exemplo: eliminamos da Sala de Imprensa do Vaticano a maioria dos boletins impressos em papel, por motivos econômicos, mas também seguindo as indicações do Papa para sermos mais ecológicos. Agora enviamos os boletins por email. Só esta medida significa uma grande economia anual".

Quantos trabalham na comunicação do Vaticano?

"No fim, quando nos unificarmos, seremos 650 funcionários com contrato fixo, diz o Monsenhor.

"Agora estamos promovendo e já realizamos vários cursos de formação. A doutrina social da Igreja nos diz que o bem mais precioso de uma empresa são seus recursos humanos. Assim, alguns funcionários estão se especializando em jornalismo digital, em marketing...

Outra mudança é que o pessoal pode ser compartilhado, não se limita a uma única instituição. Além disso, com a ajuda de patrocinadores e de doações, estamos nos dotando de uma tecnologia mais moderna.

Na Sala de Imprensa, trocamos as duas TVs que tínhamos desde os anos 70 e consegui que a Sony nos desse dois telões de 75 polegadas. E ainda temos que implantar fibra óptica em muitos lugares, porque aqui está tudo velho".

Ainda falta alguma coisa?

"Quando Francisco foi eleito Papa, nos motores de busca não aparecia nenhum site do Vaticano na primeira página. Isto significa que devemos ensinar nossos funcionários a escrever para a Rede, o que começa com este investimento na formação que estamos fazendo.

Porque isto é outra coisa: o modelo de comunicação que temos aqui é unidirecional, dos anos 50, de cima para baixo; nós decidimos e imaginamos que os outros nos ouvem, encantados. Mas não é mais assim, devemos assumir outro paradigma, que situa os usuários em primeiro lugar".

O que está em jogo com esta reforma nas comunicações do Vaticano?

Na matéria da Rádio Vaticano informa-se que "Na reforma da comunicação estamos realmente muito atrasados. Creio que podemos oferecer um serviço melhor, antes de tudo às Conferências Episcopais locais, aos porta-vozes das Conferências Episcopais e à rede de jornalistas de todo o mundo". (JSG)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/84540-2017-traz-mudancas-no-Servico-de-Comunicacao-do-Vaticano. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Segundo o purpurado, “um cristão não pode deixar de ser alegre, otimista, e ter uma concepção ...
 
Igreja indiana na linha de frente nas horas dramáticas, quando o Estado de Kerala sofre violentas c ...
 
O Encontro Mundial das Famílias será realizado entre os dias 22 a 26 de agosto na Irlanda. ...
 
O Padre Pedro Pablo Garín, Vigário da Vida Consagrada, presidiu a Missa. ...
 
Um monge sonhou com uma imagem de Nossa Senhora que estava enterrada no alto de uma montanha de dif ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading