Loading
 
 
 
Loading
 
Papa em Guidonia: “a paróquia é incapaz de testemunhar, se nela existem mexericos”
Loading
 
16 de Janeiro de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 16-01-2017, Gaudium Press) Durante o Ano Santo da Misericórdia o Papa Francisco interrompeu seu costume de visitar paróquias de sua diocese. Neste domingo, ele retomou estas visitas.

A paróquia escolhida para ser a primeira a ser visitada nesta volta das atividades pastorais do Papa foi a Paróquia de Santa Maria em Setteville, Guidonia, que é um município a cerca de 30 km a nordeste do Vaticano.

O bairro ainda é novo, surgiu em 1973 e tem cerca de 6 mil habitantes que constituem famílias jovens e numerosos, das quais 20% participam frequentemente das atividades paroquiais.

Programa da visita

Assim que chegou a Guidonia, Francisco dirigiu-se logo à Casa Canônica onde encontra-se enfermo o Pe. Giuseppe Berardino, de 47 anos, que devido a uma doença neurodegenerativa progressiva, encontra-se, há dois anos, preso ao leito, embora plenamente consciente.

Após visitar o sacerdote enfermo, Francisco reteve-se em diversas salas do edifício para encontrar-se com jovens escoteiros e crismandos, casais com bebês batizados neste ano, agentes de pastoral e lideranças comunitárias.

Francisco se encontrou com os jovens que começaram cinco anos atrás o seu percurso de formação para o Crisma com P. Giuseppe. Acompanhado pelo Pároco P. Luigi Tedoldi, o Papa pediu-lhes que testemunhassem com sua presença na paróquia.

Isso é "uma graça do Senhor", disse ele, em contraposição aos jovens que abandonam a Igreja depois do Crisma.

Às crianças o Papa falou do testemunho como "exemplo de vida":
"Posso falar do Senhor, mas se eu com a minha vida não falo dando testemunho, não serve! Padre, eu sou cristão, e falo do Senhor. Sim, mas tu és um cristão papagaio: palavras, palavras e palavras, e nada mais. O testemunho cristão se faz com a palavra, com o coração e com as mãos."

O Santo Padre ainda esteve também com integrantes da Ordem Terceira Franciscana, do Grupo de oração de Padre Pio, o coral e a equipe de manutenção da paróquia.

Quatro pessoas puderam confessar-se com o Papa na Sacristia. Na parte final da tarde o Papa presidiu a celebração da Santa Missa.

Testemunhar Jesus e Mexereicos

"Testemunhar Jesus" com exemplos de vida cristã, ações concretas e sem "mexericos".

Este foi um dos conselhos que o Papa Francisco deu em sua homilia pronunciada durante a Santa Missa celebrada, na Paróquia de Santa Maria em Setteville, na Diocese de Roma.

Ele explicou que uma paróquia é incapaz de testemunhar, se nela existem mexericos.

E exemplificou com a atitude dos Apóstolos, que, não obstante tenham traído Jesus, nunca "falavam mal" uns dos outros.

"Vocês querem uma paróquia perfeita? " Perguntou Francisco. "Não digam mexericos. Se você tem alguma coisa contra uma pessoa, fale diretamente com ela ou converse com o pároco, mas não entre vocês. Este é o sinal de que o Espírito Santo está numa paróquia. Os outros pecados, todos temos.

Existe uma coleção de pecados: eu pego esse, tu pegas aquele, mas todos somos pecadores.

Porém, o que realmente destrói uma comunidade, como o verme, são os mexericos. "

Ainda antes de deixar Guidonia, Francisco saudou os fiéis que esperaram por ele do lado de fora da igreja.
E deixou para eles uma tarefa: Que este seja um "bairro de paz". (JSG)

Loading
Papa em Guidonia: “a paróquia é incapaz de testemunhar, se nela existem mexericos”

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 16-01-2017, Gaudium Press) Durante o Ano Santo da Misericórdia o Papa Francisco interrompeu seu costume de visitar paróquias de sua diocese. Neste domingo, ele retomou estas visitas.

A paróquia escolhida para ser a primeira a ser visitada nesta volta das atividades pastorais do Papa foi a Paróquia de Santa Maria em Setteville, Guidonia, que é um município a cerca de 30 km a nordeste do Vaticano.

O bairro ainda é novo, surgiu em 1973 e tem cerca de 6 mil habitantes que constituem famílias jovens e numerosos, das quais 20% participam frequentemente das atividades paroquiais.

Programa da visita

Assim que chegou a Guidonia, Francisco dirigiu-se logo à Casa Canônica onde encontra-se enfermo o Pe. Giuseppe Berardino, de 47 anos, que devido a uma doença neurodegenerativa progressiva, encontra-se, há dois anos, preso ao leito, embora plenamente consciente.

Após visitar o sacerdote enfermo, Francisco reteve-se em diversas salas do edifício para encontrar-se com jovens escoteiros e crismandos, casais com bebês batizados neste ano, agentes de pastoral e lideranças comunitárias.

Francisco se encontrou com os jovens que começaram cinco anos atrás o seu percurso de formação para o Crisma com P. Giuseppe. Acompanhado pelo Pároco P. Luigi Tedoldi, o Papa pediu-lhes que testemunhassem com sua presença na paróquia.

Isso é "uma graça do Senhor", disse ele, em contraposição aos jovens que abandonam a Igreja depois do Crisma.

Às crianças o Papa falou do testemunho como "exemplo de vida":
"Posso falar do Senhor, mas se eu com a minha vida não falo dando testemunho, não serve! Padre, eu sou cristão, e falo do Senhor. Sim, mas tu és um cristão papagaio: palavras, palavras e palavras, e nada mais. O testemunho cristão se faz com a palavra, com o coração e com as mãos."

O Santo Padre ainda esteve também com integrantes da Ordem Terceira Franciscana, do Grupo de oração de Padre Pio, o coral e a equipe de manutenção da paróquia.

Quatro pessoas puderam confessar-se com o Papa na Sacristia. Na parte final da tarde o Papa presidiu a celebração da Santa Missa.

Testemunhar Jesus e Mexereicos

"Testemunhar Jesus" com exemplos de vida cristã, ações concretas e sem "mexericos".

Este foi um dos conselhos que o Papa Francisco deu em sua homilia pronunciada durante a Santa Missa celebrada, na Paróquia de Santa Maria em Setteville, na Diocese de Roma.

Ele explicou que uma paróquia é incapaz de testemunhar, se nela existem mexericos.

E exemplificou com a atitude dos Apóstolos, que, não obstante tenham traído Jesus, nunca "falavam mal" uns dos outros.

"Vocês querem uma paróquia perfeita? " Perguntou Francisco. "Não digam mexericos. Se você tem alguma coisa contra uma pessoa, fale diretamente com ela ou converse com o pároco, mas não entre vocês. Este é o sinal de que o Espírito Santo está numa paróquia. Os outros pecados, todos temos.

Existe uma coleção de pecados: eu pego esse, tu pegas aquele, mas todos somos pecadores.

Porém, o que realmente destrói uma comunidade, como o verme, são os mexericos. "

Ainda antes de deixar Guidonia, Francisco saudou os fiéis que esperaram por ele do lado de fora da igreja.
E deixou para eles uma tarefa: Que este seja um "bairro de paz". (JSG)


 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Segundo o purpurado, “um cristão não pode deixar de ser alegre, otimista, e ter uma concepção ...
 
Igreja indiana na linha de frente nas horas dramáticas, quando o Estado de Kerala sofre violentas c ...
 
O Encontro Mundial das Famílias será realizado entre os dias 22 a 26 de agosto na Irlanda. ...
 
O Padre Pedro Pablo Garín, Vigário da Vida Consagrada, presidiu a Missa. ...
 
Um monge sonhou com uma imagem de Nossa Senhora que estava enterrada no alto de uma montanha de dif ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading