Loading
 
 
 
Loading
 
Audiência: amar como Deus nos ama, para sermos “alegres na esperança”
Loading
 
15 de Março de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 15-03-2017, Gaudium Press) Tendo como base o trecho da Carta aos Romanos que fala da alegria de amar, o Papa Francisco retomou o tema da esperança cristã em sua catequese das Audiências Gerais das quartas-feiras. Foi a primeira Audiência após o seu Retiro Quaresmal.

Audiência amar como Deus nos ama, para sermos alegres na esperança.jpg

Mais de 12 mil fiéis e peregrinos acompanharam suas palavras, desde a Praça São Pedro.

Somos chamados ao amor, à caridade, sem hipocrisia

Segundo Francisco, o grande mandamento que Jesus deixou é amar a Deus e o próximo como a nós mesmos:

"Somos chamados ao amor, à caridade. Esta é a nossa vocação mais sublime, a nossa vocação por excelência".

Mas, ele recordou que a na Carta aos Romanos, São Paulo adverte os cristãos apontando um perigo: o risco de que o nosso amor seja hipócrita.

E "a hipocrisia pode se insinuar de várias maneiras, inclusive no nosso modo de amar", alertou o Papa, afirmando que isto acontece quando nos movemos por interesses pessoais, fazendo caridade para aparecer.

A caridade é uma graça; não consiste em mostrar aquilo que não somos, mas aquilo que o Senhor nos doa, disse.

Modo de amar marcado pelo pecado

Paulo nos convida a reconhecer que somos pecadores e que também o nosso modo de amar é marcado pelo pecado. E então se compreende que tudo o que podemos viver e fazer pelos irmãos nada mais é do que a resposta àquilo que Deus fez e continua fazendo por nós.

Comentando a advertência de Paulo, Francisco diz que, na verdade, ela é para nos encorajar e a reavivar em nós a esperança:
"De fato, todos nós fazemos a experiência de não viver plenamente ou como deveríamos o mandamento do amor. Mas também esta é uma graça, porque nos faz compreender que também para amar precisamos que o Senhor renove continuamente este dom no nosso coração, através da experiência de sua infinita misericórdia".

Só vivendo como deveríamos, comenta Francisco, voltaremos a apreciar as pequenas coisas, simples, de todos os dias; e seremos capazes de amar os outros como Deus os ama, isto é, procurando apenas o seu bem.

Segredo para sermos "alegres na esperança"

Para o Pontífice, este é o modo de nos sentirmos felizes por nos aproximarmos do pobre e do humilde, contentes por nos debruçarmos sobre os irmãos caídos por terra, a exemplo de Jesus.

"Aqui está o segredo para ‘sermos alegres na esperança': porque temos a certeza de que, em todas as circunstâncias, inclusive nas mais adversas, e apesar das nossas faltas, o amor de Deus por nós não esmorece. E assim, certos de sua fidelidade inabalável, vivemos na alegre esperança de retribuir nos irmãos, com o pouco que nos é possível, o muito que recebemos Dele todos os dias. " (JSG)

(Da Redação Gaudium Press, com Informações RV)

Loading
Audiência: amar como Deus nos ama, para sermos “alegres na esperança”

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 15-03-2017, Gaudium Press) Tendo como base o trecho da Carta aos Romanos que fala da alegria de amar, o Papa Francisco retomou o tema da esperança cristã em sua catequese das Audiências Gerais das quartas-feiras. Foi a primeira Audiência após o seu Retiro Quaresmal.

Audiência amar como Deus nos ama, para sermos alegres na esperança.jpg

Mais de 12 mil fiéis e peregrinos acompanharam suas palavras, desde a Praça São Pedro.

Somos chamados ao amor, à caridade, sem hipocrisia

Segundo Francisco, o grande mandamento que Jesus deixou é amar a Deus e o próximo como a nós mesmos:

"Somos chamados ao amor, à caridade. Esta é a nossa vocação mais sublime, a nossa vocação por excelência".

Mas, ele recordou que a na Carta aos Romanos, São Paulo adverte os cristãos apontando um perigo: o risco de que o nosso amor seja hipócrita.

E "a hipocrisia pode se insinuar de várias maneiras, inclusive no nosso modo de amar", alertou o Papa, afirmando que isto acontece quando nos movemos por interesses pessoais, fazendo caridade para aparecer.

A caridade é uma graça; não consiste em mostrar aquilo que não somos, mas aquilo que o Senhor nos doa, disse.

Modo de amar marcado pelo pecado

Paulo nos convida a reconhecer que somos pecadores e que também o nosso modo de amar é marcado pelo pecado. E então se compreende que tudo o que podemos viver e fazer pelos irmãos nada mais é do que a resposta àquilo que Deus fez e continua fazendo por nós.

Comentando a advertência de Paulo, Francisco diz que, na verdade, ela é para nos encorajar e a reavivar em nós a esperança:
"De fato, todos nós fazemos a experiência de não viver plenamente ou como deveríamos o mandamento do amor. Mas também esta é uma graça, porque nos faz compreender que também para amar precisamos que o Senhor renove continuamente este dom no nosso coração, através da experiência de sua infinita misericórdia".

Só vivendo como deveríamos, comenta Francisco, voltaremos a apreciar as pequenas coisas, simples, de todos os dias; e seremos capazes de amar os outros como Deus os ama, isto é, procurando apenas o seu bem.

Segredo para sermos "alegres na esperança"

Para o Pontífice, este é o modo de nos sentirmos felizes por nos aproximarmos do pobre e do humilde, contentes por nos debruçarmos sobre os irmãos caídos por terra, a exemplo de Jesus.

"Aqui está o segredo para ‘sermos alegres na esperança': porque temos a certeza de que, em todas as circunstâncias, inclusive nas mais adversas, e apesar das nossas faltas, o amor de Deus por nós não esmorece. E assim, certos de sua fidelidade inabalável, vivemos na alegre esperança de retribuir nos irmãos, com o pouco que nos é possível, o muito que recebemos Dele todos os dias. " (JSG)

(Da Redação Gaudium Press, com Informações RV)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/86015-Audiencia--amar-como-Deus-nos-ama--para-sermos--ldquo-alegres-na-esperanca-rdquo-. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Segundo o purpurado, “um cristão não pode deixar de ser alegre, otimista, e ter uma concepção ...
 
Igreja indiana na linha de frente nas horas dramáticas, quando o Estado de Kerala sofre violentas c ...
 
O Encontro Mundial das Famílias será realizado entre os dias 22 a 26 de agosto na Irlanda. ...
 
O Padre Pedro Pablo Garín, Vigário da Vida Consagrada, presidiu a Missa. ...
 
Um monge sonhou com uma imagem de Nossa Senhora que estava enterrada no alto de uma montanha de dif ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading