Loading
 
 
 
Loading
 
São Turíbio de Mogrovejo, Patrono do Episcopado Latino Americano
Loading
 
23 de Março de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Redação (Quinta-feira, 23-03-2017, Gaudium Press) Turíbio nasceu Mayorca, na Espanha poucos anos depois do descobrimento da América, em 1538.

São Turíbio de Mogrovejo, Patrono do Episcopado Latino Americano.jpg

Dedicou-se ao estudo do Direito cursando as, já naquele tempo, famosas e concorridas universidades de Coimbra, em Portugal, e Salamanca, na Espanha. Sua cultura jurídica e dedicação à Igreja e ao rei fez com que Felipe II o nomeasse como principal Juiz do Tribunal da Inquisição, em Granada.

Sendo sacerdote, alguns anos mais tarde, o mesmo Rei desejou enviar Turíbio de Mogrovejo, como arcebispo, da Sé Arquiepiscopal de Lima, no Peru, que havia ficado vacante.

Então, para substituir o falecido Dom Jerónimo de Loayza, o Papa Gregorio XIII nomeou Turíbio como Arcebispo de Lima. Em março de 1581 ele chegou ao porto de Paita, capital da Província peruana de Piura, nas costas do Oceano Pacífico.

Ele chegou a Lima em 12 de maio de 1581.

Episcopado profícuo

Em Lima o aguardava um período episcopal longo, cheio de dificuldades e muito trabalho, mas profícuo.

Uma de suas primeiras atividades episcopais foi convocar e presidir o III Concilio de Lima, que foi realizado de 1582 a 1583 e do qual Participaram prelados de toda a América Hispânica.

Neste Concílio histórico foram tratados assuntos relevantes a propósito da evangelização da população indígena residente no Novo Mundo. Foi dessa assembleia episcopal que surgiram importantes normas pastorais de apostolado e foi nela também que se determinou a impressão de textos do Catecismo não só na língua espanhola, mas também nos idiomas quechua e aymara, falado pelo habitantes ameríndios. Estes foram os primeiros livros impressos na América do Sul.

Itinerante por 17 anos

São Turíbio tinha sua arquidiocese localizada em um território amplo e dos mais difíceis de ser percorrido. Contudo, ele utilizou 17 dos seus 25 anos para percorrê-lo incansavelmente exercendo em todo ele o seu múnus episcopal.

Foi São Turíbio quem fundou o primeiro Seminário na América Latina, 1591. Foi ele ainda que encontrou disposição e forças para, além das visitas pastorais, poder celebrar 13 sínodos episcopais, sem descuidar de suas obrigações para com seus arquidiocesanos que o procuravam para os sacramentos, orientações e conselhos: foi ele quem ministrou o sacramento da confirmação e pode dirigir Santa Rosa de Lima e São Martinho de Porres.

Enfermidade e morte

Ele tinha sessenta e oito anos quando adoeceu gravemente em Pacasmayo, no norte de Lima.

Percebendo a aproximação do final de sua vida, providenciou seu testamento: deixou para seus criados seus pertences pessoais aos pobres o restante do que possuía.

Em Zaña, no dia 23 de março de 1606, a pouco mais de 400 anos, aquele que já era chamado de "protetor dos indígenas", que foi um incansável missionário e grande organizador da Igreja na América do Sul seguiu para a Casa do Pai e a ele entregou sua bela alma.

São Turíbio de Mogrovejo foi beatificado pelo Papa Inocêncio XI no ano de 1679. Sua canonização deu-se em 1726 quando era Pontífice o Papa Bento XIII.

Em 1983 São João Paulo II o proclamou como Patrono do Episcopado Latino Americano. (JSG)

Loading
São Turíbio de Mogrovejo, Patrono do Episcopado Latino Americano

Redação (Quinta-feira, 23-03-2017, Gaudium Press) Turíbio nasceu Mayorca, na Espanha poucos anos depois do descobrimento da América, em 1538.

São Turíbio de Mogrovejo, Patrono do Episcopado Latino Americano.jpg

Dedicou-se ao estudo do Direito cursando as, já naquele tempo, famosas e concorridas universidades de Coimbra, em Portugal, e Salamanca, na Espanha. Sua cultura jurídica e dedicação à Igreja e ao rei fez com que Felipe II o nomeasse como principal Juiz do Tribunal da Inquisição, em Granada.

Sendo sacerdote, alguns anos mais tarde, o mesmo Rei desejou enviar Turíbio de Mogrovejo, como arcebispo, da Sé Arquiepiscopal de Lima, no Peru, que havia ficado vacante.

Então, para substituir o falecido Dom Jerónimo de Loayza, o Papa Gregorio XIII nomeou Turíbio como Arcebispo de Lima. Em março de 1581 ele chegou ao porto de Paita, capital da Província peruana de Piura, nas costas do Oceano Pacífico.

Ele chegou a Lima em 12 de maio de 1581.

Episcopado profícuo

Em Lima o aguardava um período episcopal longo, cheio de dificuldades e muito trabalho, mas profícuo.

Uma de suas primeiras atividades episcopais foi convocar e presidir o III Concilio de Lima, que foi realizado de 1582 a 1583 e do qual Participaram prelados de toda a América Hispânica.

Neste Concílio histórico foram tratados assuntos relevantes a propósito da evangelização da população indígena residente no Novo Mundo. Foi dessa assembleia episcopal que surgiram importantes normas pastorais de apostolado e foi nela também que se determinou a impressão de textos do Catecismo não só na língua espanhola, mas também nos idiomas quechua e aymara, falado pelo habitantes ameríndios. Estes foram os primeiros livros impressos na América do Sul.

Itinerante por 17 anos

São Turíbio tinha sua arquidiocese localizada em um território amplo e dos mais difíceis de ser percorrido. Contudo, ele utilizou 17 dos seus 25 anos para percorrê-lo incansavelmente exercendo em todo ele o seu múnus episcopal.

Foi São Turíbio quem fundou o primeiro Seminário na América Latina, 1591. Foi ele ainda que encontrou disposição e forças para, além das visitas pastorais, poder celebrar 13 sínodos episcopais, sem descuidar de suas obrigações para com seus arquidiocesanos que o procuravam para os sacramentos, orientações e conselhos: foi ele quem ministrou o sacramento da confirmação e pode dirigir Santa Rosa de Lima e São Martinho de Porres.

Enfermidade e morte

Ele tinha sessenta e oito anos quando adoeceu gravemente em Pacasmayo, no norte de Lima.

Percebendo a aproximação do final de sua vida, providenciou seu testamento: deixou para seus criados seus pertences pessoais aos pobres o restante do que possuía.

Em Zaña, no dia 23 de março de 1606, a pouco mais de 400 anos, aquele que já era chamado de "protetor dos indígenas", que foi um incansável missionário e grande organizador da Igreja na América do Sul seguiu para a Casa do Pai e a ele entregou sua bela alma.

São Turíbio de Mogrovejo foi beatificado pelo Papa Inocêncio XI no ano de 1679. Sua canonização deu-se em 1726 quando era Pontífice o Papa Bento XIII.

Em 1983 São João Paulo II o proclamou como Patrono do Episcopado Latino Americano. (JSG)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/86181-Sao-Turibio-de-Mogrovejo--Patrono-do-Episcopado-Latino-Americano. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Segundo o purpurado, “um cristão não pode deixar de ser alegre, otimista, e ter uma concepção ...
 
Igreja indiana na linha de frente nas horas dramáticas, quando o Estado de Kerala sofre violentas c ...
 
O Encontro Mundial das Famílias será realizado entre os dias 22 a 26 de agosto na Irlanda. ...
 
O Padre Pedro Pablo Garín, Vigário da Vida Consagrada, presidiu a Missa. ...
 
Um monge sonhou com uma imagem de Nossa Senhora que estava enterrada no alto de uma montanha de dif ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading