Loading
 
 
 
Loading
 
Iniciado processo de canonização de Cipriano Gil e 55 mártires do comunismo em 36
Loading
 
24 de Março de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Madri - Espanha (Sexta-feira, 24-03-2017, Gaudium Press) A Igreja da Conceição Real de Calatrava, de Madri, acolheu no sábado, 18 de março, o ato de abertura da Causa de Canonização do Padre Cipriano Martínez Gil e de seus 55 companheiros: sacerdotes e familiares, todos martirizados.

O Cardeal Dom Carlos Osório, Arcebispo de Madri, oficiou e presidiu a cerimônia.

O Pe. Martínez, sacerdote de 31 anos, lidera a causa que inclui outros 48 sacerdotes diocesanos e 7 leigos que morreram por ódio à fé entre 1936 e 1939.

Eles foram assassinados pelos comunistas durante a perseguição religiosa movida contra a Igreja Católica durante a Guerra Civil Espanhola.

Atirem mais! Ainda não me mataram...

Foi este sacerdote -contam seus próprios assassinos- que afirmou que lhes perdoava de coração e em seguida lhes disse:

"Agora deixa que eu me recolha um momento com meu Deus".

Em seguida ele ajoelhou-se com o rosário nas mãos, elevou os olhos por alguns instantes e perguntou aos seus algozes:

"Estou bem colocado? ".

A resposta foi uma descarga de fuzil...

Estando já caído por terra, Padre Cipriano ainda acrescentou:

"Podem atirar mais, ainda não me mataram..."

Foi, então, que lhe deram a última descarga assassina, tiros de "misericórdia" que o mataram de vez.

Cipriano Martínez Gil

Padre Cipriano era um jovem sacerdote de 31 anos, pároco de El Pardo, quando recebeu a palma do martírio no dia 18 de agosto de 1936.

A ele, como aos outros 48 sacerdotes e seus familiares que também foram assassinados, a morte não os pegou de surpresa.

Padre Cipriano dizia:

"Não basta semear! Os santos não só semearam, eles se semearam... Deram sua vida por sua obra, à imagem de Cristo, que deu sua vida por sua Igreja. Se o grão de trigo não cai na terra... Então, semear-se!"

Quase dez mil mártires

Na Espanha, durante os anos 30 do século XX quase dez mil católicso foram martirizados. Eles deram sua vida como testemunho de Fé. Foram cerca de 4.000 sacerdotes e seminaristas seculares, 3.000 consagrados e milhares de leigos comprometidos com a evangelização.

Nos últimos anos, por volta de 2.000 deles forma elevados à gloria dos altares como santos e beatos. (JSG)

Loading
Iniciado processo de canonização de Cipriano Gil e 55 mártires do comunismo em 36

Madri - Espanha (Sexta-feira, 24-03-2017, Gaudium Press) A Igreja da Conceição Real de Calatrava, de Madri, acolheu no sábado, 18 de março, o ato de abertura da Causa de Canonização do Padre Cipriano Martínez Gil e de seus 55 companheiros: sacerdotes e familiares, todos martirizados.

O Cardeal Dom Carlos Osório, Arcebispo de Madri, oficiou e presidiu a cerimônia.

O Pe. Martínez, sacerdote de 31 anos, lidera a causa que inclui outros 48 sacerdotes diocesanos e 7 leigos que morreram por ódio à fé entre 1936 e 1939.

Eles foram assassinados pelos comunistas durante a perseguição religiosa movida contra a Igreja Católica durante a Guerra Civil Espanhola.

Atirem mais! Ainda não me mataram...

Foi este sacerdote -contam seus próprios assassinos- que afirmou que lhes perdoava de coração e em seguida lhes disse:

"Agora deixa que eu me recolha um momento com meu Deus".

Em seguida ele ajoelhou-se com o rosário nas mãos, elevou os olhos por alguns instantes e perguntou aos seus algozes:

"Estou bem colocado? ".

A resposta foi uma descarga de fuzil...

Estando já caído por terra, Padre Cipriano ainda acrescentou:

"Podem atirar mais, ainda não me mataram..."

Foi, então, que lhe deram a última descarga assassina, tiros de "misericórdia" que o mataram de vez.

Cipriano Martínez Gil

Padre Cipriano era um jovem sacerdote de 31 anos, pároco de El Pardo, quando recebeu a palma do martírio no dia 18 de agosto de 1936.

A ele, como aos outros 48 sacerdotes e seus familiares que também foram assassinados, a morte não os pegou de surpresa.

Padre Cipriano dizia:

"Não basta semear! Os santos não só semearam, eles se semearam... Deram sua vida por sua obra, à imagem de Cristo, que deu sua vida por sua Igreja. Se o grão de trigo não cai na terra... Então, semear-se!"

Quase dez mil mártires

Na Espanha, durante os anos 30 do século XX quase dez mil católicso foram martirizados. Eles deram sua vida como testemunho de Fé. Foram cerca de 4.000 sacerdotes e seminaristas seculares, 3.000 consagrados e milhares de leigos comprometidos com a evangelização.

Nos últimos anos, por volta de 2.000 deles forma elevados à gloria dos altares como santos e beatos. (JSG)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/86215-Iniciado-processo-de-canonizacao-de-Cipriano-Gil-e-55-martires-do-comunismo-em-36. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Segundo o purpurado, “um cristão não pode deixar de ser alegre, otimista, e ter uma concepção ...
 
Igreja indiana na linha de frente nas horas dramáticas, quando o Estado de Kerala sofre violentas c ...
 
O Encontro Mundial das Famílias será realizado entre os dias 22 a 26 de agosto na Irlanda. ...
 
O Padre Pedro Pablo Garín, Vigário da Vida Consagrada, presidiu a Missa. ...
 
Um monge sonhou com uma imagem de Nossa Senhora que estava enterrada no alto de uma montanha de dif ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading