Loading
 
 
 
Loading
 
Bispo norte-americano na lista de mártires coreanos que poderão ser beatificados
Loading
 
4 de Abril de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Pyongyang - Coreia do Sul (Terça-feira, 04-04-2017, Gaudium Press) O nome de um Bispo norte-americano aparece entre os numerosos mártires coreanos que os Bispos da Coreia do Sul investigam como possíveis Beatos diante da Congregação das Causas dos Santos. O prelado dirigiu as missões da Sociedade Maryknoll na Coreia, foi Prefeito Apostólico de Pyongyang e finalmente primeiro Delegado Apostólico para Coreia, cargo que lhe mereceu sua ordenação episcopal, e finalmente, o martírio pelas mãos do regime comunista da Coreia do Norte.

Bispo norte-americano na lista de mártires coreanos que poderão ser beatificados.jpg

Trata-se de Dom Patrick James Byrne, nascido nos Estados Unidos e membro da Sociedade Maryknoll quando esta apenas contava com quatro anos de existência. Nos anos 20 dirigiu as missões da Sociedade na Coreia e depois serviu como Prefeito Apostólico para depois ser transladado ao Japão. Ali teve que padecer a prisão domiciliar durante a Segunda Guerra Mundial por ser oriundo de um país inimigo e ao terminar o conflito foi nomeado primeiro Delegado Apostólico para Coreia, sendo ordenado Bispo aos 60 anos de idade no início da Guerra da Coreia que marcaria a divisão do território.

Muitos sacerdotes fugiram da Coreia do Norte por causa do regime comunista, mas Dom Byrne decidiu permanecer no lugar. Foi capturado após a tomada de Seul e submetido a um juízo no qual se pretendia obrigá-lo a fazer falsas acusações contra o Vaticano, Estados Unidos e as Nações Unidas. Naturalmente, o Bispo se negou a realizar as declarações solicitadas e foi enviado para realizar várias marchas forçadas junto aos coreanos e soldados americanos capturados. O prelado ajudava a outros presos apesar de correr graves riscos por sua conduta.

O prelado presenteou com sua única manta a um homem que sofria mais que ele e em uma das marchas, de quatro meses de duração, contraiu pneumonia pelo mal clima e a falta de alimentos e refúgio. Ao sentir a proximidade de sua morte, disse aos seus companheiros: "Depois do privilégio do meu sacerdócio, estimo este privilégio de ter sofrido por Cristo com todos vocês como o maior da minha vida", afirmou. O Bispo recebeu a absolvição por parte de seu secretário, Padre William Booth, e faleceu no dia 25 de novembro de 1950. Foi sepultado por Dom Thomas Quinlan, que seria mais para frente Bispo de Chunchon, Coreia do Sul. (EPC)

Loading
Bispo norte-americano na lista de mártires coreanos que poderão ser beatificados

Pyongyang - Coreia do Sul (Terça-feira, 04-04-2017, Gaudium Press) O nome de um Bispo norte-americano aparece entre os numerosos mártires coreanos que os Bispos da Coreia do Sul investigam como possíveis Beatos diante da Congregação das Causas dos Santos. O prelado dirigiu as missões da Sociedade Maryknoll na Coreia, foi Prefeito Apostólico de Pyongyang e finalmente primeiro Delegado Apostólico para Coreia, cargo que lhe mereceu sua ordenação episcopal, e finalmente, o martírio pelas mãos do regime comunista da Coreia do Norte.

Bispo norte-americano na lista de mártires coreanos que poderão ser beatificados.jpg

Trata-se de Dom Patrick James Byrne, nascido nos Estados Unidos e membro da Sociedade Maryknoll quando esta apenas contava com quatro anos de existência. Nos anos 20 dirigiu as missões da Sociedade na Coreia e depois serviu como Prefeito Apostólico para depois ser transladado ao Japão. Ali teve que padecer a prisão domiciliar durante a Segunda Guerra Mundial por ser oriundo de um país inimigo e ao terminar o conflito foi nomeado primeiro Delegado Apostólico para Coreia, sendo ordenado Bispo aos 60 anos de idade no início da Guerra da Coreia que marcaria a divisão do território.

Muitos sacerdotes fugiram da Coreia do Norte por causa do regime comunista, mas Dom Byrne decidiu permanecer no lugar. Foi capturado após a tomada de Seul e submetido a um juízo no qual se pretendia obrigá-lo a fazer falsas acusações contra o Vaticano, Estados Unidos e as Nações Unidas. Naturalmente, o Bispo se negou a realizar as declarações solicitadas e foi enviado para realizar várias marchas forçadas junto aos coreanos e soldados americanos capturados. O prelado ajudava a outros presos apesar de correr graves riscos por sua conduta.

O prelado presenteou com sua única manta a um homem que sofria mais que ele e em uma das marchas, de quatro meses de duração, contraiu pneumonia pelo mal clima e a falta de alimentos e refúgio. Ao sentir a proximidade de sua morte, disse aos seus companheiros: "Depois do privilégio do meu sacerdócio, estimo este privilégio de ter sofrido por Cristo com todos vocês como o maior da minha vida", afirmou. O Bispo recebeu a absolvição por parte de seu secretário, Padre William Booth, e faleceu no dia 25 de novembro de 1950. Foi sepultado por Dom Thomas Quinlan, que seria mais para frente Bispo de Chunchon, Coreia do Sul. (EPC)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/86425-Bispo-norte-americano-na-lista-de-martires-coreanos-que-poderao-ser-beatificados. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

A Celebração Eucarística foi presidida pelo Arcebispo de Buenos Aires, Cardeal Mario Poli, e foi ...
 
“Sempre é o Espírito Santo quem suscita os carismas para a Igreja e para a humanidade”, afirma ...
 
Para celebrar a data, o Arcebispo de Maputo, Dom Francisco Chimoio, presidiu uma Santa Missa que con ...
 
O intuito do encontro era o de explicar a natureza do Canto Litúrgico da Missa a partir da teologia ...
 
O encontro, que se encontra em sua nona edição, segue o tema: “O Evangelho da Família, alegria ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading