Loading
 
 
 
Loading
 
Beatificado Bispo morto na Lituânia comunista
Loading
 
30 de Junho de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Vilnius - Lituânia (Sexta-feira, 30-06-2017, Gaudium Press) O Bispo Dom Teofilius Matulionis tornou-se oficialmente o primeiro mártir da Lituânia. Ele morreu vítima da opressão do regime comunista e foi beatificado no último fim de semana em seu país natal.

Beatificado Bispo morto na Lituânia comunista.jpgA cerimônia de beatificação foi celebrada pelo prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, Cardeal Angelo Amato, como representante do Papa.
Participaram dessa cerimônia mais de 30 000 pessoas. Entre os presentes em Vilnius, capital da Lituânia, encontravam-se cerca de 500 sacerdotes e 50 bispos.

O Bispo Dom Matulionis

Assim que o Cardeal, representando o Santo Padre, pronunciou a fórmula de Beatificação, um cortejo de militares, conduzindo as relíquias do novo beato, em passo cadenciado aproximou-se solenemente do altar enquanto um enorme retrato do Beato era descerrado, mostrando a todos a sua fisionomia determinada, segura e serena.

Durante sua vida, Dom Matulionis foi condenado três vezes a cumprir pena no "gulag" soviético. Seu crime, segundo as autoridades bolchevistas, foi sempre baseado na acusação de ele não aplicar as normas contrarias à Igreja que haviam sido ordenadas pelo regime comunista da época.

Nunca abandonou seu país e o rebanho a ele confiado. Nem mesmo depois do segundo ataque bolchevique ao país que é denominado "Terra de Maria", ele deixou seu povo e sua terra. São conhecidas e tornarem-se célebres suas palavras ditas naquela ocasião: "Ficarei com minha gente. Não tenho medo de que me persigam. Quando rezo, não tenho medo".

Conheceu o "gulag" soviético

Passou mais de 15 anos encarcerado em vários dos temíveis "gulags" mantidos como prisão para aqueles que discordavam do comuno-socialismo, despótico e ateu mantido pelos dirigentes comunistas.

Anos depois, vivendo fora dos cárceres, foi realizada por agentes soviéticos uma "inspeção" em sua residência episcopal. Alguns dias depois ele morreu envenenado: os "inspetores" deixaram em sua casa uma substância tóxica que seus longos anos de vida já não conseguiram suportar.

Beatificado Bispo morto na Lituânia comunista (2).jpg

O homem morreu, mas nasceu aquele que, a partir de agora, é oficialmente o primeiro mártir católico da época comunista suportada pela Lituânia. E esta beatificação permite que o Beato Maulionis possa ser venerado por seus compatriotas na terra mesma em que viveu com o rebanho que nunca foi abandonado por ele. (JSG)

Loading
Beatificado Bispo morto na Lituânia comunista

Vilnius - Lituânia (Sexta-feira, 30-06-2017, Gaudium Press) O Bispo Dom Teofilius Matulionis tornou-se oficialmente o primeiro mártir da Lituânia. Ele morreu vítima da opressão do regime comunista e foi beatificado no último fim de semana em seu país natal.

Beatificado Bispo morto na Lituânia comunista.jpgA cerimônia de beatificação foi celebrada pelo prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, Cardeal Angelo Amato, como representante do Papa.
Participaram dessa cerimônia mais de 30 000 pessoas. Entre os presentes em Vilnius, capital da Lituânia, encontravam-se cerca de 500 sacerdotes e 50 bispos.

O Bispo Dom Matulionis

Assim que o Cardeal, representando o Santo Padre, pronunciou a fórmula de Beatificação, um cortejo de militares, conduzindo as relíquias do novo beato, em passo cadenciado aproximou-se solenemente do altar enquanto um enorme retrato do Beato era descerrado, mostrando a todos a sua fisionomia determinada, segura e serena.

Durante sua vida, Dom Matulionis foi condenado três vezes a cumprir pena no "gulag" soviético. Seu crime, segundo as autoridades bolchevistas, foi sempre baseado na acusação de ele não aplicar as normas contrarias à Igreja que haviam sido ordenadas pelo regime comunista da época.

Nunca abandonou seu país e o rebanho a ele confiado. Nem mesmo depois do segundo ataque bolchevique ao país que é denominado "Terra de Maria", ele deixou seu povo e sua terra. São conhecidas e tornarem-se célebres suas palavras ditas naquela ocasião: "Ficarei com minha gente. Não tenho medo de que me persigam. Quando rezo, não tenho medo".

Conheceu o "gulag" soviético

Passou mais de 15 anos encarcerado em vários dos temíveis "gulags" mantidos como prisão para aqueles que discordavam do comuno-socialismo, despótico e ateu mantido pelos dirigentes comunistas.

Anos depois, vivendo fora dos cárceres, foi realizada por agentes soviéticos uma "inspeção" em sua residência episcopal. Alguns dias depois ele morreu envenenado: os "inspetores" deixaram em sua casa uma substância tóxica que seus longos anos de vida já não conseguiram suportar.

Beatificado Bispo morto na Lituânia comunista (2).jpg

O homem morreu, mas nasceu aquele que, a partir de agora, é oficialmente o primeiro mártir católico da época comunista suportada pela Lituânia. E esta beatificação permite que o Beato Maulionis possa ser venerado por seus compatriotas na terra mesma em que viveu com o rebanho que nunca foi abandonado por ele. (JSG)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/88257-Beatificado-Bispo-morto-na-Lituania-comunista. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

A iniciativa de oração pretende unir milhares de pessoas ao redor do mundo para rezar pela paz, re ...
 
A notícia foi conhecida por meio de um edito assinado pelo Cardeal Angelo de Donatis. ...
 
Para Dom Orani Tempesta, a fortaleza para superar as várias dificuldades e situações foi uma das ...
 
Segundo o bispo de Imperatriz (MA), a Jornada nos ensina que a Igreja precisa aprender a trabalhar a ...
 
A prefeita de Roma, Virginia Raggi, assegurou que as moedas coletadas em outras fontes da capital it ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading