Loading
 
 
 
Loading
 
"A sociedade conduz-nos à passividade e à indiferença”, diz Bispo Açoriano
Loading
 
25 de Julho de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Pico - Açores (Terça-feira, 25-07-2017, Gaudium Press) "Porque é que hoje há tanta fuga de Deus por parte das pessoas? Porque hoje, cada um fica na sua condição sem se deixar libertar. A sociedade conduz-nos à passividade e à indiferença", estas palavras são de Dom João Lavrador, bispo de Angra.

A sociedade conduz-nos à passividade e à indiferença?, diz Bispo Açoriano.jpg

As palavras foram pronunciadas em homilia da festa de Santa Maria Madalena, comemorada no último sábado, durante Celebração Eucarística na Ilha do Pico Madalena.

Passividade e Negligencia

O bispo diocesano explicou que as pessoas deixaram de "se inquietar e de perguntar", negligenciando um caminho que "as faça encontrar consigo próprias, com Jesus e consequentemente com Deus e com os outros". "Hoje não se fazem perguntas porque elas incomodam. Impõem-se preconceitos", observou. Para ele, a sociedade moderna fomenta a "passividade e a indiferença" e "o homem foge de Deus",

Dom João ainda alertou os fiéis de que é preciso "ter a consciência" que a "realização não se consegue só pelas questões materiais" e as pessoas não podem fechar-se em si próprias e o ser humano tem que "procurar muito mais" porque esta cultura "não está a responder ao que de mais íntimo o ser humano precisa".

Santa Maria Madalena, peregrina do amor de Deus

"Precisamos romper com os preconceitos, nós temos necessidade de fazer um encontro com Jesus Cristo", que foi o que Maria Madalena fez.

Segundo o prelado o que faz movimentar Maria Madalena "é o amor" e o amor que "faz muitas perguntas", "abarca a realidade da pessoa no seu todo".

O bispo diocesano assinalou que Maria Madalena é "a grande peregrina do amor" e as pessoas descobrem-se "como Maria Madalena, entregando por amor ou a vida não terá sentido".

"Quando nos aventuramos a fazer este caminho, procurando ir ao encontro do outro, vamos obtendo muitas respostas porque o amor responde à inteligência sem a limitar; responde ao afeto sem se limitar a ele e responde à vontade humana não se limitando à realidade da vontade", explicou.

O Papa Francisco deu novo estatuto à celebração da festa de Santa Maria Madalena, no calendário litúrgico, em 2016. (JSG)

(Da redação Gaudium Press, com informações e foto www.Igreja Açores.pt)

Loading
"A sociedade conduz-nos à passividade e à indiferença”, diz Bispo Açoriano

Pico - Açores (Terça-feira, 25-07-2017, Gaudium Press) "Porque é que hoje há tanta fuga de Deus por parte das pessoas? Porque hoje, cada um fica na sua condição sem se deixar libertar. A sociedade conduz-nos à passividade e à indiferença", estas palavras são de Dom João Lavrador, bispo de Angra.

A sociedade conduz-nos à passividade e à indiferença?, diz Bispo Açoriano.jpg

As palavras foram pronunciadas em homilia da festa de Santa Maria Madalena, comemorada no último sábado, durante Celebração Eucarística na Ilha do Pico Madalena.

Passividade e Negligencia

O bispo diocesano explicou que as pessoas deixaram de "se inquietar e de perguntar", negligenciando um caminho que "as faça encontrar consigo próprias, com Jesus e consequentemente com Deus e com os outros". "Hoje não se fazem perguntas porque elas incomodam. Impõem-se preconceitos", observou. Para ele, a sociedade moderna fomenta a "passividade e a indiferença" e "o homem foge de Deus",

Dom João ainda alertou os fiéis de que é preciso "ter a consciência" que a "realização não se consegue só pelas questões materiais" e as pessoas não podem fechar-se em si próprias e o ser humano tem que "procurar muito mais" porque esta cultura "não está a responder ao que de mais íntimo o ser humano precisa".

Santa Maria Madalena, peregrina do amor de Deus

"Precisamos romper com os preconceitos, nós temos necessidade de fazer um encontro com Jesus Cristo", que foi o que Maria Madalena fez.

Segundo o prelado o que faz movimentar Maria Madalena "é o amor" e o amor que "faz muitas perguntas", "abarca a realidade da pessoa no seu todo".

O bispo diocesano assinalou que Maria Madalena é "a grande peregrina do amor" e as pessoas descobrem-se "como Maria Madalena, entregando por amor ou a vida não terá sentido".

"Quando nos aventuramos a fazer este caminho, procurando ir ao encontro do outro, vamos obtendo muitas respostas porque o amor responde à inteligência sem a limitar; responde ao afeto sem se limitar a ele e responde à vontade humana não se limitando à realidade da vontade", explicou.

O Papa Francisco deu novo estatuto à celebração da festa de Santa Maria Madalena, no calendário litúrgico, em 2016. (JSG)

(Da redação Gaudium Press, com informações e foto www.Igreja Açores.pt)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/88809--A-sociedade-conduz-nos-a-passividade-e-a-indiferenca-rdquo---diz-Bispo-Acoriano. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

O Cardeal apresentou Nossa Senhora como exemplo para todos os fiéis. ...
 
O Pontífice visitará o país europeu entre os dias 25 e 26 de agosto, para participar do Encontro ...
 
O emoji criado consiste em uma pequena representando o rosto sorridente do Papa, com a bandeira da I ...
 
“ (...) todos os dias somos impulsionados a uma resposta livre ao chamado amoroso de Deus”, afir ...
 
Na festa da Assunção da Virgem Maria, Cardeal Antônio Marto indica três motivos de alegria para ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading