Loading
 
 
 
Loading
 
Papa confia ao Pai a alma do pequeno Charlie
Loading
 
31 de Julho de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 31-07-2017, Gaudium Press) "Confio ao Pai o pequeno Charlie e rezo pelos seus pais e as pessoas que o amaram".

Papa confia ao Pai a alma do pequeno Charlie.jpg

Esta foi a mensagem postado pelo Papa Francisco no Twitter, assim que foi confirmada a morte de Charlie Gard, o bebê inglês de 11 meses, que juízes britânicos "condenaram a morte".

Seu crime foi o de querer viver, de teimar em procurar meios para sobreviver. Ele foi morto "para evitar um sofrimento maior", de acordo com o que pensam os juízes de um "tribunal de direitos humanos".

O bebê que ainda não havia completado um ano de vida, morreu após a interrupção da respiração artificial numa clínica de cuidados paliativos, para onde fora transferido por decisão do Tribunal.

Esta não foi a única manifestação de Francisco a propósito de caso que alcançou grande repercussão internacional.
Já na segunda-feira, o Papa havia manifestado sua solidariedade aos pais de Charlie Gard: neste "momento de imenso sofrimento".

A morte do bebê foi anunciada por seus pais Connie Yates e Chris Gard, quando afirmaram: "O nosso esplêndido menino se foi. Estamos realmente orgulhosos de Charlie".

Reação católica

O Presidente da Conferência Episcopal da Inglaterra e de Gales, Cardeal Vincent Nichols, Arcebispo de Westminster, declarou-se profundamente entristecido pela morte de Charlie Gard e manifestou a solidariedade da comunidade católica aos pais de Charlie.

O Cardeal também agradeceu aos funcionários do Hospital "Great Ormond Street", que cuidou do bebê até a sua transferência, destacando o profissionalismo e a dedicação de médicos e enfermeiros.

"Deus não desliga os aparelhos"

O Presidente da Pontifícia Academia para a Vida, Dom Vincenzo Paglia expressou sua solidariedade e promessa de orações.

O Arcebispo recordou a grandeza do Amor de Deus que não pode ser desligada de aparelhos e ainda acrescentou que este caso impulsiona a "promover uma cultura do acompanhamento" e a "dizer três grandes nãos: à eutanásia, ao abandono e ao excesso terapêutico a favor de grandes sins: ao acompanhamento, ao progresso da ciência e à terapia da dor". (JSG)

Loading
Papa confia ao Pai a alma do pequeno Charlie

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 31-07-2017, Gaudium Press) "Confio ao Pai o pequeno Charlie e rezo pelos seus pais e as pessoas que o amaram".

Papa confia ao Pai a alma do pequeno Charlie.jpg

Esta foi a mensagem postado pelo Papa Francisco no Twitter, assim que foi confirmada a morte de Charlie Gard, o bebê inglês de 11 meses, que juízes britânicos "condenaram a morte".

Seu crime foi o de querer viver, de teimar em procurar meios para sobreviver. Ele foi morto "para evitar um sofrimento maior", de acordo com o que pensam os juízes de um "tribunal de direitos humanos".

O bebê que ainda não havia completado um ano de vida, morreu após a interrupção da respiração artificial numa clínica de cuidados paliativos, para onde fora transferido por decisão do Tribunal.

Esta não foi a única manifestação de Francisco a propósito de caso que alcançou grande repercussão internacional.
Já na segunda-feira, o Papa havia manifestado sua solidariedade aos pais de Charlie Gard: neste "momento de imenso sofrimento".

A morte do bebê foi anunciada por seus pais Connie Yates e Chris Gard, quando afirmaram: "O nosso esplêndido menino se foi. Estamos realmente orgulhosos de Charlie".

Reação católica

O Presidente da Conferência Episcopal da Inglaterra e de Gales, Cardeal Vincent Nichols, Arcebispo de Westminster, declarou-se profundamente entristecido pela morte de Charlie Gard e manifestou a solidariedade da comunidade católica aos pais de Charlie.

O Cardeal também agradeceu aos funcionários do Hospital "Great Ormond Street", que cuidou do bebê até a sua transferência, destacando o profissionalismo e a dedicação de médicos e enfermeiros.

"Deus não desliga os aparelhos"

O Presidente da Pontifícia Academia para a Vida, Dom Vincenzo Paglia expressou sua solidariedade e promessa de orações.

O Arcebispo recordou a grandeza do Amor de Deus que não pode ser desligada de aparelhos e ainda acrescentou que este caso impulsiona a "promover uma cultura do acompanhamento" e a "dizer três grandes nãos: à eutanásia, ao abandono e ao excesso terapêutico a favor de grandes sins: ao acompanhamento, ao progresso da ciência e à terapia da dor". (JSG)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/88938-Papa-confia-ao-Pai-a-alma-do-pequeno-Charlie. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Este difícil trabalho foi qualificado pelo Diretor Internacional de Padroeiros das Artes nos Museus ...
 
As JMJ foram iniciadas por pelo Papa São João Paulo II que as instituiu em 1985. ...
 
No Recife, o templo localizado no bairro Casa Forte empossará no cargo Dom Limacêdo Antonio da Sil ...
 
O primeiro capítulo da série mostra o protocolo utilizado pela Guarda para acolher os chefes de Es ...
 
A iniciativa em memória do Padre Pelágio Sauter é celebrada juntamente com os Missionários Reden ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading