Loading
 
 
 
Loading
 
É preciso despertar, discernir e cultivar a vocação, afirma o Arcebispo de Palmas
Loading
 
15 de Agosto de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Palmas - Tocantins (Terça-feira, 15-08-2017, Gaudium Press) A vocação existe, existiu e continuará existindo, é o que afirma o Arcebispo de Palmas (TO), Dom Pedro Brito Guimarães, em seu mais recente artigo publicado no portal da CNBB.

É preciso despertar, discernir e cultivar a vocação, afirma o Arcebispo de Palmas.jpg

A vocação, segundo Dom Brito, "como tudo na vida, precisa ser descoberta, despertada, promovida e cultivada".

O prelado explica que a crise vocacional é proporcional à credibilidade eclesial e a vitalidade da vida cristã, pois "quanto mais fraca e frágil forem a eficiência e a eficácia eclesiais, menos vocações teremos".

Na visão do arcebispo, é preciso assumir o protagonismo na promoção das vocações, que são dons de Deus, mas que compreendem uma missão humana de cuidá-la e cultivá-la. "Se no final dos esforços vocacionais não tivermos vocações que a comunidade precisa, ainda assim, devemos nos render e afirmar: vocação existe. Basta descobri-la, cultivá-la e promovê-la".

Dom Pedro recorda ainda que há "um código de barra em cada vocação, que precisa ser decodificado" e que o itinerário se consiste em despertar, discernir, cultivar e acompanhar as vocações e os vocacionados. "Os livros, os meios, os métodos, as técnicas, as dinâmicas e as linguagens ajudam muito. Mas, uma Pastoral Vocacional orante e celebrativa, propositiva e criativa, existencial e testemunhal também ajudam muito. No entanto, nada substitui o testemunho de vida. A maior, a melhor e a mais eficaz propaganda vocacional são o testemunho de vida, pessoal e comunitário", declara.

O "vinde e vede", prossegue, "é a melhor propaganda vocacional", uma vez que "o testemunho é a mediação privilegiada e insubstituível de toda a Pastoral Vocacional. Nada e nem ninguém poderá substituí-lo. Por que Jesus atraia tantos discípulos missionários para estarem com Ele e para serem enviados em missão? Porque trabalhou com mãos humanas, pensou com inteligência humana, agiu com vontade humana e amou com coração humano (GS 22). E chamou a quem Ele quis para estarem com Ele (Mc 3,15)". (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações Arquidiocese de Palmas

Loading
É preciso despertar, discernir e cultivar a vocação, afirma o Arcebispo de Palmas

Palmas - Tocantins (Terça-feira, 15-08-2017, Gaudium Press) A vocação existe, existiu e continuará existindo, é o que afirma o Arcebispo de Palmas (TO), Dom Pedro Brito Guimarães, em seu mais recente artigo publicado no portal da CNBB.

É preciso despertar, discernir e cultivar a vocação, afirma o Arcebispo de Palmas.jpg

A vocação, segundo Dom Brito, "como tudo na vida, precisa ser descoberta, despertada, promovida e cultivada".

O prelado explica que a crise vocacional é proporcional à credibilidade eclesial e a vitalidade da vida cristã, pois "quanto mais fraca e frágil forem a eficiência e a eficácia eclesiais, menos vocações teremos".

Na visão do arcebispo, é preciso assumir o protagonismo na promoção das vocações, que são dons de Deus, mas que compreendem uma missão humana de cuidá-la e cultivá-la. "Se no final dos esforços vocacionais não tivermos vocações que a comunidade precisa, ainda assim, devemos nos render e afirmar: vocação existe. Basta descobri-la, cultivá-la e promovê-la".

Dom Pedro recorda ainda que há "um código de barra em cada vocação, que precisa ser decodificado" e que o itinerário se consiste em despertar, discernir, cultivar e acompanhar as vocações e os vocacionados. "Os livros, os meios, os métodos, as técnicas, as dinâmicas e as linguagens ajudam muito. Mas, uma Pastoral Vocacional orante e celebrativa, propositiva e criativa, existencial e testemunhal também ajudam muito. No entanto, nada substitui o testemunho de vida. A maior, a melhor e a mais eficaz propaganda vocacional são o testemunho de vida, pessoal e comunitário", declara.

O "vinde e vede", prossegue, "é a melhor propaganda vocacional", uma vez que "o testemunho é a mediação privilegiada e insubstituível de toda a Pastoral Vocacional. Nada e nem ninguém poderá substituí-lo. Por que Jesus atraia tantos discípulos missionários para estarem com Ele e para serem enviados em missão? Porque trabalhou com mãos humanas, pensou com inteligência humana, agiu com vontade humana e amou com coração humano (GS 22). E chamou a quem Ele quis para estarem com Ele (Mc 3,15)". (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações Arquidiocese de Palmas

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/89244-E-preciso-despertar--discernir-e-cultivar-a-vocacao--afirma-o-Arcebispo-de-Palmas. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Este difícil trabalho foi qualificado pelo Diretor Internacional de Padroeiros das Artes nos Museus ...
 
As JMJ foram iniciadas por pelo Papa São João Paulo II que as instituiu em 1985. ...
 
No Recife, o templo localizado no bairro Casa Forte empossará no cargo Dom Limacêdo Antonio da Sil ...
 
O primeiro capítulo da série mostra o protocolo utilizado pela Guarda para acolher os chefes de Es ...
 
A iniciativa em memória do Padre Pelágio Sauter é celebrada juntamente com os Missionários Reden ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading