Loading
 
 
 
Loading
 
É preciso deixar-se consolar pelo Senhor, mas isto não é fácil, diz Papa
Loading
 
11 de Dezembro de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 11-12-2017, Gaudium PressPresidindo a Missa na Capela da Casa Santa Marta, o Papa Francisco comentou a primeira leitura proposta pela liturgia para hoje e que é extraída do Profeta Isaías (Is 35,1-10). Nela o Senhor promete ao seu povo a consolação: 

"O Senhor veio para nos consolar, muitas vezes a consolação do Senhor nos parece uma maravilha". "Mas não é fácil deixar-se consolar; é mais fácil consolar os outros do que deixar-se consolar. Porque, muitas vezes, nós ficamos presos ao negativo, ficamos presos à ferida do pecado dentro de nós e, muitas vezes, há a preferência por permanecer ali, sozinho, ou seja, na cama, como aquele do Evangelho, isolado, ali, e não se levantar. "Levante-se" é a palavra de Jesus, sempre: ‘Levante-se". Isaías convida à coragem, porque Deus ‘vem te salvar', recorda.

"Donos" e "mendicantes"

Para o Papa, o problema é que no "negativo somos donos" , porque temos dentro a ferida do pecado, enquanto "no positivo somos mendicantes" e não gostamos de mendigar a consolação.

Para ser mais claro, Francisco usou exemplos tentando fazer-se entender:
Para ele, quando se prefere "o rancor" e "cozinhamos os nossos sentimentos" na canja do ressentimento, "quando há um coração amargo", quando o nosso tesouro é a nossa amargura.

O Papa recordou o paralítico da piscina de Siloé: 38 anos com a sua amargura dizendo que quando as águas se mexiam ninguém o ajudava. E afirmou que "para esses corações amargos, é mais belo o amargo do que o doce", muitas pessoas preferem isso: "raiz amarga", "que nos leva com a memória ao pecado original. E este é justamente um modo para não deixar-se consolar...

Amargura e Jonas

E depois a amargura "sempre nos leva a expressões de lamentação": os homens que se lamentam diante de Deus ao invés de louvá-lo: são lamentações como música que acompanha a vida.

O Papa cita o Profeta Jonas que fugiu de Deus porque se queixava que o Senhor lhe faria algo, mas acabou afogando e engolido pelo peixe e, depois, voltou para a missão. E ao invés de alegrar-se pela conversão das pessoas, se lamentava porque Deus as salvava: "Também nas lamentações há coisas contraditórias".

Evangelho do dia

Papa dirige seu pensamento ao Evangelho do dia, recordando quando algumas pessoas sobem no teto porque havia muita gente e descem o paralítico para colocá-lo diante de Jesus. Não tinham pensado que ali estavam os escribas ou outros, queriam somente a cura daquele homem.

Exame de Consciência: Consolação e egoísmo

Segundo Francisco, a mensagem da Liturgia de hoje é a de se deixar consolar pelo Senhor e ele comenta isso:

"E não é fácil porque, para deixar-se consolar pelo Senhor é preciso despojar-se de nossos egoísmos, daquelas coisas que são o próprio tesouro, como as amarguras, as reclamações, tantas coisas. Faria bem hoje se cada um de nós fizesse um exame de consciência: como está o meu coração? Tem amarguras? Alguma tristeza? Como vai a minha linguagem? É de louvor a Deus, de beleza, ou sempre de lamentações? E depois, pedir ao Senhor a graça da coragem - porque na coragem Ele vem nos consolar - e pedir-Lhe: Senhor: venha nos consolar". (JSG)

 

Loading
É preciso deixar-se consolar pelo Senhor, mas isto não é fácil, diz Papa

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 11-12-2017, Gaudium PressPresidindo a Missa na Capela da Casa Santa Marta, o Papa Francisco comentou a primeira leitura proposta pela liturgia para hoje e que é extraída do Profeta Isaías (Is 35,1-10). Nela o Senhor promete ao seu povo a consolação: 

"O Senhor veio para nos consolar, muitas vezes a consolação do Senhor nos parece uma maravilha". "Mas não é fácil deixar-se consolar; é mais fácil consolar os outros do que deixar-se consolar. Porque, muitas vezes, nós ficamos presos ao negativo, ficamos presos à ferida do pecado dentro de nós e, muitas vezes, há a preferência por permanecer ali, sozinho, ou seja, na cama, como aquele do Evangelho, isolado, ali, e não se levantar. "Levante-se" é a palavra de Jesus, sempre: ‘Levante-se". Isaías convida à coragem, porque Deus ‘vem te salvar', recorda.

"Donos" e "mendicantes"

Para o Papa, o problema é que no "negativo somos donos" , porque temos dentro a ferida do pecado, enquanto "no positivo somos mendicantes" e não gostamos de mendigar a consolação.

Para ser mais claro, Francisco usou exemplos tentando fazer-se entender:
Para ele, quando se prefere "o rancor" e "cozinhamos os nossos sentimentos" na canja do ressentimento, "quando há um coração amargo", quando o nosso tesouro é a nossa amargura.

O Papa recordou o paralítico da piscina de Siloé: 38 anos com a sua amargura dizendo que quando as águas se mexiam ninguém o ajudava. E afirmou que "para esses corações amargos, é mais belo o amargo do que o doce", muitas pessoas preferem isso: "raiz amarga", "que nos leva com a memória ao pecado original. E este é justamente um modo para não deixar-se consolar...

Amargura e Jonas

E depois a amargura "sempre nos leva a expressões de lamentação": os homens que se lamentam diante de Deus ao invés de louvá-lo: são lamentações como música que acompanha a vida.

O Papa cita o Profeta Jonas que fugiu de Deus porque se queixava que o Senhor lhe faria algo, mas acabou afogando e engolido pelo peixe e, depois, voltou para a missão. E ao invés de alegrar-se pela conversão das pessoas, se lamentava porque Deus as salvava: "Também nas lamentações há coisas contraditórias".

Evangelho do dia

Papa dirige seu pensamento ao Evangelho do dia, recordando quando algumas pessoas sobem no teto porque havia muita gente e descem o paralítico para colocá-lo diante de Jesus. Não tinham pensado que ali estavam os escribas ou outros, queriam somente a cura daquele homem.

Exame de Consciência: Consolação e egoísmo

Segundo Francisco, a mensagem da Liturgia de hoje é a de se deixar consolar pelo Senhor e ele comenta isso:

"E não é fácil porque, para deixar-se consolar pelo Senhor é preciso despojar-se de nossos egoísmos, daquelas coisas que são o próprio tesouro, como as amarguras, as reclamações, tantas coisas. Faria bem hoje se cada um de nós fizesse um exame de consciência: como está o meu coração? Tem amarguras? Alguma tristeza? Como vai a minha linguagem? É de louvor a Deus, de beleza, ou sempre de lamentações? E depois, pedir ao Senhor a graça da coragem - porque na coragem Ele vem nos consolar - e pedir-Lhe: Senhor: venha nos consolar". (JSG)

 

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/91745-E-preciso-deixar-se-consolar-pelo-Senhor--mas-isto-nao-e-facil--diz-Papa-. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

...
 
Muitos para justificar suas doutrinas transmitem ir uma visão apoucada de Jesus. ...
 
A igreja dedicada à Santíssima Trindade recebeu o o título de basílica em 2012. ...
 
O Papa Francisco nomeou Dom Messias dos Reis Silveira, que até então estava na Diocese de Uruaçu ...
 
A lei ultrapassa a relação entre Igreja e Estado, pois “os símbolos e as imagens que expressam ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading