Loading
 
 
 
Loading
 
Bispos da Costa Rica pedem ao Presidente do país que TV estatal volte a transmitir a Missa
Loading
 
14 de Dezembro de 2017 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Costa Rica - San José (Quinta-feira, 14-12-2017, Gaudium Press) Através de uma carta pública emitida no dia 11 de dezembro, os Bispos da Costa Rica expressaram ao Presidente da República, Luis Guillermo Solís, sua "imperiosa necessidade de expressar à sua Autoridade e a toda a Nação nossa posição e rejeição diante das decisões tomadas pelos administradores do Sistema Nacional de Rádio e Televisão (SINART)", o que significou a retirada da transmissão da Eucaristia e do Santo Rosário no canal de televisão estadual. A polêmica decisão foi anunciada no dia 07 de dezembro e entrará em vigor em janeiro de 2018.

Os prelados alegaram em seu comunicado o respeito pela liberdade religiosa como direito humano fundamental, que inclui a "liberdade de culto entendida como o direito de realizar atos ou rituais de culto tanto na esfera privada quanto na esfera pública", um direito que deve ser garantido pelo estado. Os Bispos rejeitaram a invocação de uma aparente "neutralidade" religiosa para desrespeitar "os direitos dos habitantes de exercer suas crenças religiosas no âmbito do respeito, da tolerância e da lei".

Além de apontar a decisão como "tendenciosa, com toques de autoritarismo e claramente contraproducente aos interesses costarriquenhos", os Bispos denunciaram as declarações da Defensora das Audiências do SINART, Nathalia Rojas Zúñiga, que expressou seu repúdio pessoal contra a Igreja Católica nas redes sociais e promoveu a interrupção da transmissão do Santo Rosário e da Eucaristia através de um relatório. Este repúdio é a base aparente da decisão, pela qual "não se pode permitir que um funcionário público utilize as instituições do Estado para fazer prevalecer suas opiniões ou convicções, e muito menos converter essas instituições em instrumento para suas questionáveis intenções em demérito de toda a povoação".

Os prelados pediram para considerar as necessidades das pessoas em situação de vulnerabilidade, como os idosos, os enfermos hospitalizados e os residentes em lugares distantes, todos eles exemplos daqueles que necessitam ter acesso à Eucaristia através dos meios de comunicação para uma livre prática da Fé. "Como cidadãos e como Pastores do Povo de Deus nos dirigimos a você, senhor Presidente, como chefe do Estado, pois sua autoridade constitucional e moral é um critério para toda a Administração Pública e humildemente pedimos que interponha seus bons ofícios para que tão grande mal aos habitantes da República e em especial dos cidadãos e cidadãs católicos seja revertido, e assim os meios de comunicação do Sinart estejam realmente a serviço do povo", concluíram os Bispos, recomendando ao mandatário "a poderosa intercessão de Santa Maria, Rainha dos Anjos e Padroeira da Costa Rica". (EPC)

Loading
Bispos da Costa Rica pedem ao Presidente do país que TV estatal volte a transmitir a Missa

Costa Rica - San José (Quinta-feira, 14-12-2017, Gaudium Press) Através de uma carta pública emitida no dia 11 de dezembro, os Bispos da Costa Rica expressaram ao Presidente da República, Luis Guillermo Solís, sua "imperiosa necessidade de expressar à sua Autoridade e a toda a Nação nossa posição e rejeição diante das decisões tomadas pelos administradores do Sistema Nacional de Rádio e Televisão (SINART)", o que significou a retirada da transmissão da Eucaristia e do Santo Rosário no canal de televisão estadual. A polêmica decisão foi anunciada no dia 07 de dezembro e entrará em vigor em janeiro de 2018.

Os prelados alegaram em seu comunicado o respeito pela liberdade religiosa como direito humano fundamental, que inclui a "liberdade de culto entendida como o direito de realizar atos ou rituais de culto tanto na esfera privada quanto na esfera pública", um direito que deve ser garantido pelo estado. Os Bispos rejeitaram a invocação de uma aparente "neutralidade" religiosa para desrespeitar "os direitos dos habitantes de exercer suas crenças religiosas no âmbito do respeito, da tolerância e da lei".

Além de apontar a decisão como "tendenciosa, com toques de autoritarismo e claramente contraproducente aos interesses costarriquenhos", os Bispos denunciaram as declarações da Defensora das Audiências do SINART, Nathalia Rojas Zúñiga, que expressou seu repúdio pessoal contra a Igreja Católica nas redes sociais e promoveu a interrupção da transmissão do Santo Rosário e da Eucaristia através de um relatório. Este repúdio é a base aparente da decisão, pela qual "não se pode permitir que um funcionário público utilize as instituições do Estado para fazer prevalecer suas opiniões ou convicções, e muito menos converter essas instituições em instrumento para suas questionáveis intenções em demérito de toda a povoação".

Os prelados pediram para considerar as necessidades das pessoas em situação de vulnerabilidade, como os idosos, os enfermos hospitalizados e os residentes em lugares distantes, todos eles exemplos daqueles que necessitam ter acesso à Eucaristia através dos meios de comunicação para uma livre prática da Fé. "Como cidadãos e como Pastores do Povo de Deus nos dirigimos a você, senhor Presidente, como chefe do Estado, pois sua autoridade constitucional e moral é um critério para toda a Administração Pública e humildemente pedimos que interponha seus bons ofícios para que tão grande mal aos habitantes da República e em especial dos cidadãos e cidadãs católicos seja revertido, e assim os meios de comunicação do Sinart estejam realmente a serviço do povo", concluíram os Bispos, recomendando ao mandatário "a poderosa intercessão de Santa Maria, Rainha dos Anjos e Padroeira da Costa Rica". (EPC)


 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

As homenagens a Padroeira do Rio Grande do Sul foram inspiradas pelo tema “A jovem chamada Maria, ...
 
Curso vai ser ministrado na Pontifícia Universidade Lateranense, de Roma ...
 
Esta será a segunda visita de um Papa ao Marrocos, nação que acolheu São João Paulo II, em 1985 ...
 
Os escoteiros do Brasil têm atuado em convênios com os comitês locais da JMJ e o comitê interame ...
 
"Que esse lamentável fato em Niterói, no Ano do Leigo, possa nos aproximar mais de Deus", expresso ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading