Loading
 
 
 
Loading
 
Sacerdote investiga origem dos Reis Magos e argumenta sua veracidade histórica
Loading
 
8 de Janeiro de 2018 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Estados Unidos - Greenville (Segunda-feira, 08-01-2018, Gaudium Press) O Padre Dwight Longenecker, sacerdote dos EUA célebre por sua conversão do anglicanismo e seu trabalho evangelizador através da Internet, publicou recentemente um novo livro dedicado à figura dos Reis Magos. Sob o título de "O mistério dos Magos: a busca da verdadeira identidade dos três sábios", a obra expõe os resultados de uma investigação pessoal sobre o texto do Evangelho segundo São Mateus. "O que descobri estava além das minhas esperanças mais loucas", explicou o autor em entrevista ao 'Catholic World Report'.

Sacerdote investiga origem dos Reis Magos e argumenta sua veracidade histórica.jpg

"Uma vez que comecei a pesquisar, foi surpreendente como todas as peças do quebra-cabeça começaram a se unir", comentou o sacerdote, segundo informou 'Religión en Libertad'. "Devo dizer que as lendas e os mitos fantásticos que se desenvolveram em torno da história dos Reis Magos não podem justificar-se historicamente, mas a breve e simples descrição de Mateus se ajusta perfeitamente com o que sabemos sobre a geografia, a economia, a política e a cultura da época". Os progressos nos estudos sobre a geografia, história, arqueologia e cultura nos últimos anos permitiram ao autor propôr uma nova teoria.

O Padre Longenecker sugere que os enigmáticos visitantes descritos por São Mateus eram diplomatas que viajaram do Reino dos Nabateus. Os emissários viriam desta cidade de pedra, onde se cultivavam notáveis conhecimentos em astronomia. "A nova ciência da arqueoastronomia mostrou que as cidades e templos nabateanos foram construídos em alinhamento com as constelações e ciclos estrelares. Isto também mostra que os nabateus eram observadores de estrelas", relata em seu livro o sacerdote. Ao ser relativamente vizinhos, "o rei Nabateano, Aretas IV, teve toda a motivação para comentar uma aliança com Herodes o Grande. Quando os magos de sua corte discerniram que havia nascido um novo herdeiro ao trono judaico, Aretas os enviou como emissários à corte de Herodes para render homenagem".

O autor expõem três razões pelas quais esta teoria não havia sido sugerida anteriormente. A primeira é a ignorância sobre os nabateus. "Sua cultura ao noroeste da Arábia se ocultava em ruínas debaixo das areias do deserto e, como não deixaram história escrita, se sabia pouco sobre eles. Somente nos últimos 50 ou 60 anos, aprendemos mais sobre este fabuloso e misterioso reino do deserto", explicou. Uma segunda razão é que a suposição da origem da Pérsia ou Índia foi geralmente aceita e incorporada nas tradições sobre o tema sem uma maior crítica. E a terceira seria precisamente a crítica daqueles que consideram a história dos Reis Magos como uma "fábula piedosa" que não mereceria uma análise acadêmica real.

Para o Padre Longenecker é importante estudar e propôr explicações sobre os Reis Magos, de forma que as pessoas possam valorizar a historicidade dos Evangelhos e não chegar a pensar que contenham lendas ou mitos. "Se eu estou certo ao dizer que a história dos Reis Magos está enraizada na história, então esta é mais uma prova que se une ao crescente corpo de evidências que apoia a confiabilidade histórica dos Evangelhos", afirmou. "Em outras palavras, se podemos confiar que Mateus nos conta a história dos Magos, podemos ter muito mais confiança no resto da história do Evangelho". (EPC)

Loading
Sacerdote investiga origem dos Reis Magos e argumenta sua veracidade histórica

Estados Unidos - Greenville (Segunda-feira, 08-01-2018, Gaudium Press) O Padre Dwight Longenecker, sacerdote dos EUA célebre por sua conversão do anglicanismo e seu trabalho evangelizador através da Internet, publicou recentemente um novo livro dedicado à figura dos Reis Magos. Sob o título de "O mistério dos Magos: a busca da verdadeira identidade dos três sábios", a obra expõe os resultados de uma investigação pessoal sobre o texto do Evangelho segundo São Mateus. "O que descobri estava além das minhas esperanças mais loucas", explicou o autor em entrevista ao 'Catholic World Report'.

Sacerdote investiga origem dos Reis Magos e argumenta sua veracidade histórica.jpg

"Uma vez que comecei a pesquisar, foi surpreendente como todas as peças do quebra-cabeça começaram a se unir", comentou o sacerdote, segundo informou 'Religión en Libertad'. "Devo dizer que as lendas e os mitos fantásticos que se desenvolveram em torno da história dos Reis Magos não podem justificar-se historicamente, mas a breve e simples descrição de Mateus se ajusta perfeitamente com o que sabemos sobre a geografia, a economia, a política e a cultura da época". Os progressos nos estudos sobre a geografia, história, arqueologia e cultura nos últimos anos permitiram ao autor propôr uma nova teoria.

O Padre Longenecker sugere que os enigmáticos visitantes descritos por São Mateus eram diplomatas que viajaram do Reino dos Nabateus. Os emissários viriam desta cidade de pedra, onde se cultivavam notáveis conhecimentos em astronomia. "A nova ciência da arqueoastronomia mostrou que as cidades e templos nabateanos foram construídos em alinhamento com as constelações e ciclos estrelares. Isto também mostra que os nabateus eram observadores de estrelas", relata em seu livro o sacerdote. Ao ser relativamente vizinhos, "o rei Nabateano, Aretas IV, teve toda a motivação para comentar uma aliança com Herodes o Grande. Quando os magos de sua corte discerniram que havia nascido um novo herdeiro ao trono judaico, Aretas os enviou como emissários à corte de Herodes para render homenagem".

O autor expõem três razões pelas quais esta teoria não havia sido sugerida anteriormente. A primeira é a ignorância sobre os nabateus. "Sua cultura ao noroeste da Arábia se ocultava em ruínas debaixo das areias do deserto e, como não deixaram história escrita, se sabia pouco sobre eles. Somente nos últimos 50 ou 60 anos, aprendemos mais sobre este fabuloso e misterioso reino do deserto", explicou. Uma segunda razão é que a suposição da origem da Pérsia ou Índia foi geralmente aceita e incorporada nas tradições sobre o tema sem uma maior crítica. E a terceira seria precisamente a crítica daqueles que consideram a história dos Reis Magos como uma "fábula piedosa" que não mereceria uma análise acadêmica real.

Para o Padre Longenecker é importante estudar e propôr explicações sobre os Reis Magos, de forma que as pessoas possam valorizar a historicidade dos Evangelhos e não chegar a pensar que contenham lendas ou mitos. "Se eu estou certo ao dizer que a história dos Reis Magos está enraizada na história, então esta é mais uma prova que se une ao crescente corpo de evidências que apoia a confiabilidade histórica dos Evangelhos", afirmou. "Em outras palavras, se podemos confiar que Mateus nos conta a história dos Magos, podemos ter muito mais confiança no resto da história do Evangelho". (EPC)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/92289-Sacerdote-investiga-origem-dos-Reis-Magos-e-argumenta-sua-veracidade-historica. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

“Quando vamos à comunhão recebemos a vida mesmo de Deus e para ter essa vida é necessário nutr ...
 
“O restauro resgata a história, e nós temos sempre que olhar para o nosso passado para podermos ...
 
“O Museu Paroquial Matriz Museu conta a trajetória de fé do povo de Maricá”, explicou o Padre ...
 
Na crise religiosa e confusão de doutrina onde o mundo atual está imerso. Às vezes os que procur ...
 
Segundo o purpurado, “um cristão não pode deixar de ser alegre, otimista, e ter uma concepção ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading