Loading
 
 
 
Loading
 
Analista reconhece na renúncia à Fé uma autêntica causa do secularismo radical na Europa
Loading
 
20 de Fevereiro de 2018 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Estados Unidos - Washington (Terça-feira, 20-02-2018, Gaudium Press) Em um artigo para a revista 'First Things', o autor católico e biógrafo de São João Paulo II, George Wiegel, pediu para abordar o que ele considera uma fonte de secularismo radical mais importante que as razões econômicas ou sociais frequentemente citadas: a renúncia particular às verdades da Fé e o enfraquecimento da pregação do Evangelho. A tese do escritor é claramente resumida no título do texto: "Homens sem convicções, templos sem pessoas".

Analista reconhece na renúncia à Fé uma autêntica causa do secularismo radical na Europa.jpg

"O abandono em massa da Europa de sua Fé Cristã é muitas vezes explicado como o subproduto inevitável da vida social, econômica e política moderna. Mas há muito mais na história da euro-secularização do que isso", indicou Wiegel, que citou o exemplo de várias notícias recentes nas quais os ministros religiosos fizeram declarações públicas sobre sua falta de Fé. O escândalo de um sacerdote que substituiu o Credo por uma música na Itália e outro que cancelou as Missas de dos dias 1º e 06 de janeiro em protesto pelo suposto "apoio exclusivo de uma economia capitalista e consumista" no Natal são graves indicadores da crise pessoal que desemboca na crise geral.

Para o autor, "a secularização não é algo que simplesmente aconteceu com a Europa Ocidental, como a Peste Negra". Em vez disso, "a secularização radical que transformou o coração do cristianismo no meio continente religiosamente mais árido do planeta tem ao menos tanto a ver com a redenção covarde dos ministros do Evangelho às modas teológicas e políticas, e sua consequente perda de Fé, que com o impacto da urbanização, a educação de massas e a revolução industrial na compreensão dos próprios sobre si mesmos". A consequência de uma debilidade pessoal no anúncio do Evangelho é evidente: "Se o Evangelho não é pregado com convicção - a convicção de que a humanidade precisa da salvação e de que Jesus é o Salvador que nos liberta para a plenitude de nossa humanidade e nos dá a vida eterna - então o Evangelho não será crido".

Se os fiéis continuarem repetindo as acusações das piores lendas negras elaboradas contra a Igreja, se não existe uma denúncia das distorções do Evangelho feitas pelo mundo ou se cai na transformação da Fé na promoção de ideologias políticas, é natural que os templos estejam vazios, explicou. "O cristianismo está morrendo na Europa Ocidental", lamentou Wiegel. "Mas o Evangelho tem poder, e aqueles que acreditam nisso, e o pregam com a convicção que pode transformar e enobrecer vidas, ainda podem obter uma audiência. De fato, a medida que a pós-verdade se descompõem em formas cada vez mais estranhas de irracionalidade, a verdade purificadora e libertadora do Evangelho e a visão da vida bem vivida que se encontra nas bem-aventuranças devem ser uma oferta convincente", concluiu. "Mas a oferta deve ser feita". (EPC)

Loading
Analista reconhece na renúncia à Fé uma autêntica causa do secularismo radical na Europa

Estados Unidos - Washington (Terça-feira, 20-02-2018, Gaudium Press) Em um artigo para a revista 'First Things', o autor católico e biógrafo de São João Paulo II, George Wiegel, pediu para abordar o que ele considera uma fonte de secularismo radical mais importante que as razões econômicas ou sociais frequentemente citadas: a renúncia particular às verdades da Fé e o enfraquecimento da pregação do Evangelho. A tese do escritor é claramente resumida no título do texto: "Homens sem convicções, templos sem pessoas".

Analista reconhece na renúncia à Fé uma autêntica causa do secularismo radical na Europa.jpg

"O abandono em massa da Europa de sua Fé Cristã é muitas vezes explicado como o subproduto inevitável da vida social, econômica e política moderna. Mas há muito mais na história da euro-secularização do que isso", indicou Wiegel, que citou o exemplo de várias notícias recentes nas quais os ministros religiosos fizeram declarações públicas sobre sua falta de Fé. O escândalo de um sacerdote que substituiu o Credo por uma música na Itália e outro que cancelou as Missas de dos dias 1º e 06 de janeiro em protesto pelo suposto "apoio exclusivo de uma economia capitalista e consumista" no Natal são graves indicadores da crise pessoal que desemboca na crise geral.

Para o autor, "a secularização não é algo que simplesmente aconteceu com a Europa Ocidental, como a Peste Negra". Em vez disso, "a secularização radical que transformou o coração do cristianismo no meio continente religiosamente mais árido do planeta tem ao menos tanto a ver com a redenção covarde dos ministros do Evangelho às modas teológicas e políticas, e sua consequente perda de Fé, que com o impacto da urbanização, a educação de massas e a revolução industrial na compreensão dos próprios sobre si mesmos". A consequência de uma debilidade pessoal no anúncio do Evangelho é evidente: "Se o Evangelho não é pregado com convicção - a convicção de que a humanidade precisa da salvação e de que Jesus é o Salvador que nos liberta para a plenitude de nossa humanidade e nos dá a vida eterna - então o Evangelho não será crido".

Se os fiéis continuarem repetindo as acusações das piores lendas negras elaboradas contra a Igreja, se não existe uma denúncia das distorções do Evangelho feitas pelo mundo ou se cai na transformação da Fé na promoção de ideologias políticas, é natural que os templos estejam vazios, explicou. "O cristianismo está morrendo na Europa Ocidental", lamentou Wiegel. "Mas o Evangelho tem poder, e aqueles que acreditam nisso, e o pregam com a convicção que pode transformar e enobrecer vidas, ainda podem obter uma audiência. De fato, a medida que a pós-verdade se descompõem em formas cada vez mais estranhas de irracionalidade, a verdade purificadora e libertadora do Evangelho e a visão da vida bem vivida que se encontra nas bem-aventuranças devem ser uma oferta convincente", concluiu. "Mas a oferta deve ser feita". (EPC)


 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

O Coro da Catedral realizou seu tradicional Concerto Coral Anual de Natal, e se destacou pelo carát ...
 
Papa Francisco recebeu em audiência funcionários TV italiana Telepace, nos seus 40 anos de fundaç ...
 
Os sacerdotes católicos não podem revelar os pecados dos penitentes sob pena de excomunhão, e nem ...
 
O Papa dedicou a homilia de hoje a São José e pediu aos fiéis que não percam a capacidade de s ...
 
Belém é um dos lugares da Terra Santa mais visitados por ocasião do Natal. E não é para menos, ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading