Loading
 
 
 
Loading
 
A Mãe do Homem das Dores
Loading
 
6 de Março de 2018 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Redação (Terça-feira, 06-03-2018, Gaudium Press) Por que Vos apresentais assim, Senhora, revestida de um delicado, ao mesmo tempo sério, véu roxo, cobrindo vossa santíssima face - mais bela que a Lua, mais esplendorosa que todas as belezas do universo?

06-A Mãe do Homem das Dores.jpg
Por que este véu roxo, símbolo da penitência e do luto? Por que vossa tão doce fisionomia apresenta-se tomada de perplexidade, de angústia? O que meditais em vosso imaculado e sapiencial Coração?

Ó minha Mãe, ponde-Vos diante do mistério da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. É Vosso divino Filho que está, em sua bondade infinita, prestes a resgatar o gênero humano, abrindo as portas do Céu com sua morte de Cruz. Tal é a sua entrega para nossa salvação que Ele, Homem-Deus, vela-se a si mesmo, escondendo sua divindade em sua humanidade santíssima, e fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz, por amor a nós!

Estais, ó Senhora, imersa na agonia de alma, ao contemplar o Homem das Dores: "Nem a Terra, nem o mar, nem todo o firmamento poderiam servir de termo de comparação à vossa dor". ¹

No entanto, ao cobrir-Vos com o manto da agonia e da dor, mais formosa ficais. De onde vem tanto esplendor? Vós sois a Mãe Dolorosa do Homem das Dores, que durante a Paixão, "compensava, pelo seu cântico de fidelidade, todas as injúrias e ofensas sofridas por Jesus [...] Eis aqui, "na noite da desolação, o canto da alma mais virtuosa em toda a Terra elevando-se até o Céu...".²

Pedimos-Vos, Senhora, para cada um nós, com as palavras do Prof. Plinio Corrêa de Oliveira: "Dai-me, minha Mãe, um pouco, pelo menos, desta dor... Sofreis em união a Jesus. Dai-me a graça de sofrer como Vós e como Ele". ³

E nesta união com Ele e com a Mãe dolorosa, entoaremos nosso cântico de fidelidade e de gratidão a Deus que nos receberá, a par dos sofrimentos na Terra, com a alma "esplendorificada" pela graça de Jesus a rogos de Maria, no Céu, por toda a eternidade.
Por Adilson Costa da Costa


..........................................
FOTO: Imagem do Imaculado Coração de Maria, venerada na Capela da Sede dos Arautos do Evangelho (Nova Campo Grande, Cariacica-ES).
¹ Plinio Corrêa de Oliveira. IV Estação - Via-Sacra In Catolicismo n° 3, março de 1951.
² Plínio Corrêa de Oliveira. Cântico de fidelidade. In Dr. Plinio, São Paulo, Ano VIII. N. 84 (mar. 2005); p. 36.
³ Plinio Corrêa de Oliveira. IV Estação - Via-Sacra In Catolicismo n° 3, março de 1951.

 

 

Loading
A Mãe do Homem das Dores

Redação (Terça-feira, 06-03-2018, Gaudium Press) Por que Vos apresentais assim, Senhora, revestida de um delicado, ao mesmo tempo sério, véu roxo, cobrindo vossa santíssima face - mais bela que a Lua, mais esplendorosa que todas as belezas do universo?

06-A Mãe do Homem das Dores.jpg
Por que este véu roxo, símbolo da penitência e do luto? Por que vossa tão doce fisionomia apresenta-se tomada de perplexidade, de angústia? O que meditais em vosso imaculado e sapiencial Coração?

Ó minha Mãe, ponde-Vos diante do mistério da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. É Vosso divino Filho que está, em sua bondade infinita, prestes a resgatar o gênero humano, abrindo as portas do Céu com sua morte de Cruz. Tal é a sua entrega para nossa salvação que Ele, Homem-Deus, vela-se a si mesmo, escondendo sua divindade em sua humanidade santíssima, e fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz, por amor a nós!

Estais, ó Senhora, imersa na agonia de alma, ao contemplar o Homem das Dores: "Nem a Terra, nem o mar, nem todo o firmamento poderiam servir de termo de comparação à vossa dor". ¹

No entanto, ao cobrir-Vos com o manto da agonia e da dor, mais formosa ficais. De onde vem tanto esplendor? Vós sois a Mãe Dolorosa do Homem das Dores, que durante a Paixão, "compensava, pelo seu cântico de fidelidade, todas as injúrias e ofensas sofridas por Jesus [...] Eis aqui, "na noite da desolação, o canto da alma mais virtuosa em toda a Terra elevando-se até o Céu...".²

Pedimos-Vos, Senhora, para cada um nós, com as palavras do Prof. Plinio Corrêa de Oliveira: "Dai-me, minha Mãe, um pouco, pelo menos, desta dor... Sofreis em união a Jesus. Dai-me a graça de sofrer como Vós e como Ele". ³

E nesta união com Ele e com a Mãe dolorosa, entoaremos nosso cântico de fidelidade e de gratidão a Deus que nos receberá, a par dos sofrimentos na Terra, com a alma "esplendorificada" pela graça de Jesus a rogos de Maria, no Céu, por toda a eternidade.
Por Adilson Costa da Costa


..........................................
FOTO: Imagem do Imaculado Coração de Maria, venerada na Capela da Sede dos Arautos do Evangelho (Nova Campo Grande, Cariacica-ES).
¹ Plinio Corrêa de Oliveira. IV Estação - Via-Sacra In Catolicismo n° 3, março de 1951.
² Plínio Corrêa de Oliveira. Cântico de fidelidade. In Dr. Plinio, São Paulo, Ano VIII. N. 84 (mar. 2005); p. 36.
³ Plinio Corrêa de Oliveira. IV Estação - Via-Sacra In Catolicismo n° 3, março de 1951.

 

 

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/93567-A-Mae-do-Homem-das-Dores--. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

A cerimônia foi presidida pelo vigário-geral da Arquidiocese de Braga e presidente da Confraria do ...
 
A igreja está consagrada à Nossa Senhora do Bom Conselho, cumprindo desta maneira um voto feito pe ...
 
Para Francisco, estes vícios são a vergonha da vida pública e colocam em perigo a paz social. ...
 
Esta foi a primeira glória de São José, a especial bem-aventurança de ter sido rejeitado no mome ...
 
O Papa Francisco completa nesse 17 de dezembro, 82 anos de vida. Uma trajetória de estudos e trabal ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading