Loading
 
 
 
Loading
 
Arquidiocese de São Paulo festeja os 800 anos da Ordem das Mercês
Loading
 
16 de Março de 2018 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

São Paulo (Sexta-feira, 16-03-2018, Gaudium Press) A Ordem das Mercês celebra em 2018 seus 800 anos de fundação. As comemorações tiveram início em Roma, no dia 17 de janeiro passado.

Arquidiocese de São Paulo festeja os 800 anos da Ordem das Mercês.jpg

No Brasil, as festividades jubilares tiveram sua abertura no dia 3 de fevereiro, em Brasília, local no qual se encontra a sede da Província Mercedária, e na Arquidiocese de São Paulo, no último 11 de março. Na ocasião, foi aberta a porta jubilar, na Paróquia Nossa Senhora das Mercês, com uma solene celebração presidida pelo Cardeal Arcebispo Odilo Pedro Scherer.

Em sua homilia, o Cardeal Scherer declarou ser muito atual aquilo que foi a motivação da fundação da Ordem das Mercês. "A Ordem teve início na Espanha num período de dominação, quando havia muitos sequestros e escravização das pessoas. São Pedro Nolasco, naquele contexto, sentiu o desejo de fazer alguma coisa, e, dessa inspiração, nasceu esta importante obra", disse.

Os vários tipos de escravidão que existem atualmente também foi um dos assuntos mencionados pelo purpurado. "No mundo e no Brasil, há um comércio de pessoas acontecendo. São pessoas exploradas sexualmente, para o trabalho, para o uso de órgãos. Existem muitas realidades de trabalho que colocam as pessoas em situação de escravidão e exploração. Temos que trabalhar para que todos possam viver com dignidade. A dignidade humana não tem preço. Isso continua sendo tarefa permanente nossa".

Ainda durante o momento da abertura do jubileu em São Paulo, Frei John Londerry Batista, Provincial da Ordem das Mercês, comentou a gratidão como um nobre sentimento que permeia a vida humana, uma vez que a ingratidão "conduz às correntes da opressão". "Pedro empenhou- -se na libertação dos cativos e passou de mercador de várias mercadorias a mercador da liberdade. Nolasco e os primeiros mercedários contemplaram no rosto dos cativos, aqueles privados da liberdade, o rosto do próprio Cristo", explicou.

Arquidiocese de São Paulo festeja os 800 anos da Ordem das Mercês (2).jpg

Os primeiros Mercedários chegaram por volta de 1639 em Belém do Pará. Na Arquidiocese de São Paulo, os religiosos desembarcariam somente em 1954, com a instalação canônica da comunidade no dia de São Serapião.

Os Mercedários, presentes em diferentes lugares do Brasil, além dos votos de pobreza, castidade e obediência, professam um quarto voto, que é o de dar a vida pela libertação dos prisioneiros. Também realizam trabalhos pastorais em escolas, comunidades, paróquias e mantêm um centro social para crianças.

"Nosso carisma é um empenho na construção das vidas humanas e de fazer com que as pessoas se tornassem profundamente livres. É uma constante provocação de liberdade. O carisma não se resume ao trabalho no cárcere. É interessante ver como as pessoas vão sendo transformadas pelo caminho da libertação, no sentido bíblico e social", disse o Frei José Maria Mohomed, pároco da Paróquia Nossa Senhora das Mercês, em entrevista ao jornal "O São Paulo". (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações da Arquidiocese de São Paulo

Loading
Arquidiocese de São Paulo festeja os 800 anos da Ordem das Mercês

São Paulo (Sexta-feira, 16-03-2018, Gaudium Press) A Ordem das Mercês celebra em 2018 seus 800 anos de fundação. As comemorações tiveram início em Roma, no dia 17 de janeiro passado.

Arquidiocese de São Paulo festeja os 800 anos da Ordem das Mercês.jpg

No Brasil, as festividades jubilares tiveram sua abertura no dia 3 de fevereiro, em Brasília, local no qual se encontra a sede da Província Mercedária, e na Arquidiocese de São Paulo, no último 11 de março. Na ocasião, foi aberta a porta jubilar, na Paróquia Nossa Senhora das Mercês, com uma solene celebração presidida pelo Cardeal Arcebispo Odilo Pedro Scherer.

Em sua homilia, o Cardeal Scherer declarou ser muito atual aquilo que foi a motivação da fundação da Ordem das Mercês. "A Ordem teve início na Espanha num período de dominação, quando havia muitos sequestros e escravização das pessoas. São Pedro Nolasco, naquele contexto, sentiu o desejo de fazer alguma coisa, e, dessa inspiração, nasceu esta importante obra", disse.

Os vários tipos de escravidão que existem atualmente também foi um dos assuntos mencionados pelo purpurado. "No mundo e no Brasil, há um comércio de pessoas acontecendo. São pessoas exploradas sexualmente, para o trabalho, para o uso de órgãos. Existem muitas realidades de trabalho que colocam as pessoas em situação de escravidão e exploração. Temos que trabalhar para que todos possam viver com dignidade. A dignidade humana não tem preço. Isso continua sendo tarefa permanente nossa".

Ainda durante o momento da abertura do jubileu em São Paulo, Frei John Londerry Batista, Provincial da Ordem das Mercês, comentou a gratidão como um nobre sentimento que permeia a vida humana, uma vez que a ingratidão "conduz às correntes da opressão". "Pedro empenhou- -se na libertação dos cativos e passou de mercador de várias mercadorias a mercador da liberdade. Nolasco e os primeiros mercedários contemplaram no rosto dos cativos, aqueles privados da liberdade, o rosto do próprio Cristo", explicou.

Arquidiocese de São Paulo festeja os 800 anos da Ordem das Mercês (2).jpg

Os primeiros Mercedários chegaram por volta de 1639 em Belém do Pará. Na Arquidiocese de São Paulo, os religiosos desembarcariam somente em 1954, com a instalação canônica da comunidade no dia de São Serapião.

Os Mercedários, presentes em diferentes lugares do Brasil, além dos votos de pobreza, castidade e obediência, professam um quarto voto, que é o de dar a vida pela libertação dos prisioneiros. Também realizam trabalhos pastorais em escolas, comunidades, paróquias e mantêm um centro social para crianças.

"Nosso carisma é um empenho na construção das vidas humanas e de fazer com que as pessoas se tornassem profundamente livres. É uma constante provocação de liberdade. O carisma não se resume ao trabalho no cárcere. É interessante ver como as pessoas vão sendo transformadas pelo caminho da libertação, no sentido bíblico e social", disse o Frei José Maria Mohomed, pároco da Paróquia Nossa Senhora das Mercês, em entrevista ao jornal "O São Paulo". (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações da Arquidiocese de São Paulo

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/93806-Arquidiocese-de-Sao-Paulo-festeja-os-800-anos-da-Ordem-das-Merces. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

Os comentários de Duterte foram recebidos com indignação pelo país de maioria católica. ...
 
A operação policial foi iniciada após uma denúncia de que obras possivelmente estivessem sendo v ...
 
O evento acontecerá na comunidade Santa Lúcia, da Paróquia Santa Catarina. ...
 
O projeto de restauração da Catedral contará também com contribuições da Igreaja, doações e ...
 
“A Formação Sacerdotal Hoje” retrata a trajetória da OSIB, apresentando a experiência dos re ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading