Loading
 
 
 
Loading
 
“Desejar o céu é um gosto adquirido”, afirma Bispo de Phoenix, EUA
Loading
 
19 de Abril de 2018 / 0 Comentários
 
Imprimir
 
 

Estados Unidos - Phoenix (Quinta-feira, 19-04-2018, Gaudium Press) O Bispo de Phoenix, Estados Unidos, Dom Thomas Olmsted, deu início a uma série de artigos sobre as últimas realidades que ensina a doutrina cristã e dedicou o primeiro desses ao Céu. O prelado recomendou aos fiéis a meditação sobre a morte e a eternidade que apesar de "poder ser preocupante e até aterradora", é uma forma de "bem levar-nos a viver vidas cristãs mais fiéis e comprometidas".

Desejar o céu é um gosto adquirido, afirma Bispo de Phoenix, EUA.jpg

Sobre estas realidades finais, conhecidas tradicionalmente como os "novíssimos", o Bispo afirmou que, "como seguidores de Cristo, chegamos a vê-las como parte da verdadeiramente real e profundamente significativa vida com Deus que se estende além do sepulcro". O fiel não pode entender completamente a vida sem reconhecer estes destinos, os quais se refletem o amor, a misericórdia e a justiça de Deus.

"Através do mistério Pascal de Seu sofrimento, morte e Ressurreição, Jesus destruiu o poder da morte e abriu as portas do Céu. A Ressurreição de Jesus mostra definitivamente que este mundo não é tudo o que existe", ensinou Dom Olmsted. "Deus está fazendo algo maior do que tínhamos imaginado ou acreditado ser possível. Começamos a ver este mundo como um lugar de crescimento e transformação para algo mais alto, mais permanente e magnífico".

Para descrever ou definir o que é o Céu, o Bispo recordou que é um lugar difícil de descrever sobre o qual a maioria das pessoas constroem uma noção baseada nas sensações terrenas. "O Céu é aos poucos considerado como um paraíso projetado pessoalmente onde seremos felizes em nossos próprios termos. Mas isso não é o Céu", advertiu. "A felicidade do Céu não se pode comparar com noções terrenas".

"O Céu é o Reino de Deus em toda sua plenitude, e seus valores e qualidades são numerosos mas incluem muitas coisas que não são imediatamente desejáveis aos que vivem com corações e mentes que são mundanos e pecaminosos", explicou. No lugar da satisfação de desejos mundanos como o dinheiro, o prazer, o poder, a fama, a saúde ou a segurança, o que verdadeiramente oferece o Céu é o encontro face a face com Deus. "Assim, o homem, feito a imagem e semelhança de Deus, é projetado para o cumprimento e a definitiva felicidade que somente se pode encontrar com Deus para sempre, e estar na beleza de Sua presença e verdade".

Por esse motivo, o cristão deve entreter-se para amar e desejar o céu, que é amar e desejar a Deus. E esse trabalho de ensino é realizado por Cristo através da Igreja. "Aprender a desejar e amar o Céu pode ser bastante difícil. Isto é porque vivemos em um mundo que está completamente de ponta cabeça, um mundo que não é rico no que importa para Deus, um mundo que está obcecado com as coisas triviais que passam e coloca pouca atenção às coisas celestiais e eternas", se lamentou o Bispo. "Portanto, desejar e amar o Céu significa estar disposto a ir contra as prioridades e preocupações do mundo".

"Como podemos começar a aprender a amar o Céu enquanto ainda estamos vivendo nesta vida terrena?", se perguntou o prelado. "Uma das muitas maneiras que é oferecida a nós é participar com Fé e devoção do Santo Sacrifício da Missa. Cada Missa é uma grande antecipação do Céu. Quando entramos em uma igreja, estamos rodeados de imagens de anjos e santos, com Cristo no centro no tabernáculo. Quando tomamos parte na Sagrada Liturgia, há velas, incenso, o altar, hinos que se cantam, o Sanctus, o livro dos Evangelhos, as posturas de joelhos ou de pé diante do Senhor - todos esses detalhes estão contidos e se descrevem na liturgia celestial do Livro do Apocalipse".

O prelado motivou a alegrar-se na Ressurreição do Senhor e a fomentar e orar por um desejo mais profundo de encontrá-lo no Céu. Este trabalho é essencial para a vida cristã e prepara o fiel para o momento da morte. "Nesse momento, nossa opção pelo Reino de Deus (pelo Céu) ou por outra coisa se fixará firmemente", concluiu. "Mantenhamos nossos olhos fixos em Cristo". (EPC)

Loading
“Desejar o céu é um gosto adquirido”, afirma Bispo de Phoenix, EUA

Estados Unidos - Phoenix (Quinta-feira, 19-04-2018, Gaudium Press) O Bispo de Phoenix, Estados Unidos, Dom Thomas Olmsted, deu início a uma série de artigos sobre as últimas realidades que ensina a doutrina cristã e dedicou o primeiro desses ao Céu. O prelado recomendou aos fiéis a meditação sobre a morte e a eternidade que apesar de "poder ser preocupante e até aterradora", é uma forma de "bem levar-nos a viver vidas cristãs mais fiéis e comprometidas".

Desejar o céu é um gosto adquirido, afirma Bispo de Phoenix, EUA.jpg

Sobre estas realidades finais, conhecidas tradicionalmente como os "novíssimos", o Bispo afirmou que, "como seguidores de Cristo, chegamos a vê-las como parte da verdadeiramente real e profundamente significativa vida com Deus que se estende além do sepulcro". O fiel não pode entender completamente a vida sem reconhecer estes destinos, os quais se refletem o amor, a misericórdia e a justiça de Deus.

"Através do mistério Pascal de Seu sofrimento, morte e Ressurreição, Jesus destruiu o poder da morte e abriu as portas do Céu. A Ressurreição de Jesus mostra definitivamente que este mundo não é tudo o que existe", ensinou Dom Olmsted. "Deus está fazendo algo maior do que tínhamos imaginado ou acreditado ser possível. Começamos a ver este mundo como um lugar de crescimento e transformação para algo mais alto, mais permanente e magnífico".

Para descrever ou definir o que é o Céu, o Bispo recordou que é um lugar difícil de descrever sobre o qual a maioria das pessoas constroem uma noção baseada nas sensações terrenas. "O Céu é aos poucos considerado como um paraíso projetado pessoalmente onde seremos felizes em nossos próprios termos. Mas isso não é o Céu", advertiu. "A felicidade do Céu não se pode comparar com noções terrenas".

"O Céu é o Reino de Deus em toda sua plenitude, e seus valores e qualidades são numerosos mas incluem muitas coisas que não são imediatamente desejáveis aos que vivem com corações e mentes que são mundanos e pecaminosos", explicou. No lugar da satisfação de desejos mundanos como o dinheiro, o prazer, o poder, a fama, a saúde ou a segurança, o que verdadeiramente oferece o Céu é o encontro face a face com Deus. "Assim, o homem, feito a imagem e semelhança de Deus, é projetado para o cumprimento e a definitiva felicidade que somente se pode encontrar com Deus para sempre, e estar na beleza de Sua presença e verdade".

Por esse motivo, o cristão deve entreter-se para amar e desejar o céu, que é amar e desejar a Deus. E esse trabalho de ensino é realizado por Cristo através da Igreja. "Aprender a desejar e amar o Céu pode ser bastante difícil. Isto é porque vivemos em um mundo que está completamente de ponta cabeça, um mundo que não é rico no que importa para Deus, um mundo que está obcecado com as coisas triviais que passam e coloca pouca atenção às coisas celestiais e eternas", se lamentou o Bispo. "Portanto, desejar e amar o Céu significa estar disposto a ir contra as prioridades e preocupações do mundo".

"Como podemos começar a aprender a amar o Céu enquanto ainda estamos vivendo nesta vida terrena?", se perguntou o prelado. "Uma das muitas maneiras que é oferecida a nós é participar com Fé e devoção do Santo Sacrifício da Missa. Cada Missa é uma grande antecipação do Céu. Quando entramos em uma igreja, estamos rodeados de imagens de anjos e santos, com Cristo no centro no tabernáculo. Quando tomamos parte na Sagrada Liturgia, há velas, incenso, o altar, hinos que se cantam, o Sanctus, o livro dos Evangelhos, as posturas de joelhos ou de pé diante do Senhor - todos esses detalhes estão contidos e se descrevem na liturgia celestial do Livro do Apocalipse".

O prelado motivou a alegrar-se na Ressurreição do Senhor e a fomentar e orar por um desejo mais profundo de encontrá-lo no Céu. Este trabalho é essencial para a vida cristã e prepara o fiel para o momento da morte. "Nesse momento, nossa opção pelo Reino de Deus (pelo Céu) ou por outra coisa se fixará firmemente", concluiu. "Mantenhamos nossos olhos fixos em Cristo". (EPC)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/94650--ldquo-Desejar-o-ceu-e-um-gosto-adquirido-rdquo---afirma-Bispo-de-Phoenix--EUA. Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.



 

Deixe seu comentário
O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados (*) são obrigatórios.



 
Loading
GaudiumRightPubli
Loading

O primeiro evento oficial em alusão ao jubileu ocorreu durante Santa Missa, que foi presidida por D ...
 
O reitor do Santuário de Fátima explicou que para tomar essa decisão, ele levou em consideração ...
 
O corpo de Cristo fortalece tua alma, fortalece tua Fé, teu amor, tua esperança, tua fortaleza par ...
 
No Circo Máximo, em Roma, 70 mil jovens estiveram com o Papa e ele respondeu perguntas ...
 
Há 15 Igrejas Particulares vacantes, em um universo de 277 circunscrições eclesiásticas. ...
 
Loading


O que estão twitando sobre o

Loading


 
 

Loading

Loading